Correlação entre aptidão aeróbia e biomarcador de estresse oxidativo em jogadores de futsal

Clésio Andrade Lima, Lúcio Marques Vieira Souza, Jymmys Lopes Dos Santos, Silvan Silva De Araújo, Patrícia Morgana Ferreira Santos, Charles Dos Santos Estevam, José Marcos Monteiro Freire

Resumo


O objetivo do trabalho surgiu da necessidade de conhecer a existência de correlação entre o nível de aptidão aeróbica e a produção de espécies reativas de oxigênio frente a uma carga de trabalho aeróbica. A amostra foi composta por atletas profissionais de Futsal do Estado de Sergipe. Foram analisadas variáveis referentes ao consumo máximo de oxigênio (VO2 máx) e a produção de espécies reativas de oxigênio através do método de quantificação de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico - TBARs. Para a análise dos dados foram utilizados os testes de correlação de “Pearson” e o teste “t” de Student, com grau de significância de 95% para variável dependente. Os resultados sugerem que a produção de espécies reativas de oxigênio e radicais livres em repouso é inversamente proporcional (r = -0,92) ao nível de aptidão aeróbica do atleta e diretamente proporcional (r = 0,56) durante e/ou após o exercício. Entretanto, não houve diferença significativa (p > 0,05) entre os valores de TBARs no pré e pós exercício.

 

ABSTRACT

Correlation between aerobic fitness and oxidative stress  biomarker in futsal players

The aim of the study was to verify the existence of correlation between level of aerobic fitness and the production of reactive oxygen species against an aerobic workload. The sample was composed of professional futsal players from the state of Sergipe. Variables related to maximal oxygen uptake (VO2max) and the production of reactive oxygen species were analyzed through the quantitative method of thiobarbituric acid reactive substances (TBARS). Data were analyzed using the Pearson correlation test and the student's t-test and significance level of 95% for the dependent variable. The results suggest that the production of reactive oxygen species and free radicals at rest is inversely proportional (r = -0.92) to the athlete's level of aerobic fitness and directly proportional (r = 0.56) during and / or after exercise. However, there was no significant difference (p> 0.05) between TBARS values before and after exercise.


Palavras-chave


Oxidative stress; VO2max; Futsal

Texto completo:

PDF (English)

Referências


-Alessio, H. M. Exercise-induced oxidative stress. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 25. Num. 2. p. 218-224. 1993.

-Bacurau, R.F.P.; Rosa, L.F.B.P.C. Produção de Espécies Reativas de Oxigênio Durante a Atividade Física. In: Lancha Jr.; A.H. Nutrição e Metabolismo Aplicado à Atividade Motora. São Paulo. Atheneu. 2004.

-Clarkson, P.M.; Thompson, H.S. Antioxidants: what role do they play in physical activity and health? The American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 72. p. 637 - 646. 2000.

-Cruzat, V.F.; Rogero, M.M.; Borges, M.C.; Tirapegui, J. Aspectos atuais sobre o estresse oxidativo, exercício físicos e suplementação. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. Num.5. p. 336-342. 2007.

-Deus, L.A.; Simões, H.G.; Neves, R.V.P.; Souza, M.K.; De Moraes, M.R.; Navarro, F.; Rosa, T.S. Associação da variabilidade da frequência cardíaca e estresse oxidativo: o papel do exercício físico. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 11. Num. 66. p. 366-376. 2017. Available in:

-Fachineto, S.; Erlo, T.L.; Martins, K.I. Efeitos da recuperação ativa, passiva e da crioterapia sobre a remoção de lactato sanguíneo em atletas de futsal feminino. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 11. Num. 70. Suplementar.1 p. 784-790. 2017. Available in:

-Ferreira, A.L.A.; Matsubara, L.S. Radicais livres: conceitos, doenças relacionadas, sistema de defesa e estresse oxidativo. Revista da Associação Médica Brasileira. Vol. 43. Num.1. p. 61-68. 1997.

-Fiamoncini, R. L. Análise do Estresse Oxidativo em Jogadores Juniores de Futebol: Comparação Entre Pré e Pós-Exercício Aeróbio e Anaeróbio. Dissertação de Mestrado. UFSC. Florianópolis-SC. 2002.

-Halliwell, B.; Whiteman, M. Measuring reactive species and oxidative damage in vivo and in cell culture: how should you do it and what do the results mean? British Journal of Pharmacology. Vol. 142. Num .2. p. 231-55. 2004.

-Hessel, E.; Haberland, A.; Muller, M.; Lerche D.; Schimke, I. Oxygen radical generation of neutrophils: a reason for oxidative stress during marathon running? Clinical Chemical Acta. Vol. 298. Num.1-2. p. 145-156. 2000.

-Ilhan, N.; Kamanli, A.; Ozmerdivenli, R.; Ilhan, N. Variable Effects of Exercise Intensity on Reduced Glutathione, Thiobarbituric Acid Reactive Substance Levels, and Glucose Concentration. Archives of Medical Research. Vol. 35. p. 294-300. 2004.

-Ji, L.L. Antioxidants and oxidative stress in exercise. Proceedings of the Society for Experimental Biology and Medicine. Vol. 222. Num. 3. p. 283-92. 1999.

-Ji, L.L. Modulation of skeletal muscle antioxidant defense by exercise: Role of redox signaling. Free Radical Biology e Medicine. Vol. 44. Num. 2. p. 142-152. 2008.

-Koury, J.C.; Donangelo, C.M. Zinco, estresse oxidativo e atividade física. Revista de Nutrição. Vol. 16. Num. 4. p.433-441. 2003.

-Lapenna, D.; Ciofani, G.; Pierdomenico, S. D.; Giamberardino, M. A.; Cuccurullo, F. Reaction conditions affecting the relationship between thiobarbituric acid reactivity and lipid peroxides in human plasma. Free Radical Biology e Medicine. Vol. 31. Num. 3. p. 331-35. 2001.

-Lima, A.M. J.; Silva, D.V.G.; Souza, A.O.S. Correlação entre as medidas direta e indiretas do VO2 máx entre atletas de futsal. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 2005. Vol. 11. Num. 3. p.164-66. 2005.

-Macêdo, M.R.C.; Machado, J.C.C.; Silva, A.J.S.; Navarro, A.C. Perfil alimentar de atletas de futsal nas categorias sub-13, sub-15 e sub-17. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 11. Num. 67. p. 498-503. 2017. Available in:

-Medina, J.A.; Salina, L.G.; Virón, P.C.; Marquete, P.M. Necessidades Cardiovasculares y metabólicas del fútbol sala: analisis de la competición. Apunts. Vol. 67. p. 45-51. 2002.

-Menezes, R.V.; Lopes, A.G. Influência de um período de preparação física na capacidade de resistência aeróbia em universitárias praticantes de futsal. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 9. Num. 56. p.617-621. 2015. Available in:

-Schneider, C.D.; Oliveira, A.R. Radicais livres de oxigênio e exercício: mecanismos de formação e adaptação ao treinamento físico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 10. Num. 4. p. 308-313. 2004.

-Smolka, M.B.; Zoppi, C.C.; Alves, A.A; Silveira, L.R.; Marangoni, S.; Pereira-da-Silva, L.; Novello, J C.; Macedo, D.V. HSP72 as complementary protection against oxidative stress induced by exercise in the soleus muscle of rats. American Journal of Physiology Regulatory, Integrative and Comparative Physiology. Vol. 279. Num. 5. p. 1539-1545. 2000.

-Souza, C.T.M.; Da Silva, C.; Da Silveira, L.A.; Silveira, T.C.; Pinho, P.C.; Scheffer, C. A.; Da Luz, D.; Pinho, R.A. Avaliação sérica de danos musculares e oxidativos em atletas após partida de futsal. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 12. Num.4. p. 269-274. 2010.

-Voser, R.C.; Da Silva, C.G.; Voser P.E.G. A origem dos gols da liga de futsal 2014. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 8. Núm. 29. p.155-160. 2016. Available in:


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui