Deslocamento ativo no trajeto casa-escola em alunos de escolas do meio rural e urbano

Sérgio Augusto Rosa de Souza, Beatriz Pereira, Wellington Carvalho, Ana Paula Matos, Ana Silva

Resumo


Estudos têm revelado uma realidade preocupante em nível de saúde pública mundial pela alta prevalência de inatividade física e comportamentos sedentários no quotidiano de crianças e adolescentes. O deslocamento ativo (a pé/bicicleta) no trajeto casa-escola assume especial relevância como uma estratégia de colaborar no cumprimento das recomendações internacionais do nível diário de atividade física e de estimular comportamentos ativos em crianças e adolescentes em sua rotina de vida escolar. Este estudo objetivou analisar os modos de deslocamento utilizados por crianças no trajeto casa-escola e identificar as principais limitações aos modos ativos de deslocamento de acordo com o contexto das escolas (rural e urbano). Participaram 268 alunos do 5º e 6º ano de duas escolas da região Norte de Portugal, sendo, uma urbana (148 alunos) e uma localizada em contexto rural (120 alunos). No geral, evidenciou-se que 15,7% das crianças se deslocam de forma ativa, essencialmente a pé, sendo que nenhum aluno relatou utilizar a bicicleta. O automóvel foi o meio mais utilizado para alunos da escola urbana (68%) e o ônibus para alunos da escola do contexto rural (68,4%). Em relação ao contexto da escola, os resultados apresentaram diferenças estatisticamente significativas sendo que crianças que estudam no meio urbano se deslocam mais de forma ativa (22,2%) em detrimento do meio rural (7,7%), nomeadamente a pé. As principais limitações apontadas foram as preocupações em relação à segurança no trânsito e em geral durante o trajeto casa-escola. 

ABSTRACT 

Active commuting on path in home-school of students of Schools rural and urban

Studies have shown a disturbing reality in global public health due to the high prevalence of physical inactivity and sedentary behaviors in the daily life of children and adolescents. Active commuting (walking / cycling) on the path between home and school is characterized as an opportunity to cooperate in the compliance with international recommendations for daily physical activity, and also promoting the acquisition of healthy lifestyles in this age. This study aimed to analyze the modes of displacement used by children in the home-school path and to identify the main limitations to the active displacement modes according to the context of the schools (rural and urban). A total of 268 students from the 5th and 6th grade of two schools in the northern region of Portugal participated in this study (148 from the urban context school and 120 from the rural context school). Overall, it was observed that 15.7% of the children moved actively, essentially on foot, and no student reported using the bicycle. The car was the most used medium for urban school students (68%) and the bus for school students from the rural context (68.4%). Regarding the school context, the results showed statistically significant differences, being that the children who study in urban area move more actively (22,2%) compared to the children of the rural area (7,7%), especially on foot. The main limitations pointed out were concerns regarding traffic safety and in general during the home-school journey.


Palavras-chave


Deslocamento ativo; Crianças; Atividade física; Trajeto casa-escola

Texto completo:

PDF

Referências


-Bardin, L. Análise de Conteúdo. Lisboa. Edições 70. 2015.

-Broberg, A.; Sarjala, S. School travel mode choice and the characteristics of the urban built environment: The case of Helsinki, Finland. Transport Policy. Vol. 37. p. 1-10. 2015.

-Carvalhal, M. I. M. O papel da actividade física no combate à obesidade. In: (Ed.). Carvalho, G.; Pereira, B. Actividade Física, Saúde e Lazer-Modelos de Análise e Intervenção. Lisboa. Lidel. 2008. p.287-297.

-Carvalho, M. A.; Carmo, I.; Breda, J.; Rito, A. I. Análise comparativa de métodos de abordagem da obesidade infantil. Revista Portuguesa de Saúde Pública. Vol. 29. Núm. 2. p. 148-156. 2011.

-Christian, H. E.; Klinker, C. D.; Villanueva, K.; Knuiman, M. W.; Foster, S. A.; Zubrick, S. R.; Divitini, M; Wood, L.; Giles-Corti, B. The Effect of the Social and Physical Environment on Children's Independent Mobility to Neighborhood Destinations. J Phys Act Health. Vol. 12. Núm. 6 Suppl 1. p. S84-93. 2015.

-Costa, J.; Leite, D.; Pereira, B.; Matos, A. P.; Souza, S. O Transporte Ativo e sua relação com o género e contexto (Rural/Urbano). Estudo descritivo com crianças do 8º ano. In: Pereira, P.; Cardoso, A.; e colaboradores (Ed.). Educação Física, Lazer e Saúde. Perspetivas de desenvolvimento num mundo globalizado. Porto. Escola Superior de Educação. Politécnico do Porto. 2017. p.216-225.

-Dalton, M. A.; Longacre, M. R.; Drake, K. M.; Gibson, L.; Adachi-Mejia, A. M.; Swain, K.; Xie, H.; Owens, P. M. Built Environment Predictors of Active Travel to School Among Rural Adolescents. American Journal of Preventive Medicine. Vol. 40. Núm. 3. p. 312-319. 2011.

-Drake, K. M.; Beach, M. L.; Longacre, M. R.; MacKenzie, T.; Titus, L. J.; Rundle, A. G.; Dalton, M. A. Influence of Sports, Physical Education, and Active Commuting to School on Adolescent Weight Status. Pediatrics. Vol. 130. Núm. 2. p. e296-e304. 2012.

-Ducheyne, F.; Bourdeaudhuij, I. D.; Spittaels, H.; Cardon, G. Individual, social and physical environmental correlates of 'never' and 'always' cycling to school among 10 to 12 year old children living within a 3.0 km distance from school. Int J Behav Nutr Phys Act. Vol. 9. p. 142. 2012.

-Lee, M. C.; Orenstein, M. R.; Richardson, M. J. Systematic review of active commuting to school and childrens physical activity and weight. J Phys Act Health. Vol. 5. Núm. 6. p. 930-949. 2008.

-Mcmillan, T. E. The relative influence of urban form on a child’s travel mode to school. Transportation Research Part A: Policy and Practice. Vol. 41. Núm. 1. p. 69-79. 2007.

-Mitra, R.; Buliung, R. N. Exploring differences in school travel mode choice behaviour between children and youth. Transport Policy. Vol. 42. p. 4-11. 2015.

-Mota, J.; Sallis, J. F. Actividade Física e Saúde. Factores de Influência da Actividade Física nas Crianças e nos Adolescentes. 1ª. Porto. Campo das Letras. 2002.

-Ng, M.; Fleming, T.; Robinson, M.; Thomson, B.; Graetz, N.; Margono, C.; Mullany, E. C.; Biryukov, S.; Abbafati, C.; Abera, S. F. Global, regional, and national prevalence of overweight and obesity in children and adults during 1980–2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013. The Lancet. Vol. 384. Núm. 9945. p.766-781. 2014.

-Pabayo, R.; Gauvin, L.; Barnett, T. A. Longitudinal changes in active transportation to school in Canadian youth aged 6 through 16 years. Pediatrics. Vol. 128. Núm. 2. p. 404-413. 2011.

-Page, A. S.; Cooper, A. R.; Griew, P.; Jago, R. Independent mobility, perceptions of the built environment and children's participation in play, active travel and structured exercise and sport: the PEACH Project. Int J Behav Nutr Phys Act. Vol. 7. p. 17. 2010.

-Pereira, B.; Silva, I. P.; Monteiro, R. J.; Farenzena, R.; Rosário, R. Transporte ativo nas rotinas de vida das crianças: estudo em escola urbana. In: Pereira, B. O.; Silva, A. N.; e colaboradores (Ed.). Atividade Física, Saúde e Lazer. Olhar e pensar sobre o corpo. 1a. Florianópolis. Tribo da Ilha. 2014. p.193-204.

-Silva, K. S.; Lopes, A. S.; Silva, F. M. Atividade física no deslocamento à escola e no tempo livre em crianças e adolescentes da cidade de João Pessoa-PB, Brasil. Rev Bras Ciênc Mov. 15. p.61-70. 2007.

-Souza, S.; Matos, A. P.; Pereira, B.; Leite, D.; Costa, J. A Bicicleta como Meio de Transporte - Um estudo em três escolas públicas. Book of Full Texts - XII SIEFLAS Leipzig 2016. Santos, L. C. F.; Eckert-Lindhammmer, D.; e colaboradores. Leipzig, Germany: LEGS e. V.: 93-99 p. 2016b.

-Souza, S.; Pereira, B.; Carvalho, W.; Rosário, R.; Matos, A. P.; Silva, A. Distâncias menores... maiores comportamentos ativos? Associação do fator distância com os modos de deslocamento de crianças à escola. Book of Full Texts - XII SIEFLAS Leipzig 2016. Santos, L. C. F.; Eckert-Lindhammmer, D.; e colaboradores Leipzig, Germany: LEGS e. V.: 179-186 p. 2016a.

-Sá, T. H.; Rezende, L. F. M.; Rabacow, F. M.; Monteiro, C. A. Aumento no uso de transporte motorizado privado no deslocamento das crianças para a escola na Região Metropolitana de São Paulo, Brasil, 1997-2012. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 32. Núm. 5. p. 1-6. 2016.

-Timperio, A.; Ball, K.; Salmon, J.; Roberts, R.; Giles-Corti, B.; Simmons, D.; Baur, L. A.; Crawford, D. Personal, family, social, and environmental correlates of active commuting to school. American journal of preventive medicine. Vol. 30. Núm. 1. p. 45-51. 2006.

-Trocado, P. As deslocações casa-escola e a mobilidade das crianças e dos jovens: uma breve reflexão. Cadernos do Curso de Doutoramento em Geografia. 4. p.123-137. 2012.

-World Health Organization (WHO). Global recommendations on physical activity for health. Geneva. Switzerland. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui