Confiabilidade da escala de faces da percepção subjetiva da dor muscular do esforço físico do voleibol: um estudo no voleibol master

Nelson Kautzner Marques Junior

Resumo


O objetivo da pesquisa foi de verificar a confiabilidade da escala de dor muscular do voleibol em uma equipe masculina do voleibol master. A pesquisa foi composta por uma equipe masculina do voleibol master (n = 10) que competiu o Campeonato Carioca Master de 2016. A escala de dor muscular do voleibol foi elaborada por Marques Junior, Arruda e Nievola Neto (2016). A confiabilidade da escala de dor muscular do voleibol pelo r intraclasse não teve nenhum resultado com diferença significativa (p>0,05). O teste Kappa identificou somente uma concordância moderada (k = 0,45, p = 0,002) e o método Bland e Altman a concordância foi baixa. Em conclusão, a escala de dor muscular do voleibol merece novos estudos para verificar a confiabilidade desse instrumento para o voleibol master. 

 

ABSTRACT

Reliability of the face scale of the subjective perception of the muscle soreness of the physical effort of the volleyball: a study in the master volleyball

The objective of the research was to check the reliability of the muscle soreness scale of the volleyball in a men`s team master volleyball. The research was composed by a men`s team master volleyball that competed the Carioca Master Championship of 2016. The muscle soreness scale was elaborated by Marques Junior, Arruda e Nievola Neto (2016). The reliability of the muscle soreness scale of the volleyball by intraclass r had no result with significant difference (p>0,05). The Kappa test identified only a moderate agreement (k = 0,42 and 0,002) and the Bland and Altman method the agreement was lower. In conclusion, the muscle soreness scale of the volleyball deserves others studies to check the reliability of this instrument for the master volleyball.


Palavras-chave


Dor Muscular; Voleibol; Desempenho do Exercício

Texto completo:

PDF

Referências


-Arruda, D.; Marques Junior, N. Percepção subjetiva da dor muscular de uma equipe feminina sub 15 de voleibol: um estudo durante a 2ª etapa do estadual do Paraná de 2015. Rev Observatorio Dep. Vol. 2. Num. 1. p.143-159. 2015.

-Bland, J.; Altman, D. Statistical methods for assessing agreement between two methods of clinical measurement. Lancet. Vol. 8476. Num. 1. p.307-310. 1986.

-Dancey, C.; Reidy, J. Estatística sem matemática para psicologia. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed. 2006. p.254-259

-Foster, C.; Florhaug, J.; Franklin, J.; Gottschall, L.; Hrovatin, L.; Parker, S.; Doleshal, P.; Dodge, C. A new approach to monitoring exercise training. J Strength Cond Res. Vol. 15. Num. 1. p.109-115. 2001.

-Fouré, A.; Wegrzyk, J.; Fur, Y.; Mattei, J-P.; Boudinet, H.; Vilmen, C.; Bendahan, D.; Gondin, J. Impaired mitochondrial function and reduced energy cost as a result of muscle damage. Med Sci Sports Exerc. Vol. 47. Num. 6. p.1135-1144. 2015.

-Gabbett, T. The training-injury prevention paradox: should athletes be training smarter and harder? Br J Sports Med. Vol. 50. Num. 2. p.1-9. 2016.

-Gomes, A. Treinamento desportivo: princípios, meios e métodos. Londrina: Treinamento Desportivo. 1999. p.49-50.

-Hopkins, W. Measures of reliability in sports medicine and science. Sports Med. Vol. 30. Num. 1. p.1-15. 2000.

-Huijbregts, P. (2002). Spinal motion palpation: a review of reliability studies. J Manual Manipul Ther. Vol. 10. Num. 1. p.24-39. 2002.

-Karabalaeifar, S.; Hefzollesan, M.; Behpoor, N.; Ghalegir, S. Effect of caffeine on the amount of perceived pain, joint range of motion and edema after delayed muscle soreness. Pedag Psychol Med Biol Probl Phys Train Sports. Vol. 1. p.96-100. 2013.

-Kiss, M. Esporte e exercício: avaliação e prescrição. São Paulo: Roca. 2003. p.29-31.

-Landis, J.; Koch, G. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics. Vol. 33. Num. 1. p.159-174. 1977.

-Marques Junior, N. Periodização tática: uma nova organização do treinamento para duplas masculinas do voleibol na areia de alto rendimento. Rev Min Educ Fís. Vol. 14. Num. 1. p.19-45. 2006.

-Marques Junior, N. Periodização específica para o voleibol: atualizando o conteúdo. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 8. Num 47. p.453-484. 2014. Disponível em:

-Marques Junior, N. Vertical jump of the elite male volleyball players in relation the game position: a systematic review. Rev Observatorio Dep. Vol. 1. Num. 3. p.10-27. 2015.

-Marques Junior, N. Fundamentos que fazem ponto durante o jogo de voleibol: um estudo de correlação. Rev Observatorio Dep. Vol. 1. Num. 3. p.134-145. 2015b.

-Marques Junior, N. Mecanismos fisiológicos da fadiga. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 9. Num 56. p.671-720. 2015c. Disponível em:

-Marques Junior, N. História do voleibol no Brasil e o efeito da evolução científica da educação física brasileira nesse esporte. Um estudo com o conteúdo revisado e ampliado, parte 2. Lecturas: Educ Fís Dep. Vol. 21. Num. 215. p.1-13. 2016.

-Marques Junior, N. 3º set da final do voleibol masculino dos Jogos Olímpicos de 1984: estudo com o software Kinovea® sobre o saque, o ataque e o bloqueio. Rev Observatorio Dep. Vol. 2. Num. 3. p.8-27. 2016b.

-Marques Junior, N. Escala de prescrição da intensidade subjetiva do esforço do treino (PISE TREINO): elaboração e aplicação na sessão – parte 2. Rev Observatorio Dep. Vol. 2. Num. 2. p.52-98. 2016c.

-Marques Junior, N.; Arruda, D. Fundamentos praticados por uma equipe feminina de voleibol sub 15 conforme o sistema de jogo: um estudo de correlação. Rev Observatorio Dep. Vol. 2. Num. 3. p.165-173. 2016.

-Marques Junior, N.; Arruda, D.; Nievola Neto, G. Validade e confiabilidade da escala de faces da percepção subjetiva da dor muscular do esforço físico do voleibol: um estudo durante a competição. Rev Observatorio Dep. Vol. 2. Num. 1. p.26-62. 2016.

-Morales, A.; Maciel, R.; Carneiro, R.; Souza, L.; Wagner, L. Influência de uma sessão aguda do jogo de voleibol sobre os biomarcadores de lesão muscular. Inter Sci Place. Vol. 3. Num. 13. p.56-69. 2010.

-Moreno, J.; Afonso, J.; Mesquita, I.; Ureña, A. Dynamics between playing activities and rest time in high level men`s volleyball. Int J Perf Analysis Sport. Vol. 16. Num. 1. p.317-331. 2016.

-Ojala, T.; Häkkinen, K. Effects of the tennis tournaments on players physical performance, hormonal responses, muscle damage and recovery. J Sports Sci Med. Vol. 12. Num. 2. p.240-248. 2013.

-Pearcey, G.; Squires, D.; Kawamoto, J.; Drinkwater, E.; Behm, D.; Button, D. Foam rolling for delayed-onset muscle soreness and recovery of dynamic performance measures. J Athlet Train. Vol. 50. Num. 1. p.5-13. 2015.

-Porath, M.; Nacimento, J.; Milistetd, M.; Collet, C.; Oliveira, C. Nível de desempenho técnico-tático e a classificação final das equipes catarinenses de voleibol das categorias de formação. Rev Bras Ci Esp. Vol. 38. Num. 1. p.84-92. 2016.

-Valadés, D.; Palao, J.; Aúnsolo, A.; Ureña, A. Correlation between ball speed of the spike and the strength condition of a profesional women`s volleyball team during the season. Kines. Vol. 48. Num. 1. p.87-94. 2016.

-Taylor, T.; West, D.; Howatson, G.; Jones, C.; Bracken, R.; Love, T.; Cook, C.; Swift, E.; Baker, J.; Kilduff, L. The impact of very after intensive, muscle damaging, and maximal speed training in professional team sports players. J Sci Med Sport. Vol. 18. Num. 3. p.328-332. 2015.

-Weineck, J. Biologia do esporte. São Paulo. Manole. 1991.

-Zarghami-Khomeneh, A.; Jafari, A. The effect of different doses of caffeine and a single bout of resistant-exhaustive exercise on muscle damage indices in male volleyball palyers. Feyz. Vol. 18. Num. 3. p.220-228. 2014.

-Zakharov, A. Ciência do treinamento desportivo. Rio de Janeiro: GPS. 1992. p.50-2.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui