Efeito da pré ativação dos antagonistas sobre a atividade eletromiográfica dos agonistas no exercício supino horizontal

  • Jurandir Baptista da Silva Universidade Castelo Branco (UCB-RJ) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Matheus Siqueira Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)
  • Giovanni Dantas Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)
  • Yuri Lopes Rolim Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)
  • Sabrina Medeiros Casseres Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)
  • William Ramos Silva Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)
  • Vicente Pinheiro Lima Universidade Castelo Branco (UCB-RJ) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
Palavras-chave: Eletromiografia, Pré ativação, Treinamento de força

Resumo

Objetivo: Verificar o efeito da pré-ativação dos antagonistas sobre a atividade eletromiográfica (EMG) dos agonistas no exercício supino horizontal em séries múltiplas. Métodos: Oito homens, fisicamente ativos, com 21,6 ± 1,18 anos de idade foram randomizados para dois protocolos experimentais, com um intervalo de 30 minutos entre eles:  a) supino horizontal (SH); b) remada aberta (RA) seguida imediatamente do SH, de forma que o intervalo máximo entre os exercícios não ultrapassasse 30 segundos. Foram realizadas três séries de oito repetições máximas nos dois protocolos com 3 minutos de intervalo entre elas. O sinal eletromiográfico dos músculos peitoral maior partes clavicular e esternocostal, deltoide clavicular e tríceps braquial cabeça longa foram verificados na execução do supino horizontal. Resultados: Foi observado redução na primeira série para o músculo peitoral maior parte clavicular no protocolo com pré ativação dos antagonistas (p = 0,015). Para os demais músculos não foram encontradas diferenças significativas entre as séries, em ambos protocolos. Conclusão: A aplicação da pré-ativação dos antagonistas não promoveu aumento da atividade elétrica dos músculos investigados. Apresentada pelo contrário, uma redução na ativação do peitoral maior parte clavicular na primeira série.

 

ABSTRACT 

Effect of pre-activation of antagonists on agonists eletromyograph activy of the exercise supino horizontal

Objective: To investigate the effect of pre-activation of antagonists on the electromyographic (EMG) activity of the agonists in the bench press exercise in multiple series. Methods: eight subjects physically active, 21.6 ± 1.18 years, were randomly assigned to two experimental protocols, with an interval of 30 minutes between them: a) bench press (BP); open rowing (OR) immediately followed the BP, so that the maximum rest between the exercises did not exceed 30 seconds. Three sets of eight repetitions maximum of BP and BP post OR with 3 minute break between sets. The EMG signals of the clavicular and sternocostal pectoral, clavicular deltoid and tríceps brachii long head. Results: We found a reduction in the first sets, for the pectoral clavicular muscle where no pre activation of the antagonist protocol. showed higher activity compared to the protocol activation of antagonists (p = 0.015). For the other muscles were no significant differences between sets in the protocols. Conclusion: The application of pre-activation of antagonists did not promote increased electrical activity of muscles of the study. Presenting the contrary, a reductions in the activation of the pectoral clavicular in the first set.

Biografia do Autor

Jurandir Baptista da Silva, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Programa de Mestrado em Ciências do Exercício e do Esporte – UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Matheus Siqueira, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Giovanni Dantas, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Yuri Lopes Rolim, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Sabrina Medeiros Casseres, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

William Ramos Silva, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Vicente Pinheiro Lima, Universidade Castelo Branco (UCB-RJ) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Exercício, Saúde e Performance (BIODESP), UCB/RJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Programa de Mestrado em Ciências do Exercício e do Esporte – UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Referências

-Augustsson, J.; Thomee, R.; Hornstedt, P.; Lindblom, J.; Karlsson, J.; Grimby G. Effect of pre-exhaustion exercise on lowerextremity muscle activation during a leg press exercise. Journal of strength and conditioning research/National Strength & Conditioning Association. Vol. 17 Num. 2. 2003. p.411-416.

-Baechle, T. R.; Earle, R. W.; Thomas, R. Essentials of strength training and conditioning. Champaign. Human Kinectics. 2008.

-Baker, D.; Newton, R. U. Acute effect on power output of alternating an agonist and antagonist muscle exercise during complex training. J Strength Cond Res. Vol. 19. Num. 1. p.202-205.

-Barroso, R.; Tricoli, V.; Ugrinowitsch, C. Adaptações neurais e morfológicas ao treinamento de força com ações excêntricas. Revista brasileira de ciência e movimento. vol. 13. Num. 2. 2005. p.111-122.

-Bohannon, R. W.; Knee extension torque during repeated knee extension-flexion reversals and separated knee extension-flexion dyads. Phys Ther. Vol. 65. Num. 7. p.1052-1054.

-Brasil. Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde. Resolução CNS nº 466/dezembro 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde/CNS; 2012. Diário Oficial da União. Brasília, nº 12, p.59, 13 jun 2013. Seção 1, 2012.

-Cram, J. R.; Kasman, G. S. Introduction to Surfac electromyography. ASPEM. Gaithersburg. 1998.

-Folland, J. P.; Williams, A. G. The Adaptations to Strength Training: Morphological and Neurological Contributions to Increased Strength. Sport Med. Vol. 37.Num. 2. 2007. p.145-168.

-Gentil, P.; Oliveira, E. Effects of exercise order on upper-body muscle activation and exercise performance. Journal of strength and conditioning research/National Strength & Conditioning Association. Vol. 21. Num. 4. 2007. p.1082-1086.

-Haua, R.; Paz, G. A.; Maia, M. D. F.; Lima, V.P.; Cader, S. A.; Dantas, E. H. M. Efeito da facilitação neuromuscular proprioceptiva-3s nos antagonistas sobre a determinação da carga no teste de 10RM. Rev. Bras. Ciên. Saúde/Revista de Atenção à Saúde. Vol. 11. Num. 38. 2014. p.1-7.

-Jeon, H. S.; Trimble, M. H.; Brunt, D.; Robinson, M. E. Facilitation of quadriceps activation following a concentrically controlled knee flexion movement: the influence of transition rate. J Orthop Sports PhysTher. Vol. 31. Num. 3. 2001. p.122-132.

-Júnior, V. D. A. R.; Gentil, P.; Oliveira, E.; Carmo, J. Comparação entre a atividade EMG do peitoral maior, deltóide anterior e tríceps braquial durante os exercícios supino reto e crucifixo. Rev Bras Med Esporte. Vol.13. Num. 1. 2007. p.51-54.

-Júnior, V. A.; Bottaro, M.; Pereira, M. C.; Andrade, M. M.; Júnior, P. R. W. P.; Carmo, J. C. Análise eletromiográfica da pré-ativação muscular induzida por exercício monoarticular. Rev Bras Fisioterapia. Vol.14. Num.2. 2010. p.158-165.

-Kalmar, J. M.; Cafarelli, E. Central Excitability does not limit post fatigue voluntary activation of quadriceps femoris. J Appl Physiol. Vol. 100. Num. 1. p.1757-1764.

-Mackenzie, S. J.; Rannelli, L. A.; Yurchevich, J. J. Neuromuscular Adaptations Following Antagonist Resisted Training. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 24 Num. 1. 2010. p.156-164.

-Maia, M. F.; Willardson, J. M.; Paz, G. A.; Miranda, H. Effects of different rest intervals between antagonist paired sets on repetition performance and muscle activation. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol. 28. Num. 9. 2014. p.2529-2535.

-Maynard, J.; Ebben, W. P. The Effects of Antagonist Prefatigue on Agonist Torque and Electromyography. J Strength Cond Res. Vol.17. num. 3. 2003. p.469-474.

-Merletti, R.; Di Torino P. Standards for reporting EMG data. J Electromyogr Kinesiol. Vol.9. Num. 1. 1999. p.3-4.

-Paz, G. A.; Maia, M. F.; Santiago, F. L. S.; Lima, V. P.; Miranda, H. L. Efeito da facilitação neuromuscular proprioceptiva e pré-ativação dinâmica dos antagonistas sobre a força isométrica máxima e sinal eletromigráfico. R. bras. Ci. e Mov. Vol.21. Num. 2. 2013. p.71-81.

-Paz G, Maia, M.; Lima, V.; Miranda, H. Efeito do método agonista-antagonista comparado ao tradicional no volume e ativação muscular. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol.19. Num. 1. 2014. p.54.

-Paz, G. A.; Maia, M. F.; Lima, V. P.; Oliveira, C. G.; Bezerra, E.; Simão, R.; Miranda, H. Maximal exercise performance and electromyography responses after antagonist neuromuscular proprioceptive facilitation: A pilot study. Journal of Exercise Physiology Oline. Vol. 15. Num. 6. p.60-67. 2012

-Pease, W. S. Johnson's Practical Electromyography. 4th Edition. 2007. p.15-22.

-Robbins, D. W.; Young, W. B.; Behm, D. G.; Payne, W. R. Agonist-Antagonist Paired Set Resistance Training: A Brief Review. J Strength Cond Res. Vol. 24. Num. 10. 2010. p.2873-2882.

-Robbins, D.W.; Young, W.B.; Behm, D.G.; Payne, W.R. Effects of agonist-antagonist complex resistance training on upper body strength and power development. Journal of Sports Sciences. Vol. 27. Num. 14. 2009. p.1625-1617.

-Robbins, D. W.; Young, W. B.; Behm, D. G.; Payne, W. R. The effect of a complex agonist and antagonist resistance training protocol on volume load, power output, electromyographic responses, and efficiency. J Strength Cond Res. Vol. 24. Num. 7. 2010. p.1782-1789.

-Sandberg, J. B.; Wagner, D. R.; Willardson, J. M.; Smith, G. A. Acute effects of antagonist stretching on jump height, torque, and electromyography of agonist musculature. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol. 26. Num. 5. 2012. p.1249-1256.

-Shephard, R. J.; PAR-Q: Canadian home fitness test and exercise screening alternatives. Sports Med. Vol. 5. Num. 3. 1992. p.185-195.

-Sousa, C. D. O.; Ferreira, J. J. D. A.; Medeiros, A. C. L. V.; Pereira, R. C.; Guedes, D. T.; Alencar, J. F. D. Atividade eletromiográfica no agachamento nas posições de 40º, 60º e 90º de flexão do joelho. Rev. bras. med. Esporte. Vol. 13. Num. 5. 2007. p.310-316.

Publicado
2017-09-01
Como Citar
da Silva, J. B., Siqueira, M., Dantas, G., Rolim, Y. L., Casseres, S. M., Silva, W. R., & Lima, V. P. (2017). Efeito da pré ativação dos antagonistas sobre a atividade eletromiográfica dos agonistas no exercício supino horizontal. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 11(68), 574-581. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1200
Seção
Artigos Científicos - Original