Respostas neuromusculares ao treinamento de sprints

Lucas Ian Sarmento Farnum, Rodolfo de Azevedo Raiol, Déborah Araújo Farias, Victor Silveira Coswig

Resumo


O treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) apresenta elevada relevância na preparação física esportiva e apresenta aumento de popularidade em academias. Nesse sentido, o presente estudo objetivou avaliar o efeito de uma sessão de Sprint Interval Training (SIT) em variáveis neuromusculares. Para isso, 11 alunos universitários, de ambos os sexos, com idade entre 20 e 32 anos fizeram parte da amostra. Os alunos foram submetidos a uma bateria de testes contendo teste de velocidade de 10m (V10m), salto horizontal (SH) e arremesso de Medicine Ball (AMB), nos momentos PRÉ, PÓS e 48h PÓS sessão de SIT, que foi realizada através de corrida em terreno plano e foi composta por 3 Sprints de 20s de modo All-out por 2min de recuperação passiva. Após teste de normalidade de Shapiro-Wilk, os dados são apresentados através de média ± dp. Para comparações entre momentos foi aplicada ANOVA para medidas repetidas com post-hoc de Bonferroni. E, para as correlações entre as variáveis, foi utilizado coeficiente de Pearson. Os resultados mostraram SIT afeta negativamente a V10m (F=14,9; η²= 0,59; p= 0,001) imediatamente após o treino e que este efeito deletério permanece por 48h (p=0,004). Já o efeito sobre o SH (F= 6,3; η²= 0,38; p= 0,007) não permanece após 48h (p=0,99), sendo apenas o período imediatamente após o treino afetado. Correlações foram identificadas entre estatura e desempenho nos testes físicos (r>0.7; p<0,02). Portanto, conclui-se que o SIT, realizado em forma corrida, exige maior tempo de recuperação para velocidade em relação a potência de membros inferiores e que a potência de membros superiores não é afetada.

 

ABSTRACT 

Neuromuscular responses to sprints training

The high intensity interval training (HIIT) shows high relevance in sports physical training and shows growing popularity in gyms worldwide. In this sense, the present study aimed to evaluate the effect of a Sprint Interval Training (SIT) in neuromuscular performance. For this, 11 university students, of both sexes, aged between 20 and 35 years were recruited. The students were subjected to a battery of tests containing 10 m speed test (V10m), horizontal jump (SH) and Medicine Ball Throw (AMB), when PRE, POST and 48 h POST SIT session, which was composed of three 20s all-out sprints by 2 min of passive recovery. After Shapiro-Wilk normality test, the data are presented by mean ± SD. For comparisons between moments, a repeated measures ANOVA was applied to measures. For comparisons between moments, a repeated measures ANOVA with Bonferroni post hoc was applied. And, for the correlations between the variables, Pearson’s coefficient was used. The results showed that SIT affects V10m (F = 14.9; ² η = 0.59; p = 0.001) and it remains for 48 h (p = 0.004). The effect on the SH (F = 6.3; ² η = 0.38; p = 0.007) does not remain after 48 h (p = 0.99). Correlations have been identified between height and performance on physical tests (r > 0.7; p < 0.02). Therefore, it is concluded that SIT induced higher impact and requires longer recovery for practices that require speed.


Palavras-chave


Treinamento; Desempenho; Fadiga; Recuperação muscular

Texto completo:

PDF

Referências


-Burgomaster, K.A.; Heigenhauser, G.J.; Gibala, M.J. Effect of short-term sprint interval training on human skeletal muscle carbohydrate metabolism during exercise and time-trial performance. American Physiological Society. Vol. 100. Num. 6. 2006. p. 2041-2047.

-Coledam, D.R.C.; Arruda, G.A.; Santos, J.W.; Oliveira, A.R. Relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade em crianças. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 2. Num. 1. 2013. p. 43-53.

-Coswig, V.S.; Ramos, S. D.P.; Del Vecchio, F.B. Time-motion and biological responses in simulated mixed martial arts sparring matches. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 30. Num. 8. 2016. p. 2156-2163.

-Dupont, G.; Akakpo, K.; Berthoin, S. The effect of in-season, high-intensity interval training in soccer players. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 18. Num. 3. 2004. p. 584-589.

-Ferrari Bravo, D.; Impellizzeri, F.M.; Rampinini, E.; Castagna, C.; Bishop, D.; Wisloff, U. Sprints vs. Interval Training in Football. International Journal Sports Medicine. Vol. 29. Num. 8. 2008. p. 668-674.

-Gibala, M.J. Molecular responses to high-intensity interval exercise. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism. Vol. 34. Num. 3. 2009. p. 428-432.

-Gibala, M.J.; Mcgee S.L. Metabolic Adaptations to Short-term High-Intensity Interval Training: A Little Pain for a Lot of Gain? Sports Medicine. Vol. 36. Num. 2. 2008. p. 58-63.

-Hoffman, J. Norms for fitness, performance and health. Champaing. Human Kinetics. 2006.

-Johnson, B.L.; Nelson, J.K. Pratical measurement for evaluation in physical education. Minneapolis. Burgess. 1979.

-Kruel, L.F.M.; Tartaruga, L.A.P.; Coertiens, M.; Oliveira, A.S.; Ribas, L.R.; Tartaruga, M.P. Influência das variáveis antropométricas na economia de corrida e no comprimento de passada em corredoras de rendimento. Motriz. Vol. 13 Num. 1. 2007. p. 1-06.

-Laursen, P.B.; Jenkins, D.G. The Scientific Basis for High-Intensity Interval Training Optimising Training Programmes and Maximising Performance in Highly Trained Endurance Athletes. Sports Medicine. Vol. 32. Num. 1. 2002. p. 53-73.

-Leite, R.D.; Neto, J.B.; Prestes, J.; Pereira, G.B.; Assumpção, C.O.; Magosso, R.F.; Pellegrinotti, I.L. Efeito de um programa de treinamento de 23 semanas nas variáveis antropométricas e neuromusculares em jovens nadadores. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 1. Num. 4. 2007. p. 96-105. Disponível em:

-Macpherson, R.E.; Hazell, T.J.; Olver, T.D.; Paterson, D.H.; Lemon, P.W. Run sprint interval training improves aerobic performance but not maximal cardiac output. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 43. Num. 1. 2011. p. 115-122.

-Moreira, P. V. S.; Teodoro, B. G.; Resende, N. M.; Magalhães, A. M. Metabolismo no Futebol x Treino Intervalado. Revista brasileira de futebol. Vol. 4. Num. 2. 2011. p. 9-17.

-Ré, A.H.N.; Bojokian, L.P.; Teixeira, C.P.; Böhme, T.S. Relações entre crescimento, desempenho motor, maturação biológica e idade cronológica em jovens do sexo masculino. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 19. Num. 2. 2005. p. 153-162.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui