Perfil de composição corporal e de somatotipo de praticantes de Crossfit®

Marlon Chacao, Fábio Hech Dominski, Chelin Steclan, Alonso Romero Fuentes Filho, Daniel Rogério Petreça

Resumo


Introdução: O CrossFit® devido a sua popularidade atualmente, vem ganhando diferentes adeptos no Brasil e no mundo, e com isso, grande variedade de biótipos dentro da modalidade são observados. Porém poucos estudos apresentam parâmetros sobre essas variáveis, sendo que a composição corporal e o somatotipo são de suma importância para a prática, melhor eficácia nos treinos e identificação de atletas. Objetivo: Desta forma o presente estudo teve como objetivo identificar características antropométricas, perfil da composição corporal e de somatotipo de praticantes de CrossFit® e sua relação com outras modalidades esportivas. Materiais e métodos: Compuseram a amostra 19 praticantes de CrossFit® de um “Box”. Para coleta de dados foram realizadas medidas antropométricas, e assim a mensuração de composição corporal e somatotipo. Resultados: Os praticantes apresentaram média de percentual de gordura de 16,5%, o somatotipo classificou os indivíduos em meso-endomórfico. A análise relacionada a referência “phantom” apresentou escore Z para dobras cutâneas de -1,3, para perímetros de 1,7 e para diâmetros ósseos de 0,6. Representando baixos valores de gordura corporal e um alto desenvolvimento de massa magra. Os resultados apresentam características favoráveis relacionando os praticantes de CrossFit® quando comparados a atletas de rendimento. Conclusão: Conclui-se por meio dos resultados que os praticantes de CrossFit® possuem composição corporal levemente alterada, mas com predominância a um biótipo semelhante à de atletas de elite ou de outras modalidades especificas.


Palavras-chave


Antropometria; Treinamento intervalado de alta intensidade; Desempenho atlético; Exercício físico

Texto completo:

PDF

Referências


-Andreato, L. V.; Franchini, E.; Moraes, S. M. F. D.; Esteves, J. V. D. C.; Pastório, J. J.; Andreato, T. V.; Vieira, J. L. L. Perfil morfológico de atletas de elite de Brazilian Jiu-Jitsu. Revista Brasileira de Medicina do Esporte Vol. 18. Num.1. 2012. p. 46-50.

-Avella, R. E.; Medellín, J. P. Perfil dermatoglífico y somatotípico de atletas de la selección colombia de atletismo (velocidad) participante en los juegos panamericanos de Guadalajara, 2011. Revista UDCA Actualidad & Divulgación Científica. Vol.16. Num.1. 2013. p.17-25.

-Barfield, J. P.; Anderson, A. Effect of CrossFit™ on health-related physical fitness: A pilot study. Journal of Sport and Human Performance. Vol. 2. Num. 1. 2014.

-Carter, J. E.; Ackland, T. R.; Kerr, D. A.; Stapff, A. B. Somatotype and size of elite female basketball players. Journal of Sports Sciences. Vol. 23. Num. 10. 2005. p. 1057-1063.

-Carter, J. E. L.; Heath, B. H. Somatotyping: development and applications. New York. Cambridge University Press. 1990.

-Claudino, J. G.; Gabbett, T. J.; Bourgeois, F.; de Sá Souza, H.; Miranda, R. C.; Mezêncio, B.; ... Amadio, A. C. CrossFit Overview: Systematic Review and Meta-analysis. Sports medicine-open. Vol. 4. Num. 1. 11. 2018.

-Degoutte, F.; Jouanel, P.; Begue, R. J.; Colombier, M.; Lac, G.; Pequignot, J. M.; Filaire, E. Food restriction, performance, biochemical, psychological, and endocrine changes in judo athletes. International journal of sports medicine. Vol. 27. Num.1. 2006. p.9-18.

-Dominski, F. H.; Serafim, T. T.; Andrade, A. Produção de conhecimento sobre CrossFit®: Revisão Sistemática. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. In Press. 2018a.

-Dominski, F. H.; Siqueira, T. C.; Serafim, T. T.; Andrade, A. Perfil de Lesões em praticantes de CrossFit: Revisão Sistemática. Fisioterapia e Pesquisa. Vol. 25. Num. 2. 2018b. p. 229-239.

-Durnin, J. V.; Womersley, J. Body fat assessed from body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. Br J Nutr. Vol.32. 1974. p.77-97.

-Favaris, F. M.; Melo, L. G. M.; Maia, R. R. S.; Costa, F. C. H.; Ferreira, C. A. A. Características do somatotipo e sua influência na percepção da imagem corporal. Coleção Pesquisa em Educação Física. Rio de Janeiro. Vol. 11. Num. 2. 2012. p.49-56.

-Franchini, E.; Matsushigue, K. A.; Vecchio, F. B.; Artioli, G. G. Physiological profiles of elite judo athletes. Sports Med. Vol. 41. 2011. p.147-166.

-Glassman, G. O guia de treinamento Crossfit. 2010.

-Guedes, D. P. Composição corporal: princípios, técnicas e aplicações. Londrina. Associação dos Professores de Educação Física. 1994.

-Heath B. H.; Carter J. E. L. A modified somatotype method. American Journal of Physical Anthropology. Vol. 27. 1967. p. 57-74.

-Junior, H. C. S.; Junior, J. T. S.; da Silva Lima, W.; dos Santos Cavalcanti, C. B.; Souza, A. O. S. Análise antropométrica comparativa entre a elite de ciclistas de estrada pernambucanos e a elite de ciclistas australianos. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 3. Num. 13. 2011. Disponível em: <>

-Keogh, J. W.; Hume, P. A.; Pearson, S. N.; Mellow, P. Anthropometric dimensions of male powerlifters of varying body mass. Journal of Sports Sciences, Vol. 25. Num. 12. 2007. p.1365-1376.

-Kraemer, W. J.; Voler, J. S.; Clark, K. L.; Gordon, S. E.; Puhl, S. M.; Koziris, l. P.; Mcbride. J. M.; Triplett-mcbride, N. T.; Putukian, M.; Newton, R. U.; Hakkinen, K.; Bush, J. A.; Sebastianelli, J. Influence of exercise training on physiological and performance changes with weight loss in men. Medicine and science in sports and exercise. Madison. Vol. 31. Num. 9. 1999. p. 1320-1329.

-Lichtenstein, M. B.; Jensen, T. T. Exercise addiction in CrossFit: Prevalence and psychometric properties of the Exercise Addiction Inventory. Addictive Behaviors Reports, Vol. 3. 2016. p 33-37.

-Moreira, C. D.; Sperandio, B. B.; de Almeida, T. F.; Ferreira, E. F.; Soares, L. A.; de Oliveira, R. A. R. Nível de aptidão física para o desempenho esportivo em participantes adolescentes do projeto esporte em ação. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 11. Num. 64. 2017. p.74-82. Disponível em: <>

-Murawska-Cialowicz, E.; Wojna, J.; Zuwala-Jagiello, J. Crossfit training changes brain-derived neurotrophic factor and irisin levels at rest, after wingate and progressive tests, and improves aerobic capacity and body composition of young physically active men and women. Journal of Physiology and Pharmacology. Vol. 66. Núm. 6. 2015. p. 811-21.

-Olds, T.; Norton, K.; Ly, S.V.; Lowe, L. Sistemas de similitude en antropometria. In: Norton, K., Olds, T., & Albernaz, N. M. F. D. Antropométrica: um livro sobre medidas corporais para o esporte e cursos da área de saúde. Artmed. 2005.

-Perini, T. A.; Oliveira, G. L. D.; Ornellas, J. D. S.; Oliveira, F. P. D. Cálculo do erro técnico de medição em antropometria. Rev Bras Med Esporte. Vol. 11. Num. 1. 2005. p. 81-85.

-Petroski, E.L. Antropometria: técnicas e padronizações. Porto Alegre. Edio. 2009.

-Pollock, M.; Wilmore, J.H. Exercícios na saúde e na doença: avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. Rio de Janeiro. Medsi. 1993.

-Petroski, E. L.; Fraro, J. D.; Fidelix, Y. L.; Silva, D. A. S.; Pires-Neto, C. S.; Dourado, A. C.; Viera, F. S. Características antropométricas, morfológicas e somatotípicas de atletas da seleção brasileira masculina de voleibol: estudo descritivo de 11 anos." Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. Vol.15. Num.2. 2013. p.184-192.

-Porta, J.; González, J. M.; Galiano, D.; Tejedo, A.; Prat, J. A. Valoración de la composición corporal. Análisis crítico y metodológico. Car News. Vol. 7. 1995. p. 4-13.

-Reilly, T. Energetics of high-intensity exercise (soccer) with particular reference to fatigue. Journal of Sports Science. Londres. Vol. 15. 1997. p. 257-263.

-Rishe, P. Crossfit's Relationship with Reebok Enhances Its Financial and Commercial Credibility. 2011.

-Ross, W.D.; Wilson, N.C. A stratagem for proportional growth assessment. Acta Pediلtrica. Bruxelas. Vol. 28. 1974. p.169-182.

-Siri, W. E. Body composition from fluids spaces and density: analyses of methods. In: Techniques for measuring body composition. Washington-DC. National Academy of Science and Natural Resource Council. 1961.

-Smith, M. M.; Sommer, A. J.; Starkoff, B. E.; Devor, S. T. Crossfit-based high-intensity power training improves maximal aerobic fitness and body composition. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol.27. Num.11. 2013. p.3159-3172.

-Souza, D. C.; Arruda, A.; Gentil, P. CrossFit®: Riscos para Possíveis benefícios? Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 11. Num. 64. 2017. p. 138-140. Disponível em: <>

-Stewart, A.; Marfell-Jones, M.; Olds, T.; Ridder, H. International standards for anthropometric assessment. ISAK: Lower Hutt. New Zealand. 2011.

-Tibana, R.A.; Farias, D.L.; Nascimento, D.; Silva‐Grigoletto, M.E.; Prestes, J. Relação da força muscular com o desempenho no levantamento olímpico em praticantes de CrossFit®. Revista Andaluza de Medicina del Deporte. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui