Comparação de altura e potência nos saltos verticais entre grupos de mulheres ativas

Igor Martins Barbosa, Samuel Klippel Prusch, Eduarda Mattana Dias, Luiz Fernando Cuozzo Lemos

Resumo


Introdução e objetivo: Características antropométricas podem exercer relevância na prática de atividades físicas. Assim, o objetivo do presente estudo foi realizar comparações entre a altura e a potência em saltos verticais entre dois grupos de mulheres ativas, divididos em função do percentil da estatura das participantes. Grupo das mulheres com percentil de 51 – 100 (GA); Grupo das mulheres com percentil até 50 (GB). Materiais e métodos: Para aquisição da potência e altura dos saltos, utilizou-se uma plataforma de contato (CEFISE®). Os dados foram submetidos à estatística descritiva. Foi verificada a normalidade na distribuição dos dados pelo teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade pelo teste de Levene. Para comparações entre os grupos utilizou-se o teste t para amostras independentes. O nível de significância para todos os testes foi de 5%. Resultados: O GA tanto no SJ quanto no CMJ, apresentou diferença estatisticamente significativa para a potência em ambos os saltos, demonstrando maiores valores desta valência física, quando comparados ao GB, apesar da maior potência encontrada, não foram vistas diferenças entre as alturas nos dois tipos de saltos. Discussão/conclusão: É possível concluir, com base nos presentes achados, que características antropométricas, como a estatura, pode ser um fator determinante na produção de potência de membros inferiores e exercer uma possível influência no ciclo alongamento-encurtamento (CAE), mas que pode não apresentar influência direta na altura dos saltos verticais em mulheres ativas.

 

ABSTRACT 

Height comparison and power jump among groups of active women

Introduction and objective: Anthropometric characteristics may exert relevance in the practice of physical activities. Thus, the objective of the present study was to compare height and power in vertical jumps between two groups of active women, divided according to the percentile of height of the participants. Group of women with a percentile of 51 - 100 (GA); Women group with percentile up to 50 (GB). Materials and methods: A contact platform (CEFISE®) was used to obtain the power and height of the jumps. Data were submitted to descriptive statistics. The distribution of the data by the Shapiro-Wilk test and the homogeneity by the Levene test were verified. For comparisons between groups, the t-test for independent samples was used. The significance level for all tests was 5%. Results: The GA, both in SJ and in CMJ, showed a statistically significant difference for power in both jumps, showing higher values of this physical valence, when compared to GB, despite the higher power found, no differences were seen between the heights in the two types of jumps. Discussion / conclusion: Based on the present findings, it is possible to conclude that anthropometric characteristics, such as height, can be a determining factor in the production of lower limb power and exert a possible influence on the elongation-shortening cycle (CAE), may not have a direct influence on the height of vertical jumps in active women.


Palavras-chave


Antropometria; Composição corporal; Exercício físico

Texto completo:

PDF

Referências


-Aagaard, P.; Andersen, L.L.; Jakobsen, M.D.; Kjær.; Krustrup, P.; Randers, M.B.; Sundstrup, E. The effect of strength training, recreational soccer and running exercise on stretch-shortening cycle muscle performance during countermovement jumping. Human movement science. Vol. 31. Num. 4. 2012. p. 970-986.

-Anderson, M.A.; Souza, W.C.; Grzelczak, M.T.; Mascarenhas, L.P.G. Antropometria e aptidão física: comparação entre praticantes e não praticantes de escolinhas esportivas. Arch Health Invest. Vol. 5. Num. 4. 2016. p. 192-196.

-Araújo, D.S.M.S.; Araújo, C.G.S. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Niterói. Vol. 6. Num. 5. 2000. p. 194-203.

-Bosco, C.; Luhtanen, P.; Komi, P.V. A simple method for measurement of mechanical power in jumping. Eur J Appl Physiol. Vol. 50. 1983. p. 273-282.

-Costa, H.A.; Rogatto, G.P.; Valim-Rogatto, P.C. Influência da especificidade do treinamento resistido sobre aspectos funcionais e antropométricos de homens jovens. Motriz. Vol. 13. Num. 4. 2007. p. 288-297.

-Cremin, K.A.; Croce, R.; Greenleaf, B.; LaRoche, D.P. Rapid torque development in older female fallers and nonfallers: A comparison across lower-extremity muscles. Journal Electromyography and Kinesiology. Vol. 20. Num. 3. 2009. p. 482-488.

-Dal Pupo, J.; Almeida, C.M.P.; Detanico, D.; Silva, J.F.; Guglielmo, L.G.A.; Santos, S.G. Potência muscular e capacidade de sprints repetidos em jogadores de futebol. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 12. Num. 4. 2010. p. 255-261.

-Dal Pupo, J.; Detanico, D.; Santos, S.G. Parâmetros cinéticos determinantes do desempenho nos saltos verticais. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 14. Num. 1. 2012. p. 41-51.

-Fiusa, J.M.; Fréz, A.R.; Pereira, W.M. Analysis after stabilometric proprioceptive exercises: a randomized controlled clinical study. Journal of Human Growth and Development. Vol. 25. Num. 1. 2015. p. 63-67.

-Hall, S.J. Biomecânica básica. Guanabara Koogan. 7ª edição. Rio de Janeiro. 2016.

-Hatze, H. Validity and Reliability of Methods for Testing Vertical Jumping Performance. Journal of applied biomechanics. Vol. 14. Num. 2. 1998. p. 127-140.

-Hespanhol, J.E.; Neto, L.G.S.; Arruda, M.; Dini, C.A. Avaliação da resistência de força explosiva em voleibolistas através de testes de saltos verticais. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. Num. 3. 2007. p. 181-184.

-Jakicic, J.M.; Clark, K.; Coleman, E.; Donnelly, J.E.; Foreyt, J.; Melanson, E.; et al. American College of Sports Medicine. ACSM stand position on the appropriate intervention strategies for weight loss and prevention of weight regain for adults. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 33. Num. 2001. p. 2145-2156.

-Marchetti, P.H.; Ceschini, F.L. Validação do tapete de contato na mensuração da altura do salto em jogadores de basquete de elite. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. Vol. 7. Num. 1. 2009. p. 10-15.

-Meurer, S.T.; Borges, L.J.; Benedetti, T.R.B.; Mazo, G.Z. Associação entre sintomas depressivos, motivação e autoestima de idosos praticantes de exercícios físicos. Revista Brasileira de ciências do esporte. Vol. 34. Num. 4. 2012. p. 683-695.

-Minatto, G.; Ribeiro, R.R.; Júnior, A.A.; Santos, K.D. Idade, maturação sexual, variáveis antropométricas e composição corporal: influências na flexibilidade. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 12. Num. 3. 2010. p. 151-158.

-Monteiro, A.G.; Silva, S.G.; Arruda, M. Aspectos metabólicos e cardiorrespiratórios na ginástica aeróbica. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. 1998; Vol. 3. Num. 4. 1998. p. 42-48.

-Nasser, R.L.; Branco, J.C.; Lara, D.R.; Del Vecchio, F.B.; Wiener, C.; Mesquita, P.; Souza, L.D.M.; Silva, R.A.; Jansen, K. Atividade física de lazer e uso de substâncias lícitas em uma amostra populacional de adultos jovens. Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 21. Num. 1. 2016. p. 63-70.

-Ré, A.H.N.; Teixeira, C.P.; Massa, M.; Böhme, M.T.S. Interferência de características antropométricas e de aptidão física na identificação de talentos no futsal. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 11. Num. 4. 2003. p. 51-56.

-Riewald, S. Energy Storage in Muscle performance training journal. Vol. 2. Num. 2. 2003. p. 8-9.

-Rosa, B.R.; Oliveira, V.S.O.; Santos, L.S.; Prusch, S.K.; Barbosa, I.M.; Lemos, L.F.C. O uso do ciclo alongamento-encurtamento em saltos de atletas de handebol e praticantes de musculação do sexo feminino. Rev Ed Física / J Phys. Vol. 85. Num. 3. 2016. p. 274-281.

-Tahara, A.K.; Schwartz, G.M.; Silva, K.A. Aderência e manutenção da prática de exercícios em academias. Revista Brasileira de Ciência e movimento. Vol. 11. Num. 4. 2003. p. 7-12.

-Tibana, R.A.; Farias, D.L.; Nascimento, D.C.; Grigoletto, M.E.S.; Prestes, J. Relação da força muscular com o desempenho no levantamento olímpico em praticantes de CrossFit. Revista Andaluza de Medicina del Deporte. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui