Efeito das aulas de ginástica escolar nos níveis de atividade física: jump na Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Vanilson Batista Lemes, Caroline Brand, Arieli Fernandes Dias, Rodrigo Baptista Moreira, Adroaldo Cezar Araujo Gaya, Anelise Reis Gaya

Resumo


Intervenções realizadas no ambiente escolar, quando planejadas e bem conduzidas, parecem ser efetivas para promover um estilo de vida ativo e saudável em crianças, jovens e adultos. Portanto, o objetivo do presente estudo é verificar o efeito de aulas de ginástica escolar em mini trampolim nos níveis de atividade física de escolares da EJA. Trata-se de uma investigação semi experimental, com abordagem quantitativa, da qual participaram 21 sujeitos. As aulas de jump aconteceram 3 vezes por semana em períodos de 30 minutos, durante um semestre. O nível de atividade física foi mensurado por pedômetro em 3 momentos (março, maio e julho). Para análise de dados verificou-se o efeito entre os momentos ajustados para idade, massa corporal, estatura e sexo, através de equações de estimativas generalizadas (GEE). O principal resultado demonstrou que o nível de atividade física aumentou em grande proporção ao longo de um semestre letivo (de março para maio: ∆=17,9 passos/min; efeito f2 cohen=0,20; de maio para julho: ∆=17,9 passos/min; efeito f2 cohen=0,44; e de março para julho: ∆=35,8 passos/min; efeito f2 cohen=0,96). Dessa forma, se conclui que as aulas de educação física escolar da EJA, realizadas em mini trampolim, foram capazes de produzir um grande efeito sobre os níveis de atividade física dos alunos.

 

ABSTRACT 

Effect of gymnastic school lessons on the student’s physical activity levels: jump in young and adult education (YAE)

Environmental School interventions, when planned and organized, seem to be effective to promote a healthy and active lifestyle to children, youths and adults. Thus, the objective of the present study is to verify the effect of gymnastic school lessons in mini trampoline (Jump) on the student’s physical activity levels of Young and Adult Education (YAE). It is a semi experimental investigation, with quantitative approach, which had 21 subjects. The jump lessons was realized 3 times per week, in periods of 30 minutes. The physical activity levels was measured with pedometer, in 3 moments (march, may and july). To date analyze, it was verified the effect between moments, it was adjusted to age, body mass, height and sex, with use the generalized estimated equations (GEE). The main result showed that physical activity level improved in large proportion over a Scholl semester (march to may: ∆=17,9 steps/minute; effect f2 cohen=0,20; may to july: ∆=17,9 steps/minute; effect f2 cohen=0,44; e de march to july: ∆=35,8 steps/minute; effect f2 cohen=0,96). Thus, it was concluded that physical education lessons of YAE, realized in mini trampoline, was able to generate a large effect on the student’s physical activity levels.


Palavras-chave


Planejamento em Saúde; Saúde escolar; Educação Física e Treinamento

Texto completo:

PDF

Referências


-Andaki, A. C. R.; Tinoco, A. L. A.; Andaki, R.; Santos, A.; Brito, C. J.; Mendes, E. L. Nível de atividade física como preditor de fatores de risco cardiovasculares em crianças. Motriz. Revista de Educacao Fisica. Vol. 19. Num. 3. 2013.

-Association, W. M. World Medical Association Declaration of Helsinki: Ethical Principles for Medical Research Involving Human Subjects. JAMA: the journal of the American Medical Association. Vol. 310. Num. June 1964. p. 1-5. 2013.

-Barney, D.; Prusak, K. A. Effects of Music on Physical Activity Rates of Elementary Physical Education Students. The physical educator. Vol. 72. p. 236-244. 2015.

-Brasil, Ministério da saúde do. Escolas Promotoras de Saúde : experiências no Brasil. 2007.

-Burgos, M. S.; Reuter, C. P.; Possuelo, L. G.; Valim, A. R. D. M.; Renner, J. D. P.; Tornquist, L.; Tornquist, D.; Gaya, A. R. Obesity parameters as predictors of early development of cardiometabolic risk factors. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Num. 8. p. 2381-2388. 2015.

-Carvalho, R. M. Educação Física na Educação de Jovens e Adultos. Revista Lugares de Educação. Vol. 3. Num. 5. p. 37-49. 2013.

-Casajus, J. A.; Ortega, F. B.; Vicente-Rodriguez, G.; Leiva, M. T.; Moreno, L. A.; Ara, I. Physical fitnnes, fat distribution and health in school-age children (7 to 12 years). Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Fisica y del Deporte. Vol. 12. Num. 47. p. 523-537. 2012.

-Choi, B. C. K.; Pak, A. W. P.; Choi, J. C. L.; Choi, E. C. L. Daily step goal of 10,000 steps: A literature review. Clinical and Investigative Medicine. Vol. 30. Num. 3. p. 146-152. 2007.

-De Barros, M. V. G.; Nahas, M. V.; Hallal, P. C.; De Farias Júnior, J. C.; Florindo, A. A.; Honda De Barros, S. S. Effectiveness of a school-based intervention on physical activity for high school students in Brazil: the Saude na Boa project. Journal of physical activity & health. Vol. 6. Num. 2. p. 163-169. 2009.

-Denti, J.; Vargas, Â. A influência da dança de rua no nível de ansiedade das mulheres que frequentam o Ensino de Jovens e Adultos - EJA da Escola Estadual Cardeal Roncalli - Frederico Westphalen-RS, Brasil. Fiep Bulletin. Vol. 83. p. 628-630. 2013.

-Di Pierro, M. C. Youth and adult education in the national plan for education: assessment, challenges and perspectives. Educação & Sociedade. Vol. 31. p. 939-959. 2010.

-Donath, L.; Roth, R.; Hohn, Y.; Zahner, L.; Faude, O. The effects of Zumba training on cardiovascular and neuromuscular function in female college students. European Journal of Sport Science. Vol. 14. Num. 6. p. 569-577. 2014.

-Furtado, E.; Simão, R.; Lemos, A. Análise do consumo de oxigênio, freqüência cardíaca e dispêndio energético, durante as aulas do Jump Fit. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 10. p. 371-375. 2004.

-Gaya, A.; Lemos, A.; Gaya, A.; Teixeira, D.; Pinheiro, E.; Moreira, R. PROESP-Br. Manual de testes e avaliação. Porto Alegre. 2015.

-Grossl, T.; Guglielmo, L. G. A. C.; Silva, J. F. Determinação da intensidade da aula de Power Jump por meio da freqüência cardíaca. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 10. Num. 2. p. 129-136. 2008.

-Guimarães, L. S. P.; Hirakata, V. N. Uso de modela de equações de estimativas generalizadas na análise de dados longitudinais. Revista HCPA. Vol. 32. Num. 4. p. 503-511. 2012.

-Lemes, V. B.; Gaya, A.; Moreira, R.; Gaya, A. Níveis de atividade física em dois modelos de aulas de Educação Física. Cinergis. Vol. 16. Num. 4. p. 231-236. 2015.

-Lindenau, J. D.R.; Guimarães, L. S. P. Calculando o tamanho de efeito no SPSS. Revista HCPA. Vol. 32. Num. 3. p. 363-381. 2012.

-Lonsdale, C.; Rosenkranz, R. R.; Peralta, L. R.; Bennie, A.; Fahey, P.; Lubans, D. R. A systematic review and meta-analysis of interventions designed to increase moderate-to-vigorous physical activity in school physical education lessons. Preventive Medicine. Vol. 56. Num. 2. p. 152-161. 2013.

-Machado, M. M. Formação de professores para EJA. Revista Retratos da Escola. Vol. 2. Num. 2-3. p. 161-174. 2008.

-Mears, D. Curriculum Diversity and Young Adult Physical Activity: Reflections from High School Physical Education. Physical Educator. Vol. 65. Num. 4. p. 195-207. 2008.

-Oliveira, M. F. Combate a evasão na educação de jovens e adultos: relato de uma experiência significativa na Escola Estadual Mal. H. Alencar Castelo Branco. 2002. Disponível em: .

-Ortega, F. B.; Ruiz, J. R.; Castillo, M. J.; Sjöström, M. Physical fitness in childhood and adolescence: a powerful marker of health. International Journal of Obesity. Vol. 32. Num. 1. p. 1-11. 2008.

-Perantoni, C.; Deresz, C.; Lauria, A.; Lima, J.; Novaes, J. Análise da intensidade de uma sessão de Jump Training. Fitness & Performance Journal. Vol. 8. Num. 4. p. 286-290. 2009.

-Reis, R. S.; Petroski, E. L.; Lopes, A. D. S. Medidas da atividade física: Revisão de métodos. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 2. Num. 1. p. 89-96. 2000.

-Saunders, T. J.; Gray, C. E.; Borghese, M. M.; McFarlane, A.; Mbonu, A.; Ferraro, Z. M.; Tremblay, M. S. Validity of SC-StepRx pedometer-derived moderate and vigorous physical activity during treadmill walking and running in a heterogeneous sample of children and youth. Bmc Public Health. Vol. 14. p. 519. 2014.

-Scruggs, P.; Mungen, J.; Oh, Y. Physical Activity Measurement Device Agreement: Pedometer Steps/Minute and Physical Activity Time. Measurement in Physical Education and Exercise Science. Vol. 14. Num. 3. p. 151-163. 2010a.

-Scruggs, P. W. Quantifying activity time via pedometry in fifth- and sixth-grade physical education. Journal of physical activity & health. Vol. 4. Num. 2. p. 215-227. 2007.

-Scruggs, P. W.; Mungen, J. D.; Oh, Y. Quantifying Moderate to Vigorous Physical Activity in High School Physical Education: A Pedometer Steps/Minute Standard. Measurement in Physical Education and Exercise Science. Vol. 14. Num. 2. p. 104-115. 2010b.

-Tani, G. Abordagem Desenvolvimentista: 20 Anos Depois. Revista da Educação Física/UEM. Vol. 19. Num. 3. p. 313-331. 2008.

-Wood, C.; Hall, K. Physical education or playtime: which is more effective at promoting physical activity in primary school children? BMC Research Notes. Vol. 8. Num. 1. p. 8-12. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui