Comparação dos métodos de alongamento ativo estático, passivo estático e ativo dinâmico na flexibilidade do quadril

Charles Ricardo Lopes, Enrico Gori Soares, Celso Felix Vieira, Felipe Alves Brigatto, Paulo Henrique Marchetti

Resumo


Entretanto, cada método afeta diferentemente o sistema neuromuscular; portanto, cada método pode causar diferentes respostas agudas na flexibilidade.   Objetivo: Comparar a flexibilidade no teste de sentar e alcançar após os métodos de alongamento ativo estático, passivo estático e ativo dinâmico com cargas equalizadas. Métodos: A amostra foi composta por 13 homens (idade: 26 ± 4,5 anos; estatura: 176 ± 5,4 cm; massa corporal total: 82 ± 7,5 kg) e 6 mulheres (idade: 23 ± 2,5 anos; estatura: 163 ± 4,3 cm; massa corporal total:55,2 ± 9,1 kg). Os sujeitos realizaram 3 visitas ao laboratório para testar o efeito dos métodos ativo estático (AE), passivo estático (PE) e ativo dinâmico (AD). Na condição de alongamento AE o sujeito sustentou isometricamente a flexão do quadril; na condição de alongamento PE, o sujeito foi alongado passivamente por um dos pesquisadores; e na condição de alongamento AD o sujeito realizou o movimento de flexão e extensão do quadril com cadência controlada. Em todas as condições 6 séries de 45” de duração com 45” de intervalo foi realizada com uma intensidade entre 70 e 90% da percepção subjetiva de desconforto nas extremidades do movimento. A flexibilidade foi avaliada através do teste de sentar e alcançar previamente e logo após cada condição. Uma ANOVA (3x2) de medidas repetidas com os fatores condição (AE, PE e AD) e momento de avaliação (Pré- e Pós-alongamento) comparou o desempenho no teste de sentar e alcançar. Resultados: Foi verificado aumento da flexibilidade após o método de alongamento AE (P <0,001), PE (P <0,001) e AD (P <0,001); entretanto, não foram verificadas diferenças entre os métodos. Conclusão: Os métodos de alongamento ativo estático, passivo estático e ativo dinâmico aumentaram a flexibilidade no teste de sentar e alcançar na mesma magnitude.


Palavras-chave


Métodos de alongamento; Amplitude de movimento; Flexibilidade

Texto completo:

PDF

Referências


-Aguilar, A. J.; DiStefano, L. J.; Brown, C. N.; Herman, D. C.; Guskuewicz, K. M.; Padua, D. A. A dynamic warm-up model increases quadriceps strength and hamstring flexibility. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 26. Num. 4. p.1130-1141. 2012.

-Bear, M. F.; Connors, B. W. Paradiso, M. A. editors. Neuroscience: Exploring the brain, Lippincott Williams & Wilkins. 2007.

-Behm, D. G.; Bambury, A.; Cahill, F.; Power, K. Effect of acute static stretching on force, balance, reaction time, and movement time. Medicine Science and Sports Exercise. Vol. 36. Num. 8. p.1397-1402. 2004.

-Behm, D. G.; Buttom, D.; Butt, J. Factors affecting force loss with stretching. Canadian Journal of Applied Physiology. Num. 26. p. 262-272. 2001.

-Behm, D. G. e A. Chaouachi. A review of the acute effects of static and dynamic stretching on performance. European Journal of Applied Physiology. Num. 111. p. 2633-2651. 2011.

-Behm, D. G. e A. Kibele. Effects of differing intensities of static stretching on jump performance. European Journal of Applied Physiology. Num. 101. p.587-594. 2007.

-Davis, D. S.; Ashby, P. E.; McCale, K. L.; McQuain, J. A.; Wine, J. M. The effectiveness of 3 stretching techniques on hamstring flexibility using consistent stretching parameters. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 19. Num. 1. p.27-32. 2005.

-Fradkin, A. J.; Zazryn, T. R. Smoliga, J. M. Effects of warming-up on physical performance: a systematic review with meta-analysis. The Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 24. Num. 1. p.140-148. 2010.

-Funk, D.; Swank, A. M.; Adams, K. J.; Treolo, D. Efficacy of moist heat pack application over static stretching on hamstring flexibility. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 15. Num. 1. p. 123-126. 2001.

-Gomes, W. A.; Lopes, C. R.; Marchetti, P. H. Fadiga central e periférica: uma breve revisão sobre os efeitos locais e não locais no sistema neuromuscular. Revista do Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. Vol. 8. Num. 1. p.1-20. 2016.

-Kujala, U. M.; Orava, S.; Jarvinen, M. Hamstring injuries: Current trends in treatment and prevention. Sports Medicine. Vol. 23. Num. 6. p.397-404. 1997.

-Marchetti, P. H.; Mattos, V.J.P.; Serpa, E. P.; Silva, J. J.; Soares, E. G.; Paulodeto, A. C.; Correa, D. A.; Vilela Junior, G. B.; Gomes, W. A. Alongamento intermitente e contínuo aumentam a amplitude de movimento e reduzem a força dos flexores de punho. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Num. 21. p.416-420. 2015a.

-Marchetti, P.H.; Silva, F. H. D. O.; Soares, E.G.; Serpa, E.P.; Nardi, P. S. M.; Vilela Junior, G. B.; Behm, D. G. Upper limb static-stretching protocol decreases maximal concentric jump performance. Journal of Sports Science & Medicine. Num. 13. p. 945-950. 2014a.

-Marchetti, P. H.; Soares, E. G.; Silva, F. H. D. O.; Medeiros, I. I.; Neto, I. R.; Lopes, C. R.; Uchida, M. C.; Bacurau, R. F. Efeito de diferentes durações do alongamento no desempenho de saltos unipodais; Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 20. Num. 3. p. 223-226. 2014a.

-Marchetti, P. H.; Soares, E. G.; Silva, F. H. D. O.; Nardi, P.S.M.; Serpa, E. P.; Gomes, W. A.; Schoenfeld, B. J. Acute effects of stretching routines with and without rest intervals between sets in the bounce drop jump performance. International Journal of Sports Science. Vol. 5. Num. 1. p. 39-43. 2015b.

-Perrier, E. T.; Pavol, M. J.; Hoffman, M. A. The acute effects of a warm-up including static or dynamic stretching on countermovement jump height, reaction time, and flexibility. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 25. Num. 7. p.1925-1931. 2011.

-Rubini, E. C.; Costa, A. L.; Gomes, P. S. The effects of stretching on strength performance. Sports Medicine. Vol. 37. Num. 3. p.213-224. 2007.

-Serpa, E. P.; Vilela Junior, G. B.; Marchetti, P. H.; Aspectos biomecânicos da unidade músculo-tendínea sob efeito do alongamento. Revista do Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. Vol. 6. Num. 1. 2014.

-Shellock, F. G. e Prentice, W. E. Warming-up and stretching for improved physical performance and prevention of sports-related injuries.Sports Medicine. Vol. 2. Num. 4. p. 267-278. 1985.

-Silva, J. J.; Behm, D. G.; Gomes, W. A.; Soares, E. G.; Serpa, E. P.; Vilela Junior, G. B.; Marchetti, P. H. Unilateral plantar flexors static-stretching effects on ipsilateral and contralateral jump measures. Journal of Sports Science & Medicine 14: 315-321. 2015.

-Thacker, S. B.; Gilchrist, J.; Stroup, D. F.; Kimsey, D. The impact of stretching on sports injury risk: a systematic review of the literature. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 36. Num. 3. p. 371-378. 2004.

-Zatsiorsky, V. Biomechanics in Sport: Performance Enhancement and Injury Prevention, John Wiley & Sons. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui