Correlação entre as medidas antropométricas e aptidão cardiorrespiratória em militares do sexo masculino

Fabrício Lima Costa da Silva, Paulo Cesar Monteiro, Moisés Augusto de Oliveira Borges, Bruno Lucas Pinheiro Lima, Vicente Pinheiro Lima

Resumo


Objetivo: O objetivo do estudo foi verificar se existem correlações entre as medidas antropométricas e a aptidão cardiorrespiratória. Métodos: Para esse estudo foram selecionados 46 militares (32,22 ± 7,36 anos) da Força Aérea Brasileira. As medidas antropométricas foram verificadas através do Índice de Massa Corporal, Circunferência da Cintura e Relação Cintura-Quadril, através de suas classificações de risco ou não a saúde, e a aptidão cardiorrespiratória através do Teste de Cooper utilizando a fórmula para ter um VO2 máximo estimado dos participantes do estudo. Resultados: O IMC apresentou 25,85 ± 3,09 kg/m², a Circunferência da Cintura 93,30 ± 11,75 cm, a Relação Cintura-Quadril 0,90 ± 0,08 e o VO2 máx 47,70 ± 6,50 ml.kg-1.min -1. Discussão: Com essas informações se obteve uma muito alta correlação positiva entre IMC, CC e RCQ, uma alta correlação positiva entre IMC e o VO2 máx e uma correlação moderada positiva de CC e RCQ com o VO2 máx. Considerações finais: De acordo com os resultados do presente estudo pode-se concluir que, o militar participante está em boas condições físicas e apresentam índices que não indicam risco a saúde, entretanto desenvolver pesquisas adicionais, visando obter um diagnóstico mais preciso da situação da obesidade e seus indicadores nos militares das Forças Armadas.


Palavras-chave


Índice de Massa Corporal; Circunferência da cintura; Relação Cintura-Quadril; VO2 máximo; Militares

Texto completo:

PDF

Referências


-ACSM. Diretrizes do ACSM para os Testes de Esforço e sua Prescrição. 8ª edição.

São Paulo. Guanabara Koogan. 2010.

-Allison, D.B.; Zhu, S.K.; Plankey, M.; Faith, M.S.; Heo, M. Differential associations of body mass index and adiposity with all-cause mortality among men in the first and second National Health and Nutrition Examination Surveys (NHANES I and NHANES II) follow up studies. Int J Obes Relat Metab Disord. Vol. 26. Num. 3. 2002. p. 410-416.

-Amer, N.M.; Sanches, D.; Moraes, S.M.F. Índices de massa corporal e razão cintura/quadril de praticantes de atividade aeróbica moderada. Revista da Educação Física/UEM. Vol. 12. Num. 2. 2001. p. 97-103.

-Assumpção, L.O.T.; Morais, P.P.; Fontoura, H. Relação entre atividade física, saúde e qualidade de vida. Buenos Aires. Vol. 8. Num. 3. 2002. p. 50-52.

-Beck, W.R.; Zagatto, A.M. Mensuração da Aptidão Aeróbica Através dos Testes de 12 Minutos e Velocidade Crítica Após Oito Semanas de Treinamento Aeróbico em Militares. Rev. Educ. Fis. Vol. 12. Num. 3. 2009. p. 23-29.

-Brasil. Exército Brasileiro. Ministério da Defesa. Estado Maior do Exército: Manual de campanha: treinamento físico militar. 3ª Edição. Brasília. 2002.

-Brasil. Base Aérea de Santa Maria. Ministério da Defesa. Teste de

aptidão do condicionamento da Aeronáutica: flexiteste. Santa Maria. 2003.

-Brasil. Ordenança geral para o serviço da armada Rio de Janeiro: Diretoria de Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha. Rio de Janeiro. 2009.

-Cabrera, M.A.S.; Jacob Filho, W. Obesidade em idosos: prevalência, distribuição e associação com hábitos e co-morbidades. Arquivos brasileiros de endocrinologia & metabologia. São Paulo. Vol. 45. Num. 5. 2001. p. 494-501.

-Collins, P.A.; Gibbs, A.C.C. Stress in police officers: a study of the origins, prevalence and severity of stress-related symptoms within a county police force. Occup Med (Lond). Vol. 53. Num. 4. 2003. p. 255-263.

-Cooper, K.H. O programa aeróbico para o bem-estar total. Rio de Janeiro: Nórdica. 1982.

-Dalquano, C.H.; Júnior, N.N.; Castilho, M.M. Efeito do Treinamento Físico sobre o processo de envelhecimento e o Nível de Aptidão Física de Bombeiros. Revista da Educação Física/UEM. Vol. 14. Num. 1. 2003. p. 47-52.

-Damasceno, R.K.V.; Benevides, A.C.S.; Cunha, D.O.; Lima, D.L.F.; Gonzalez, R.H.; Mendonça, F.C.F. Composição Corporal e Dados Antropométricos de Policiais Militares do Batalhão de Choque do Estado do Ceará. Revista Saúde e Desenvolvimento Humano. Vol. 4. Num. 2. 2016. p. 109-1194.

-Damiani, D. Obesidade na infância e adolescência: Um extraordinário desafio. Arq Bras de Endocre Metab. Vol. 44. Num. 5. 2000. p. 363-365.

-Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases: report of a joint WHO/FAO expert consultation. Geneva. 28 Janeiro - 1 Fevereiro. 2002.

-Guedes, D.P.; Guedes, J.E.R.P. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. 2ª edição. Rio de Janeiro. Shape. 2003.

-Hayashi, T.; Boyko, E.J.; Leonetti, D.L.; Mc-Neely, M.J.; Newell-Morris, L.; Kahn, S.E.; Fujimoto, W.Y. Visceral adiposity is an independent predictor of incidente hypertension in Japanese Americans. Ann Intern Med. Vol. 140. Num. 12. 2004. p. 92-100.

-Machado, S.; Rodrigues, D.G.; Viana, K.D.; Sampaio, H.A.C. Correlação entre o Índice de Massa Corporal e Indicadores Antropométricos de Obesidade Abdominal em Portadores de Diabetes Mellitus Tipo 2. Rev Bras Promoção Saúde. Vol. 25. Num. 4. 2012. p. 512-520.

-Mukaka, M.M. Statistics Corner: A guide to appropriate use of Correlation coeficiente in medical research Malawi Medical Journal. Vol. 24. Num. 3. 2012. p. 69-71.

-Muniz, G.R.; Bastos, F.I.P.M. Prevalência de obesidade em militares da força aérea brasileira e suas implicações na medicina aeroespacial. Revista de Educação e de Tecnologia aplicadas à Aeronáutica. Vol. 2. Num. 1. 2010. p. 25-36.

-National Institutes of Health. Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation, and Treatment of Overweight and Obesity in Adults-The Evidence Report.National Institutes of Health.Obes Res. Vol. 6. Num. 2. 1998. p. 51-59.

-Neovius, M.; Linne, Y.; Rossner, S. Waist-circunference and waist-hip-ratio as diagnostic tests for fatness in adolescents. Int J Obes (Lond). Vol. 29. Num. 2. 2005. p. 163-169.

-Neves, E.B. Prevalência de sobrepeso e obesidade em militares do exército brasileiro: associação com a hipertensão arterial. Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal. Vol. 13. Num. 5. 2015. p. 1661-1667.

-O’Brien, E.; Waeber, B.; Parati, G., Staessen, J., Myers, M.G. Blood pressure devices: recomendations of the European Society of Hypertension. BMJ. Vol. 322. Num. 7285. 2001. p. 531-536.

- Oliveira, E. Validade do teste de aptidão física do exército brasileiro como instrumento para a determinação das valências necessárias ao militar. Revista de Educação Física. Vol. 131. Num. 2. 2005. p. 34-37.

-Oliveira, E.A.M.; Anjos, L.A. Anthropometry and cardiorespiratory fitness of military men in active duty, Brazil. Rev Saúde Pública. Vol. 42. Num. 2. 2008. p. 217-223.

-Oliveira, A.B., Silva, W.C., Santos, C.S., Silva, P.R. Influência de Indicadores Epidemiológicos nos Processos Decisórios de Controladores de Tráfego Aéreo da Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia. Rev. Educ. Fis. Vol.147. Num. 2. 2009. p. 34.

-Perissinotto, E.; Pisent, C.; Sergi, G.; Grigoletto, F.; Enzi, G. Anthropometric measurements in the elderly: age and gender differences. Br J Nutr. Vol. 87. Num. 2. 2002. p. 177-186.

-Peixoto, M.R.G.; Benício, M.H.D.; Latorre, M.R.; Jardim, P.C.B. Circunferência da Cintura e Índice de massa Corporal como Preditores da Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol. Vol. 87. Num. 4. 2006. p. 462-470.

-Pereira, L.N.; Monteiro, A.N.; Franca, E.G.; Barreto, J.G.; Pereira, R.; Machado, M. Correlação entre o VO2 max estimado pelo Teste de Cooper de 12 minutos e pelo YoYo Endurance Test L1 em atletas de futebol. Rev Bras Futebol. Vol. 1. Num. 1. 2008. p. 33-41.

-Pitanga, F. Testes Medidas e Avaliação em Educação Física. 3ª edição. São Paulo. Phorte. 2004.

-Ross, R.; Dagnone, D.; Jones, P.J.H.; Smith, H.; Paddags, A.; Hudson, R.; Janssen, I. Reduction in obesity and related comorbid conditions after diet-induced weight loss or exercise-induced weight loss in men: a randomized controlled trial. Ann Intern Med. Vol. 133. Num. 2. 2000. p. 92-100.

-Ross, R.; Katzmarzyk, P.T. Cardiorespiratory fitness associated with diminished total and abdominal obesity independent of body mass index. Int J Obes Relat Metab Disord. Vol. 27. Num. 2. 2003. p. 204-210.

-Sampaio, L.R.; Figueiredo, V.C. Correlação entre o índice de massa corporal e os indicadores antropométricos de distribuição de gordura corporal em adultos e idosos. Rev. Nutr. Vol. 18. Num. 1. 2005. p. 53-61.

-Silva, A.I.; Añez, C.R.; Arias, V.D.C. Níveis de aptidão física de árbitros de elite da Federação Paranaense de Futebol. Rev. Bras. Cia. e Mov. Vol. 12. Num. 1. 2004. p. 63-70.

-Stevens, J.; Cai, J.; Evenson, K.R.; Thomas, R. Fitness and fatness as predictors of mortality from all causes and from cardiovascular disease in men and women in the lipid research clinics study. Am J Epidemiol. Vol. 156. Num. 9. 2002. p. 832-841.

-World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation on obesity. Genebra. 1997.

-World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation. World Health Organ Tech Rep Ser. França. 2000.

-World Health Organization. Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. Genebra. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui