Relação entre o nível de atividade física e hipertensão arterial em adolescentes

Jéssica Marliere de Castro, Elizângela Fernandes Ferreira, Rômulo José Mota Júnior, Renata Aparecida Rodrigues de Oliveira

Resumo


Introdução: A hipertensão arterial é uma doença crônica, que altera os níveis pressóricos nas artérias fazendo com que o coração realize um esforço maior para circular o sangue nos vasos sanguíneos. Objetivo: Verificar a relação entre a hipertensão arterial e o nível de atividade física em adolescentes. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo descritivo, no período de agosto a dezembro de 2016, com 70 alunos de ambos os sexos, do ensino médio de uma escola pública da cidade de Tocantins-MG. Foi aplicado o Questionário Internacional de Atividade Física, para avaliação do nível de atividade física. A pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) foi obtida por meio do método auscultatório. E cálculo do índice de massa corporal (IMC) foi realizado através das medidas do peso e estatura dos mesmos.  Resultados: Do total de avaliados, 2,9% foram classificados como pré-hipertensos e 1,4% hipertensos. Com relação ao nível de atividade física, 15,7% dos avaliados foram considerados muito ativos e 27,1% ativos; entretanto 41,4% eram insuficientemente ativos A, 12,9% insuficientemente ativo B e 2,9% sedentários. Não foram encontradas diferenças nos níveis pressóricos, entre os grupos segundo o nível de atividade física (p>0,05). Porém, verificou-se uma correlação fraca entre a PAS com o peso e estatura, e entre a PAD e IMC, além disso, foi observada uma correlação regular entre a PAD e o peso dos avaliados. Conclusão: Apenas um reduzido número de adolescentes apresenta níveis alterados de pressão arterial, e esta não apresenta associação com o nível de atividade física.

 

ABSTRACT 

Relationship between the level of physical activity and arterial hypertension in adolescents

Introduction: Hypertension is a chronic disease that changes blood pressure levels in the arteries causing the heart to make a greater effort to circulate blood in the blood vessels. Objective: To verify the relationship between arterial hypertension and the level of physical activity in adolescents. Materials and Methods: A descriptive study was carried out between August and December 2016, with 70 students of both sexes, from the high school of a public school in the city of Tocantins-MG. The International Physical Activity Questionnaire was applied to assess the level of physical activity. Systolic blood pressure (SBP) and diastolic blood pressure (DBP) were obtained by means of the auscultatory method. Body mass index (BMI) was calculated by measuring their weight and height. Results: Of the total of evaluated, 2.9% were classified as prehypertensive and 1.4% hypertensive. Regarding the level of physical activity, 15.7% of the evaluated ones were considered very active and 27.1% active; However 41.4% were insufficiently active A, 12.9% insufficiently active B and 2.9% sedentary. There were no differences in pressure levels between groups according to the level of physical activity (p> 0.05). However, there was a weak correlation between SBP with weight and height, and between DBP and BMI, in addition, a regular correlation was observed between DBP and the weight of the evaluated ones. Conclusion: Only a small number of adolescents present altered levels of blood pressure, and this is not associated with the level of physical activity.


Palavras-chave


Doenças Crônicas Degenerativas; Hipertensão Arterial; Atividade Física; Adolescentes

Texto completo:

PDF

Referências


-Araújo, T. L.; Lopes, M. V. O.; Cavalcante, T. F.; Guedes, N. G.; Moreira, R. P.; Chaves, E. S.; Silva, V. M. Análise de indicadores de risco para hipertensão arterial em crianças e adolescentes. Revista Escola Enfermagem USP. Vol. 42. Núm.1. p. 120-126. 2008.

-Bernardo, A. F. B.; Rossi, R. C.; Souza, N. M.; Pastre, C. M.; Vanderlei, L. C. M. Associação entre atividade física e fatores de risco cardiovasculares em indivíduos de um programa de reabilitação cardíaca. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 19. Núm. 4. p. 231-235. 2013.

-Borth, J. F.; Sartori, L. I. M.; Siqueira, P. C. M. Os benefícios da atividade física para hipertensos. EFDeportes - Revista Digital. ano 15. Núm.147. 2010.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2011: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde. 2011.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde. p. 128. Núm. 37. 2014.

-Colombo, C. M.; Macedo, R. M.; Fernandes-Silva, M. M.; Corporal, A. M.; Stinghen, A. E.; ConstantinI, C. R.; Baena, C. P.; Guarita-Souza, L. C.; Faria-Neto, J. R. Efeito de curto prazo de um programa de atividade física moderada em pacientes com síndrome metabólica. Einstein. Vol. 11. Núm. 3, p. 324-330. 2013.

-Faria, F. R.; Canabrava, K. L. R.; Hills, A. P.; Amorim, P. R. S. Intensidade e sazonalidade da atividade física de crianças durante o recreio escolar. Revista de educação Física/UEM. Vol. 25. Núm. 1. p. 117-125. 2014.

-Ferreira, J. S.; Aydos, R. D. Prevalência de hipertensão arterial em crianças e adolescentes obesos. Revista Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 15. Núm. 1. p. 97-104. 2010.

-Gonçalves, V. S. S.; Galvão, T. F.; Andrade, K. R. C.; Dutra, E. S.; Bertolin, M. N. T.; Carvalho, K. M. B.; Pereira, M. G. Prevalência de hipertensão arterial entre adolescentes: revisão sistemática e metanálise. Revista de Saúde Pública. Vol. 50. Núm. 27. 2016.

-Huang, P. L. A comprehensive definition for metabolic syndrome. Disease Models and Mechanisms. Vol. 2. p. 231-237. 2009.

-Inácio, T. B.; Machado, M. C. Hipertensão e fatores de risco cardiovascular de um grupo de indivíduos adultos atendidos no ambulatório de especialidades médicas da UNISUL. Arquivo Brasileiro de Cardiologia. Vol. 85. Núm. 1. 2005.

-International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). Scoring Protocol. 2005. Disponível em: . Acesso em: 08 Ago. 2016.

-Jackson, C.; Herber-Gast, G.; Brown, W. Joint effects of physical activity and BMI on risk of hypertension in women: a longitudinal study. Journal of Obesity. New York. 2014.

-Kelishadi, R.; Heshmat, R.; Ardalan, G.; Qorbani, M.; Taslimi, M.; Poursafa, P.; Keramatianh, K.; Taheric, M.; Motlagh, M. E. First report on simplified diagnostic criteria for pre-hypertension and hypertension in a national sample of adolescents from the Middle East and North Africa: the CASPIAN-III study. Jornal de Pediatria. Vol. 90. Núm. 1. p. 85-91. 2014.

-Martins, M. C. C.; Ricarte, I. F.; Rocha, C. H. L.; Maia, R. B.; Silva, V. B.; Veras, A. B.; Souza-Filho, M. D. Pressão Arterial, Excesso de Peso e Nível de Atividade Física em Estudantes de Universidade Pública. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 2. p. 192-199. 2010.

-Medina, F. L.; Lobo, F. S.; Souza, D. R.; Kanegusuku, H.; Forjaz, C. L. M. Atividade física: impacto sobre a pressão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão. Vol. 7. p. 103-106. 2010.

-Moura, A. A.; Silva, M. A. M.; Ferraz, M. R. M. T.; Rivera, I. R. Prevalência de pressão arterial elevada em escolares e adolescentes de Maceió. Jornal de Pediatria. Vol. 80. Núm.1. 2004.

-Moura, I. H.; Vieira, E. E. S.; Silva, G. R. F.; Carvalho, R. B. N.; Silva, A. R. V. Prevalência de hipertensão arterial e seus fatores de risco em adolescentes. Acta Paulista Enfermagem. Vol. 28. Núm. 1. p. 81-86. 2015.

-Moreira, O. C.; Oliveira, R. A. R.; Neto, F. A.; Amorim, W.; Oliveira, C. E. P.; Doimo, L. A.; Amorim, P. R. S.; Laterza, M. C.; Monteiro, W. D.; Marins, J. C. B. Associação entre risco cardiovascular e hipertensão arterial em professores universitários. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 25. Núm. 3. p. 397-406. 2011.

-Oliveira, R. A. R.; Júnior, R. J. M.; Tavares, D. D. F.; Moreira, O. C.; Marins, J. C. B. Fatores associados à pressão arterial elevada em professores da educação básica. Revista de Educação Física/UEM. Vol. 26. Núm. 1. p. 119-129. 2015.

-Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Doenças crônico-degenerativas e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. Brasília, DF. 2003.

-Pinto, S. L.; Silva, R. C. R.; Priore, S. E.; Assis, A. M. O.; Pinto, E. J. Prevalência de pré-hipertensão e de hipertensão arterial e avaliação de fatores associados em crianças e adolescentes de escolas públicas de Salvador, Bahia, Brasil. Caderno de Saúde Pública. Vol. 27. Núm. 6. p. 1065-1076. 2011.

-Polito, M. D.; Farinatti, P.T.V. Resposta da frequência cardíaca, pressão arterial e duplo-produto ao exercício contra a resistência: Uma revisão da literatura. Revista Portuguesa do Desporto. Vol. 3. Núm. 1. 2003.

-Silva, D. A. S.; Lima, L. R. A.; Dellagrana, R. A.; Bacil, E. D. A.; Rech, C. R. Pressão arterial elevada em adolescentes: prevalência e fatores associados. Revista Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 18. Núm. 11. p. 2391-3400. 2013a.

-Silva, S. L.; Madrid, B; Martins, C. M.; Queiroz, J. L.; Silva, F. M.; Dutra, M. T. Influência de fatores antropométricos e atividade física na pressão arterial de adolescentes de Taguatinga, Distrito Federal, Brasil. Motricidade. Vol. 9. Núm. 1. p. 13-22. 2013b.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 89. Núm. 3. 2007.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia.VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Suplemento 1. Vol. 95. Núm. 1. p. 1-51. 2010.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Posicionamento Brasileiro Sobre Hipertensão Arterial Resistente. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 99. Núm. 1. 2012.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz Brasileira de prevenção cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Suplemento 2. Vol. 101. Núm. 6. 2013.

-Xavier, S. A.; Ferreira, E. F.; Carneiro-Júnior, M. A.; Oliveira, R. A. R. Prevalência de sobrepeso e obesidade em alunos de uma escola pública. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 9. Núm. 56. p. 622-629. 2015. Disponível em:

-Zhang, L.; Qin, L.; Liu, A.; Wang, P. Prevalence of risk factors for cardiovascular disease ant their associations with diet and physical activity in Suburban Beijing, China. Journal of Epidemiology. Tokyo. Vol. 20. Núm. 3. p. 237-243. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui