Avaliação da percepção subjetiva de esforço como forma de controle de intensidade de uma aula de hidroginástica em um programa de extensão

Ingrid Thaiane Soares Batista, Fracklin Cristiano Vidal de Araújo, Thales Oto Nascimento Silva, Lara Elena Gomes

Resumo


Introdução e objetivo: Para realização mais eficiente de um exercício físico, é necessário que o professor e o aluno tenham consciência da intensidade do esforço atingido no decorrer da aula. Em se tratando de uma aula de hidroginástica para idosas, este controle deve ser simples e prático. Dessa forma, o objetivo geral do estudo foi verificar se a escala de percepção de esforço de Borg (de 0 a 10 pontos) pode ser utilizada nas aulas de hidroginástica de um programa de extensão. Os objetivos específicos compreenderam: comparar o comportamento da percepção subjetiva de esforço e da frequência cardíaca entre as partes específicas da aula de hidroginástica (aquecimento, parte principal sem e com implemento e volta à calma) e verificar a associação entre a percepção subjetiva de esforço e a frequência cardíaca. Materiais e métodos: Participaram 11 idosas. A frequência cardíaca e a percepção subjetiva de esforço foram avaliadas após os seguintes momentos: repouso, aquecimento, parte principal com e sem implementos, abdominais e volta à calma. Resultados e discussão: Foi encontrado um efeito principal significativo do momento da aula sobre a frequência cardíaca, assim como sobre a percepção subjetiva de esforço. Também foi encontrada uma correlação positiva entre as variáveis. Conclusão: O controle da intensidade nas aulas de hidroginástica pode ser feito por meio da escala de Borg de 0 a 10 pontos.

 

ABSTRACT 

Evaluation of subjective perception of effort as a method of control of intensity of a hydroginastic class in an extension program

Introduction and purpose: In order to perform physical exercise efficiently, it is necessary that trainer and practitioner are aware of the intensity of the effort achieved along a class. In the case of water exercise for elderly, this control should be simple and practical. Thus, the main purpose of the study was to verify whether the perceived exertion scale of Borg (from 0 to 10 points) can be used in the water exercise classes of a university program to community. The specific purposes were: to compare the behavior of perceived exertion and heart rate between the specific parts of water exercise class (heating, main part with and without implements and cool-down) and the relationship between perceived exertion and heart rate. Materials and methods: Eleven elderly women participated. The heart rate and the perceived exertion were evaluated after the following moments: rest, warm-up, main part with and without implements, abdominal exercises and cool-down. Results and discussion: It was found a significant main effect of moment of the class on heart rate, as well as on the perceived exertion. It was also found a positive correlation between these variables. Conclusion: The intensity control along water exercises can be done using Borg’s exertion scale from 0 to 10 points.


Palavras-chave


Idoso; Exercício; Frequência cardíaca; Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


-Abramson, J.H. WINPEPI updated: computer programs for epidemiologists, and their teaching potential. Epidemiologic Perspectives & Innovations. Vol. 8. Num. 1. 2011. p.2-9.

-ACSM. ACSM’s Guidelines for Exercise Testing and Prescription. 7ª edição. Lippincott Willians & Willians. 2005.

-Barbosa, T.M.; Garrido, M.F.; Bragada, J. Physiological adaptations to head-out aquatic exercises with different levels of body immersion. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol. 21. Num. 4. 2007. p.1255-1259.

-Barbosa, T.M.; Sousa, V.F.; Silva, A.J.; Reis, V.M.; Marinho, D.A.; Bragada, J.A. Effects of musical cadence in the acute physiologic adaptations to head-out aquatic exercises. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol. 24. Num. 1. 2010. p.244-250.

-Batterham, A.M.; Hopkins, W.G. Making meaningful inferences about magnitudes. International Journal of Sports Physiology and Performance. Vol. 1. Num. 1. 2006. p.50-57.

-Borg, G.A.V. Psychophysical bases of perceived exertion. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 14. Num. 5. 1982. p.377-381.

-Costa, G.; Afonso, S.; Bragada, J.A.; Reis, V.M.; Barbosa, T.M. Estudo comparativo das adaptações fisiológicas agudas durante a execução de três variantes de um exercício básico de hidroginástica. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 10. Num. 4. 2008. p.323-329.

-Field, A. Discovering statistics using SPSS. London. SAGE Publications Ltda. 2009.

-Graef, F.I; Kruel, L.F.M. Frequência cardíaca e percepção subjetiva do esforço no meio aquático: diferenças em relação ao meio terrestre e aplicações na prescrição do exercício. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 12. Num. 4. 2006. p.221-228.

-Gomes, L.E.; Araujo, F.C.V.; Barbosa, L.F.; Carvalho, R.G.S. Projeto Hidroginástica para a Saúde: seus primeiros anos. Extramuros. Revista de Extensão da Univasf. Vol. 1. Num. 2. 2013. p.101-109.

-Hall, S. Movimento Humano nos Fluidos. In: Hall, S. Biomecânica Básica. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2005. p.453-483.

-Hopkins, W.G.; Marshall, S.W.; Batterham, A.M.; Hanin, J. Progressive statistics for studies in sports medicine and exercise science. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 41. Num. 1. 2009. p.3-12.

-Kuwano, V.G.; Silveira, A.M. Influência da atividade física sistematizada na autopercepção do idoso em relação às atividades da vida diária. Revista da Educação Física/UEM. Vol. 13. Num. 2. 2002. p.35-39.

-Lord, S.R.; Matters, B.; St George, R.; Thomas, M.; Bindon, J.; Chan D.K.Y.; Collings, A.; Haren, L. The effects of water exercise on physical functioning in older people. Australasian Journal on Ageing. Vol. 25. Num. 1. 2006. p.36-41.

-Martinez, F.G.; Ghiorzi, V.; Gomes, L.E. Loss, J.F. Caracterização das cargas de flutuação de implementos de hidroginástica e hidroterapia. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. Vol. 10. Num. 1. 2011. p.64-75.

-Matsudo, S.M.; Matsudo, V.K.R.; Barros Neto, T.L. Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 8. Num. 4. 2000. p.21-32.

-Neves, A.R.M.; Doimo, L.A. Avaliação da percepção subjetiva de esforço e da frequência cardíaca em mulheres adultas durante aulas de hidroginástica. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 9. Num. 4. 2007. p.386-392.

-Novaes, G.S.; Novaes, J.S.; Vilaça-Alves, J.; Costa e Silva, G.; Garrido, N.D.; Furtado, H.; Reis, V.M. Chronic effects of strength training vs. hydro aerobics on functional and cardiorespiratory ability in postmenopausal women. Journal of Human Kinetics. Vol. 43. Num. 1. 2014. p.57-66.

-Pinto, S.S; Alberton, C.L; Becker, M.E; Olkoski, M.M; Kruel, L.F.M. Respostas cardiorrespiratórias em exercícios de hidroginástica executados com e sem o uso de equipamentos resistivo. Revista Portuguesa de Ciência do Desporto. Vol. 6. Num. 3. 2006. p.336-341.

-Pinto, S.S.; Alberton, C.L.; Figueiredo, P.A.P.; Tiggemann, C.L.; Kruel, L.F.M. Respostas da frequência cardíaca, consumo de oxigênio e sensação subjetiva ao esforço em um exercício de hidroginástica executado por mulheres em diferentes situações com e sem o equipamento Aquafins. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 14. Num. 4. 2008. p.357-361.

-Schleihauf, R. Forces in a Fluid Medium. In: Schleihauf, R. Biomechanics of Human Movement. Bloomington. 2004. p.323-340.

-Souza, W.O.D.C; Albergaria, M.B.; Ferreira, C.A.; Melo, L.C.; Soares, J. Relação entre frequência cardíaca e a percepção subjetiva de esforço de praticantes de hidroginástica. Coleção Pesquisa em Educação. Vol. 6. Num. 1. 2007. p.471-478.

-Sawyer, S. F. Analysis of Variance: The Fundamental Concepts. The Journal of Manual and Manipulative Therapy. Vol. 17. Num. 2. 2009. p.27-38.

-Takeshima, N.; Rogers, M.E.; Watanabe, E.; Brechue, W.F.; Okada, A.; Yamada, T.; Islam, M.M.; Hayano, J. Water-based exercise improves health-related aspects of fitness in older women. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 34. Num. 3; 2002. p.544-551.

-Teixeira, C.S.; Lemos, L.F.C.; Mann, L; Rossi, A.G. Hidroginástica para idosos: qual o motivo da escolha? Saluvista. Vol. 28. Num. 2. 2008. p.183-191.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui