Variação da pressão intraocular no exercício supino realizado em diferentes posições

Fabrício Teixeira Garramona, Lucas Ruiz Storti, Alex Sander Soares, Sidney Diyoo Tamura, Sérgio Paulo de Tarso Domingues, Jefferson Tavares Paschoini, Marcel Conte

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar a variação da pressão intraocular (PIO) no exercício de supino realizado nas posições reto, inclinado e declinado. Foram avaliados oito indivíduos saudáveis, submetidos a três sessões do exercício resistido de supino, com volume e intensidade de 3 séries de 15 repetições com 60% 1RM, intervalo de 60 segundos entre as séries e velocidade moderada, de acordo com as seguintes posições: P1) Supino executado na posição reta (0º); P2) Supino executado na posição inclinada (45º) e P3) Supino executado na posição declinada (-30º). As mensurações da PIO foram realizadas utilizando o Tonômetro de Perkins em três momentos distintos, sendo: M1) imediatamente antes do exercício; M2) imediatamente após a terceira série e M3) três minutos após a finalização da terceira série. A análise estatística foi realizada pelo Teste de normalidade de Shapiro-Wilk, e utilizado ANOVA com pós-teste de Bonferroni adotando-se um nível de significância 5%. O software utilizado foi o GraphPad Prism®. Os resultados demonstraram o efeito hipotensor do exercício físico na PIO, foi observada uma redução significativa da PIO após o exercício no supino independentemente da posição corporal adotada, tendo apresentando uma redução média após a realização do exercício de aproximadamente 3 a 4 mmHg ou 25%. Concluímos então que mesmo em posição potencialmente hipertensiva, o exercício promoveu redução significativa da PIO. Pode-se atribuir a queda da PIO decorrente do exercício resistido, a mecanismos relacionados a diminuição da produção do humor aquoso em contrapartida ao aumento do escoamento desse líquido pelo ângulo camerular.


Palavras-chave


Pressão intraocular/fisiologia; Exercício; Treinamento de resistência; Postura

Texto completo:

PDF

Referências


-Andrada, M.M.T.; Fesser, O.I.; Antón,L.A. Estudio comparativo de dos Tonómetros portátiles: Tono-Pen XL y Perkins. Arch Soc Esp Oftalmol. Vol. 78. Num. 4. 2003. p. 189-196.

-Avunduk, A.M.; Yilmaz, B.; Sahin, N.; Kapicioglu, Z.; Dayanir, V. The Comparison of Intraocular Pressure Reductions after Isometric and Isokinetic Exercises in Normal Individuals. Ophthalmologica. Vol. 213. 1999. p.290-294.

-Bakke, E.F.; Hisdal, J.; Semb, S.V. Intraocular Pressure Increases in Parallel with Systemic Blood Pressure During Isometric Exercise. Investigative Ophthalmology & Visual Science. Vol. 50. Num. 2. February 2009.

-BrzyckI, M. Strength Testing – Predicting a One-Rep Max from Reps-to-fatigue. Journal of physical education recreation and dance. Vol. 64. 1993. p. 88-90.

-Chromiak, J.A.; Abadie, B.R.; Braswell, R.A.; Koh, Y.S.; Chilek, D.R. Resistance training exercises acutely reduce intraocular pressure in physically active men and women. J Strength Cond Res. Vol. 17. Num. 4. 2003. p.715-720.

-Coleman, A.L.; Kodjebacheva, G. Risk Fators for Glaucoma Needing more Attention. The Open Ophthalmology Journal. Vol. 3. 2009. p. 38-42.

-Conte, M. Associação entre exercícios resistidos e pressão intra-ocular [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo. 2009.

-Conte, M.; Scarpi, M.J. Comparação de resposta da pressão intraocular frente a duas diferentes intensidades e volumes do treinamento resistido. Rev Bras Oftalmol. Vol. 73. Num. 1. 2014. p. 23-27

-Guyton, A.C.; Hall, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11° edição. Rio de Janeiro: Elsivier. 2006.

-Hilton, E. Exerc-eyes: effects of exercise on ocular health. OT. Vol. 15. 2003. p. 45-49.

-Hunt, A.P.; Feigl, B.; Stewart, I.B. The Intraocular Pressure Response to dehydration: a pilot Study. Eur J Appl Physiol. Vol. 112. 2012. p.1963-1966.

-Lane, J.T.; Lane, J.T.; Larson, L.A.; Fan, S.; Stoner, J.A.; Margalit, E.; Toris, C.B. Intraocular pressure and aqueous humor flow during a euglycemic-hyperinsulinemic clamp in patients with type 1 diabetes and microvascular complications. BMC Ophthalmology. Vol. 10. 2010. p.19.

-Meirelles, S.H.S.; Mathias, C.R.; Brandão, G.; Frota, A.C.A.; Yamane, R. Influência da postura na pressão intra-ocular e nos defeitos de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto e glaucoma de pressão normal. Rev.Bras.Oftamol. Vol. 67. Num. 1. 2008. p. 19-24.

-Ministério da Saúde/Fundação Nacional da Saúde. Informe Epidemiológico do SUS. Suplemento 3. ano V. Núm. 2. 1996.

-Pasquale, L.R.; Kang, J.H. Lifestyle, Nutrition and Glaucoma. J Glaucoma. Vol. 18. Num.6. 2009. p. 423-428.

-Prata, T.S.; Moraes, C.G.V.; Kanadani, R.R.; Paranhos A. Posture-induced Intraocular Pressure Changes: Considerations Regarding Body Position in Glaucoma Patients. Survey of Ophthalmology. Vol. 55. Num. 5. 2010. p. 445-453.

-Risner, D.; Ehrlich, R.; Kheradiya, N.S.; Siesky, B.; McCranor, L.; Harris, A. Effects of exercise on intraocular pressure and ocular blood flow: a review. J Glaucoma. Vol. 18. Num. 6. 2009. p.429-436.

-Rüfer, F.; Schiller, J.; Klettner, A.; Lanzl, I.; Roider, J.; Burkhard, W. Comparison of the influence of aerobic and resistance exercise of the upper and lower limb on intraocular pressure. Acta Ophthalmol. Vol. 92. 2014. p. 249-252.

-Sakata, K.; Maia, M.; Matsumoto, L.; Oyamaguchi, E.K.; Carvalho, A.C.A.; Knoblaunch, N.; Filho, A.G.O. Estudo do comportamento da Pressão Intraocular em pacientes diabéticos, hipertensos e normais (projeto glaucoma). Arquivo brasileiro de oftalmologia. Vol. 63. 2000.

-Santos. M.G.; Makk, S.; Berghold,A.; Eckhardt,M.; Haas, A. Intraocular pressure difference in Goldmann applanation tonometry versus Perkins hand-held applanation tonometry in overweight patients. Ophthalmology. Vol. 105. 1998. p. 2260-2263.

-Scarpi, M.J.; Conte, M.; Lenk, R.E.; Rossin, R.A.; Brant, R.; Skubs, R. Associação entre dois diferentes tipos de estrangulamento com a variação da pressão intra-ocular em atletas de jiu-jitsu. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Vol. 72. Num. 3. p. 341-345. 2009.

-Selvadurai, D.; Hodge, D.; Sit, A.J. Aqueous humor outflow facility by tonography does not change with body position. Invest. Ophthalmol. Vis. Sci. 2009.

-Shields, M.B. Textbook of glaucoma. Baltimore: Williams & Wilkins. 1998.

-Soares, A.S.; Caldara, A.A.; Storti, L.R.; Teixeira, L.F.M.; Terzariol, J.G.; Conte, M. Variação da pressão intraocular no exercício resistido realizado em duas diferentes posições. Revista Brasileira de Oftalmologia. Vol. 74. Num. 3. 2015. p. 160-163.

-Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG). 2° Consenso Brasileiro de Glaucoma Primário de Ângulo Aberto. Glaucoma Primário de ângulo aberto / Sociedade Brasileira de Glaucoma. São Paulo. PlanMark. 2005.

-Tamura, S.D.; Conte, M.; Marchetti, P.H. Resposta da pressão intraocular frente ao treinamento de força. Revista Pulsar. Vol. 18. 2012. p. 1-6.

-Tan, G.S. Diabetes, Metabolic Abnormalities, and Glaucoma – The Singapore Malay Eye Study. Arch Ophthalmol. Vol. 127. Num. 10. 2009. p.1354-1361

-Vieira, G.M.; Oliveira, H.B.; Andrade, D.T.; Botarro, M.; Ritch, R. Intraocular Pressure Variation Durting Weight Lifting. Arch Ophthalmol. Vol. 124. 2006.

-Vieira, G.M.; Penna, E.P.; Marques, M.B.; Bezerra, R.F. The accute effects of resistance exercise on intraocular pressure. Arq. Bras. Oftamol. Vol. 66. 2003. p. 431-435.

-Weber, A.K.; Price, J. Pressure differential of intraocular pressure measured between supine and sitting position. Ann Ophthalmol. Vol. 13. Num. 3. 1981. p.323-326.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui