Escala de percepção subjetiva de esforço de Borg como ferramenta de monitorização da intensidade de esforço físico

Pauline Louise Kellermann Kaercher, Marcelo Henrique Glänzel, Guilherme Görgen da Rocha, Luiza Müller Schmidt, Patrik Nepomuceno, Luana Stroschöen, Hildegard Hedwig Pohl, Miriam Beatrís Reckziegel

Resumo


A escala de percepção de esforço de Borg (EPE) é uma ferramenta de monitoração da intensidade de esforço físico relacionada às variáveis fisiológicas. O objetivo deste estudo, de caráter descritivo comparativo, foi verificar a relação da percepção subjetiva de esforço com a frequência cardíaca, utilizando o protocolo de Bruce, com atletas e não atletas. Foram avaliados 40 sujeitos do sexo masculino, com idades de18 a30 anos, sendo 20 atletas de futsal. Os dados coletados foram a percepção do esforço pela EPE e a frequência cardíaca (FC) monitorada ao final de cada estágio do teste de esforço. Os resultados apontaram que existe relação entre as respostas da FC com a EPE de atletas e não atletas. Durante o teste as médias da EPE ficaram muito próximas das médias da FC, estabelecendo uma relação linear. Os sujeitos não atletas apresentaram valores mais altos de FC e EPE em comparação com os atletas, porém, os valores da EPE ficaram mais próximos do valor real da FC no grupo dos não atletas, podendo indicar que os atletas por estarem habituados com atividades de maior intensidade de exercício, quando submetidos às mesmas, não as percebem da mesma forma que os não atletas, apresentando assim valores mais baixos na EPE e de FC. As diferenças mostram a forte relação entre FC e a EPE, indicando que esta pode ser utilizada como indicador da intensidade de exercício, principalmente por ser um método não-invasivo, simples e de baixo custo.


Palavras-chave


Aptidão física; Atletas; Frequência cardíaca; Teste de esforço

Texto completo:

PDF

Referências


-Almeida, M. B.; Araújo, C. G. S. Efeitos do treinamento aeróbico sobre a frequência cardíaca. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 9. Núm. 2. 2003. p. 104-112.

-An, H. J.; Choi, W. S.; Choi, J. H.; Kim, N. J.; Min, K. O. Effects of muscle activity and number of resistance exercise repetitions on perceived exertion in tonic and phasic muscle o young Korean adults. Journal of Physical Therapy Science. Vol. 27. Núm. 11. 2015. p. 3455-3459.

-Artoni, P. A.; Lipoli, A. S.; Silva, M. J.; Navarro, F. Estimativa do teste de percepção subjetiva ao esforço (BORG), relacionado ao limiar anaeróbio de sedentários e praticantes de atividade física em esteira. Revista Brasileira Prescrição Fisiologia Exercício. Vol. 1. Núm. 4. 2007. p. 48-60. Disponível em: <>

-Bertuzzi, R. C. M.; Nakamura, F. Y.; Rossi, L. C.; Kiss, M. A. P. D; Franchini, E. Independência Temporal das respostas do esforço percebido e da frequência cardíaca em relação à velocidade de corrida na simulação de uma prova de 10 km. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 12. Núm. 4. 2006. p. 179-183.

-Borg, G. Escalas de Borg para a dor e o esforço percebido. São Paulo. Manole. 2000.

-Brandão, M. R. F.; Pereira, M. H. N.; Oliveira, R.; Matsudo, V. K.R. Percepção do Esforço: uma revisão da área. Revista Brasileira de Ciência & Movimento. Vol. 3. Núm. 1. 1989. p. 34-40.

-Castañer, M.; Saüch, G.; Camerino, O.; Sánchez-Algarra P.; Anguera, M. T. Percepción de la intensidad al esfuerzo: un estudio multi-method en actividad física. Cuadernos de Psicología del Deporte. Vol.15. Núm. 1. 2015. p. 83-88.

-Graef, F. I.; Kruel, L. F. M. Frequência cardíaca e percepção subjetiva do esforço no meio aquático: diferenças em relação ao meio terrestre e aplicações na prescrição do exercício - uma revisão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 12. Núm. 4. 2006. p. 221-226.

-Matzenbacher, F.; Pasquarelli, B. N.; Rabelo, F.; Dourado, A. C.; Durigan, J. Z.; Gonçalves, H. R; Stanganelli, L. C. R. The use of rating of perceived exertion to monitor and control the training load in futsal. Journal of Exercise Physiology Online. Vol. 19. Núm. 4. 2016. p. 42-52.

-McLaren, S. J.; Smith, A.; Spears, I. R.; Weston, M. A detailed quantification of differential ratings of perceived exertion during team-sport training. Journal of Science and Medicine in Sport. Vol. 20. Núm. 3. 2017. p. 290-295.

-Muyor, J. M. Exercise intensity and validity of the ratings of perceived exertion (Borg and OMNI scales) in and indoor cycling session. Journal of Human Kinetics. Vol.39. 2013. p. 93-101.

-Nieman, D. C. Exercício e saúde: teste e prescrição de exercícios. 6ª edição. Manole. 2011.

-Okuno, N. M.; Soares-Caldeira, L.F.; Milanez, V. F.; Perandini, L. A. B. Predicting time to exhaustion during high-intensity exercise using rating of perceived exertion. Science & Sports. Vol. 30. Núm. 6. 2015. p. 155-161.

-Owen, A. L.; Dunlop, G.; Rouissi, M.; Haddad, M.; Mendes, B.; Chamari, K. Analysis of positional training loads (ratings of perceived exertion) during various-sided games in European professional soccer players. International Journal of Sports Science & Coaching. Vol.11. Núm. 3. 2016. p.374-378.

-Pereira, G.; Souza, D. M.; Reichert, F. F.; Smirmaul, B. P. C. Evolution of perceived exertion concepts and mechanisms: a literature review. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 16. Núm. 5. 2014. p. 579-587.

-Piasoni, P. T.; Zhang, Z.; Hernandez, P.; Huebner, M. Measuring dyspnea and perceived exertion in healthy adults and with respiratory disease: new pictorial scales. Sports Medicine – Open. Vol. 2. Núm. 17. 2016. p. 1-8.

-Santos, C. M.; Santos, W. M.; Coutinho, R. X.; Pigatto, C.; Portela, L. O. C.; Gallarreta, N. P. A utilização da escala de Borg em atividade física com gestantes. ConScientiae Saúde. Vol. 13. Núm. 2. 2014. p. 241-245.

-Siqueira, O. D.; Crescente, L. A.; Cetolin, T.; Foza, V.; Cardoso, M. A utilização da PSE como indicadora de intensidade de um teste progressivo de corrida intermitente em jogadores de futebol. Coleção Pesquisa em Educação Física. Vol. 10. Núm. 5. 2011. p. 7-14.

-Shono, T.; Fujishima, K.; Hotta, N.; Ogaki, T.; Ueda, T. Physiological responses to water-walking in middle aged women. Applied Human Science. Vol. 20. Núm. 2. 2001. p. 119-123.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui