Não há diferença no gasto calórico e nas variáveis cardiovasculares entre exercício físico de corrida realizado de forma contínua e intervalada

André Arantes Sotério, Vilmar Baldissera, José Campanholi Neto, Autran José da Silva Júnior

Resumo


Introdução: Para redução do peso corporal a literatura preconiza exercício físico aeróbio com duração de 30 minutos de intensidade moderada e contínuo. Objetivo: Comparar o comportamento da frequência cardíaca, pressão arterial, escala de Borg e gasto calórico em exercício moderado aeróbio contínuo e intervalado. Método: Dez homens realizaram duas sessões de exercícios aeróbios de 30 minutos de duração, uma contínua (EAC) na intensidade do LA e uma intervalada (EAI) entre 80% a 120% do LA. Foram obtidos dados da FC, PA, Borg e gasto calórico durante o esforço (10`, 20`e 30`) e a recuperação (R10`, R20`e R30`). Resultados: A FC em repouso, durante o esforço (10`, 20`e 30`) e recuperação (R10`, R20`e R30`) para EAC foram, respectivamente: 79 ± 10,7; 157 ± 22,6; 159 ± 18,5; 161 ± 24,0; 96 ± 11,1; 91 ± 14,9 e 87 ± 14,9bpm para EAI foram: 81 ± 13,6; 153 ± 18,6; 163 ± 18,2; 168 ± 20,5; 93 ± 12,0; 91 ± 12,3 e 87 ± 14,0bpm. Para PAS (repouso e R10`, R20`e R30`) para EAC foram: 117,5 ± 4,7; 121,3 ± 18,8; 115,0 ± 9,3; 112,5 ± 7,1 e 110,0 ± 7,6mmHg e para EAI 117,5 ± 8,9; 126,3 ± 20,0; 118,8 ± 11,3; 112,5 ± 10,4 e 111,3 ± 11,3mmHg. Escala de Borg (10`, 20`e 30`) para EAC foram: 11,4 ± 0,7; 12,3 ± 1,2 e 13,0 ± 1,1 e para EAI foram: 11,1 ± 0,8; 12,2 ± 1,6 e 12,8 ± 2,6. Para o gasto calórico (em 30`e 60`) para EAC foram: 692,6 ± 50,9 e 976,6 ± 128,0Kcal e para EAI foram: 613,6 ± 148,1 e 895,6 ± 262,8Kcal. Conclusão: Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os dados avaliados nas sessões. O EAI não foi capaz de promover maior estresse que o EAC, talvez devido a intensidade, acreditamos que intervalos maiores do % do LA possam promover melhores respostas fisiológicas.

 

ABSTRACT 

There is no difference in the caloric expenditure and in the cardiovascular variables between physical exercise of race performed in a continuous and interval

Introduction: Regular exercise allows the reduction and control of body weight, according to the ACSM should present this 30-minute duration and moderate intensity, but this normative interval does not include aerobic exercise. Objective: To compare the behavior of heart rate, blood pressure, Borg scale and caloric expenditure between continuous and interval exercise. 10 men, underwent two aerobic exercises 30 minutes long, continuous (CAE) in the intensity of the LA and the interval (IAE) between 80% to 120% of LA. Were measured HR, BP, Borg scale and caloric expenditure. Results: HR at rest, during exercise (10`, 20`e 30`) and recovery (R10`, R20`e R30`) for CAE were, respectively: 79 ± 10.7; 157 ± 22.6; 159 ± 18.5; 161 ± 24.0; 96 ± 11.1; 91 ± 14.9 and 87 ± 14,9bpm to IAE were 81 ± 13.6; 153 ± 18.6; 163 ± 18.2; 168 ± 20.5; 93 ± 12.0; 91 ± 12.3 and 87 ± 14,0bpm. For BP (rest and R10`, R20`e R30`) for CAE were: 117.5 ± 4.7; 121.3 ± 18.8; 115.0 ± 9.3; 112.5 ± 7.1 and 110.0 ± 7,6mmHg and IEA 117.5 ± 8.9; 126.3 ± 20.0; 118.8 ± 11.3; 112.5 ± 10.4 and 111.3 ± 11,3mmHg. Borg scale (10`, 20`e 30`) for CAE were: 11.4 ± 0.7; 12.3 ± 1.2 and 13.0 ± 1.1 and IAE were: 11.1 ± 0.8; 12.2 ± 1.6 and 12.8 ± 2.6. To caloric expenditure (in 30`e 60`) for CEA were 692.6 ± 50.9 and 976.6 ± 128,0Kcal and IEA were 613.6 ± 148.1 and 895.6 ± 262, 8Kcal. Conclusion: No difference between the exercise were found. The IAE was unable to promote greater stress than the EAC, perhaps because of the intensity, we believe that longer intervals of% of LA may promote improved physiological responses.


Palavras-chave


Exercício aeróbio; Demanda energética; Frequência cardíaca

Texto completo:

PDF

Referências


-ACSM, A. C. O. S. M.-. Manual do ACSM para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Guanabara Koogan. 2006.

-Anjos, L. A. Índice de massa corporal (massa corporal. estatura-2) como indicador do estado nutricional de adultos: revisão da literatura. Rev Saude Publica. Vol. 26. Num. 6. p. 431-436. 1992.

-Beilke, D. D.; e colaboradores. Comparação do gasto energético entre os modelos de aula de hidroginástica contínuo e intervalado. Salão de Iniciação Científica (20.: 2008 out. 20-24: Porto Alegre, RS). Livro de resumos. Porto Alegre: UFRGS. 2008.

-Bluher, M.; e colaboradores. Circulating adiponectin and expression of adiponectin receptors in human skeletal muscle: associations with metabolic parameters and insulin resistance and regulation by physical training. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Vol. 91. Num. 6. p. 2310-2316. 2006.

-Buckley, J. Exercise self-efficacy intervention in overweight and obese women. Journal of health psychology. Vol. 21. Num. 6. p. 1074-1084. 2016.

-Burgomaster, K. A.; e colaboradores. Similar metabolic adaptations during exercise after low volume sprint interval and traditional endurance training in humans. The Journal of physiology. Vol. 586. Num. 1. p. 151-160. 2008.

-Da Silva, R. C. R.; Malina, R. M. Nível de atividade física em adolescentes do Município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil Level of physical activity in adolescents from Niterói, Rio de Janeiro, Brazil. Cad. Saúde Pública. Vol. 16. Num. 4. p. 1091-1097. 2000.

-Daimon, M.; e colaboradores. Decreased serum levels of adiponectin are a risk factor for the progression to type 2 diabetes in the Japanese population. Diabetes Care. Vol. 26. Num. 7. p. 2015-2020. 2003.

-Fonseca-Junior, S. J.; e colaboradores. Physical exercise and morbid obesity: a systematic review. ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva. Vol. 26. p. 67-73. 2013.

-Gibala, M. J.; e colaboradores. Short‐term sprint interval versus traditional endurance training: similar initial adaptations in human skeletal muscle and exercise performance. The Journal of physiology. Vol. 575. Num. 3. p. 901-911. 2006.

-Gonelli, P. R. G.; e colaboradores. Efeito agudo do lactato sérico de sessões de treino contínuo e intervalado, em jogadores de futebol universitários. [s.d.].

-Guimarães, D. E. D.; e colaboradores. Adipocitocinas: uma nova visão do tecido adiposo. Rev. Nutr. p. 549-559. 2007.

-Gus, M.; e colaboradores. Associação entre diferentes indicadores de obesidade e prevalência de hipertensão arterial. Arq Bras Cardiol. Vol. 70. Num. 2. p. 111-114.1998.

-Hotta, K.; e colaboradores. Plasma concentrations of a novel, adipose-specific protein, adiponectin, in type 2 diabetic patients. Arteriosclerosis, thrombosis, and vascular biology. Vol. 20. Num. 6. p. 1595-1599. 2000.

-Magalhães, V. C.; Mendonça, G. Prevalência e fatores associados a sobrepeso e obesidade em adolescentes de 15 a 19 anos das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, 1996 a 1997. Cad Saude Publica. Vol. 19. Num. s1. 2003.

-Monteiro, L. V.; Pereira, S. C. G.; Abad, C. C. Efeitos do treinamento aeróbico contínuo e intervalado no perfil lipídico sanguíneo de mulheres com excesso de gordura corporal. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 4. Num. 21. p. 270-276. 2010. Disponível em:

-OPAS, O. P.-A. D. S.-.; OMS, O. M. D. S.-. Doenças crônico-degenerativas e obesidade: estratégia mundial de alimentação saudável, atividade física e saúde. Organização Panamericana da Saúde/OMS. Brasília. 2003.

-Pitanga, F. J. G.; Lessa, I. Prevalência e fatores associados ao sedentarismo no lazer em adultos Prevalence and variables associated with leisure-time sedentary lifestyle in adults. Cad. Saúde Pública. Vol. 21. Num. 3. p. 870-877. 2005.

-Popkin, B. M. The shift in stages of the nutrition transition in the developing world differs from past experiences! Public health nutrition. Vol. 5. Num. 1A. p. 205-214. 2002.

-Rosa, E. C.; e colaboradores. Obesidade visceral, hipertensão arterial e risco cárdio-renal: uma revisão. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Vol. 49. Num. 2. p. 196-204. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui