Análise da produção científica da atividade eletromiográfica do peitoral maior, deltoide anterior e tríceps braquial, no exercício do supino reto e suas variações

Mylena Aparecida Rodrigues Alves, Arthur Olivo da Silva, Marcus William Hauser, Leandro Martinez Vargas

Resumo


O exercício mais popular para se desenvolver os músculos localizados na região superior do tronco é o supino reto com barra livre. Muitos trabalhos com análise por eletromiografia (EMG) tem investigado a ativação nos músculos motores primários: peitoral maior, deltoide anterior e tríceps braquial nesse exercício. O objetivo da presente pesquisa foi comparar por meio de uma revisão da literatura os estímulos oriundos de variações de exercícios na ativação dos músculos primários que envolvem o exercício do supino reto analisados através da EMG. Este trabalho investigou 29 artigos, dos quais foram selecionados oito para uma revisão com análise. Observou-se que em todos os estudos analisados o exercício supino com halteres, crucifixo reto, crucifixo na máquina, supino reto no Smith, supino reto com tubo no banco fixo, supino reto com barra livre (instável), supino reto na barra livre sobre bola e push-up com resistência elástica, apresentaram uma ativação EMG similar nos músculos motores primários em comparação ao exercício supino reto. Considerando a similaridade nas respostas eletromiográficas dos exercícios destinados a ativação simultânea do peitoral maior, deltoide anterior, tríceps braquial em comparação ao supino reto com barra livre, pode-se concluir que essas variações são boas opções para promover resultados satisfatórios em situações de indisponibilidade de realização do supino reto ou quando o programa optar por variar os tipos de exercícios sem prejudicar a intensidade do treinamento. Também pode-se dizer que essas variações podem ser utilizadas em aplicações terapêuticas ou em situações de assimetria muscular.

 

ABSTRACT

Analysis of the scientific production of the electromyography activity of the pectoralis major, anterior deltoid and triceps brachii, in the exercise of the supine rectum and its variations

The most popular exercise to grow upper limbs muscles is bench press with free barbell. Many researches with analysis by electromyography (EMG) had investigated the activations of the motion primary muscles: pectoralis major, anterior deltoid and triceps brachial in this exercise. The aims of this study was to compare through of a review of the literature, the stimulus that came from exercise variations on the bench press on primary muscles analyzed by EMG. The present paper investigated 29 articles, of which were selected eight for a review of the literature with analysis. It was observed that in all the analyzed study, the exercise bench press with dumbbell, chesty fly, fly machine, bench press on Smith, bench press with hollow barbell, bench press with free barbell (unstable), bench press in the free barbell under ball and push-up with elastic resistance, showed the same activations EMG in the primary muscles in comparison to the exercise bench press. Considering the similarity in the electromyographic responses of the exercises intended for the simultaneous activation of the pectoralis major, anterior deltoid and triceps brachial in comparison to bench press with free barbell, it can be conclude that these various exercises are good options to promote satisfactory results in moments in moments that the bench press with free barbell exercise is not available or when training program choose to diversify the types of exercise without damaging the training. In additional, it can it can be said that these variations can be used in therapeutic applications or in situation of muscular asymmetry.


Palavras-chave


Musuclação; Membros Superiores; Treinamento de Força; EMG

Texto completo:

PDF

Referências


-Calatayud, J.; Borreani, S.; Colado, J.C.; Martin, F.; Tella, V.; Andersen, L.L. Bench press and push-up at comparable levels of muscle activity results in similar strength gains. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 29. Núm. 1. 2015. p. 246-253.

-Cheung, A.M.; Giangregorio, L. Mechanical stimuli and bone health: what is the evidence? Current Opinion in Rheumatology. Vol. 24. Núm. 5. 2012. p. 561-566.

-Council on Sports Medicine and Fitness. Strength Training by Children and Adolescents. Pediatrics. Vol. 121. 2008. p. 835-840.

-Cyrino, E.S.; e colaboradores. Comportamento da flexibilidade após 10 semanas de treinamento com pesos. Revista Brasileira Mededicina Esporte. Vol. 10. Núm. 4. 2004. p. 233-237.

-Da Rosa, D.; Pereira Junior, M.; Lazarini Junior, J. R.; Ornellas, F. H.; Pohl, H. H. A influência da aplicação de exercícios de tríceps sobre a estimulação do peitoral no exercício supino reto: Um estudo eletromiográfico. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 8. Núm. 44. 2014. p. 201-208. Disponível em:

-Donges, C.E.; Duffield, R.; Drinkwater, E.J. Effects of Resistance or Aerobic Exercise Training on Interleukin-6, C-Reactive Protein, and Body Composition. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 42. Núm. 2. 2010. p. 304-313.

-Dunnick, D.D.; e colaboradores. Bench press upper-body muscle activation between stable and unstable loads. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 29. Núm. 12. 2015. p. 3279-3283.

-Geraldes, A.A.R.; e colaboradores. Efeitos de um Programa de Treinamento Resistido com Volume e Intensidade Moderados e Velocidade Elevada sobre o Desempenho Funcional de Mulheres Idosas. Revista Brasileira Ciência e Movimento. Vol. 15. Núm. 2. 2007. p. 53-60.

-Giorgio, P.; Samozino, P.; Morin, J.B. Multigrip flexible device: electromyographical analysis and comparison with the bench press exercise. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 23. Núm. 2. 2009. p. 652-659.

-Joshua, M.A.; e colaboradores. Effectiveness of Progressive Resistance Strength Training Versus Traditional Balance Exercise in Improving Balance Among the Elderly - A Randomised Controlled Trial. Journal of Clinical and Diagnostic Research. Vol. 8. Núm. 3. 2014. p. 98-102.

-Júnior, V.A.R.; Gentil, P.; Oliveira, E.; Carmo, J. Comparação entre a atividade EMG do peitoral maior, deltóide anterior e tríceps braquial durante os exercícios supino reto e crucifixo. Revista Brasileira do Medicina Esporte. Vol. 13. Núm. 1. 2007. p. 51-54.

-Kraemer, W.J.; e colaboradores. American College of Sports Medicine position stand. Progression models in resistance training for healthy adults. American College of Sports Medicine. Vol. 34. Núm. 2. 2002. p. 364–380.

-Lehman, G.J. The Influence of Grip Width And Forearm Pronation/Supination on Upper-Body Myoeletric Activity During the Flat Bench Press. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 19. Núm. 3. 2005. p. 587-591.

-Marchetti, P.H.; e colaboradores. Exercício supino: uma breve revisão sobre os aspectos biomecânicos. Brazilian Journal of Sports and Exercise Research. Vol. 1. Núm. 2. 2010. p.135-142.

-Nairn, B.C.; Sutherland, C.A.; Drake, J.D. M. Location of instability during a bench press alters movement patterns and electromyographical activity. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 29. Núm. 13. 2015. p. 3162-3170.

-Ocarino, J.M.; e colaboradores. Eletromiografia: interpretação e aplicações nas ciências da reabilitação. Fisioterapia Brasileira. Vol. 6. Núm. 4. 2005. p. 305-310.

-Reiser, F.C.; de Moura, J. A. R.; Cardoso, J. M. D.; Grzelczak, M. T.; de Souza, W. C.; Mascarenhas, L. P. G. Eletromiografia do exercício de crucifixo em diferentes planos e angulações de movimento. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 8. Núm. 50. 2014. p.864-870. Disponível em:

-Schick, E.E.; e colaboradores. A comparison of muscle activation between a Smith machine and free weight bench press. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 24. Núm. 3. 2010. p. 779-784.

-Silva, J.L.; e colaboradores. Efeitos do Treinamento Resistido na Lipoproteína de Baixa Densidade. Revista Brasileira Mededicina do Esporte. Vol. 16. Núm. 2010. p. 71-77.

-Soares, E.D.; e colaboradores. Treinamento resistido na redução da porcentagem de gordura corporal: uma revisão baseada em evidências. Revista Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. Vol. 6. Núm. 2. 2014. p. 2.

-Strasser, B.; Pesta, D. Resistance Training for Diabetes Prevention and Therapy: Experimental Findings and Molecular Mechanisms. BioMed Research Internationa, Vol. 2013. 2013. p. 1-8.

-Terra, D.F.; e colaboradores. Redução da pressão arterial e do duplo produto de repouso após treinamento resistido em idosas hipertensas. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 91. Núm. 5. 2008. p. 299-305.

-Welsch, E. A.; Bird, M.; Mayhew, J.L. Eletromyography Acityvit of the Pectoralis Major and Anterior Deltoid Muscle During Three Upper-Body Lifts. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 19. Núm. 2. 2005. p. 449-452.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui