Potencial efeito do método fascial stretch training-7 (FST-7) nas variáveis hemodinâmicas, volume de repetições e percepção subjetiva de esforço

Matheus Agnez de Oliveira, Carlos Brendo Ferreira Reis, Lucas Rangel Affonso de Miranda, João Francisco de Oliveira Junior, Richard Diego Leite

Resumo


Diversos métodos de treinamento de força têm sido desenvolvidos com o intuito de otimizar os resultados, nesse sentido, o método Fascial Stretch Training (FST-7) vem sendo aplicado em fisiculturistas. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito do método FST-7 nas variáveis hemodinâmicas, volume de repetições e percepção subjetiva de esforço em universitários praticantes de musculação. Materiais e Métodos: amostra foi composta por 8 universitários do sexo masculino com 23 ± 2,72 anos, estatura de 1,74 ± 0,07 metros, massa corporal de 75,66 ± 10,85 kg, índice de massa corpórea (IMC) de 24,79 ± 1,78 e percentual de gordura de 8,48 ± 1,69. Foram realizadas 3 séries de 10 repetições os exercícios Agachamento e Leg Press com carga referente ao teste de 10RM e 7 séries na Cadeira Extensora com alongamento de 20 segundos entre as séries. A pressão arterial e frequência cardíaca foram coletadas antes da sessão, durante e após e a percepção subjetiva de esforço durante. Resultados: Com a execução do método FST-7, a frequência cardíaca, duplo-produto e pressão arterial apresentaram valores maiores durante as séries quando comparadas aos iniciais. Conclusão: O FST-7 promoveu aumento na PA e FC ao longo das séries, redução no número de repetições, em contrapartida, aumento nos valores de PSE.


Palavras-chave


Fascial Stretch Training; Pressão Arterial; Percepção Subjetiva de esforço; Treinamento de força

Texto completo:

PDF

Referências


-Buchman, J.; Costa, E.; Szott, A.; Castilhos, G.; Navarro, A.C. Comparação das alterações das variáveis fisiológicas agudas através do método tradicional e pirâmide para hipertrofia. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 2. Núm. 10. 2011. Disponível em:

-Cardozo, D. C.; Dias, M. R. C. Análise das respostas agudas da frequência cardíaca, pressão arterial e duplo produto no treinamento resistido com diferentes exercícios e intensidades. Revista de Atenção à Saúde (antiga Rev. Bras. Ciên. Saúde). Vol. 12. Núm. 40. p. 7-13. 2014.

-Castinheiras-Neto, A. G.; Costa-Filho, I. R.; Farinatti, P. T. V. Respostas cardiovasculares ao exercício resistido são afetadas pela carga e intervalos entre séries. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 4. p.493-501. 2010.

-Clarkson, P. M.; Hubal, M. J. Exercise-induce Muscle Damage in Humans. Am J Phys Rehabil. Vol. 81. p.S52-S69. 2002.

-Jackson, A. S.; Pollock, M. L. Generalized equations for predicting body density of men. Br J Nutr. Vol. 40. p.497-504. 1978.

-Junior, R. M.; Berton, R.; De Souza, T. M. F.; Chacon-Mikahil, M. P. T.; Cavaglieri, C. R. Effect of the flexibility training performed immediately before resistance training on muscle hypertrophy, maximum strength and flexibility. European Journal of Applied Physiology. Vol. 0. Núm. 0. p. 0. 2017.

-Kraemer, W. J.; Ratamess, N. A. Hormonal responses and adaptations to resistance exercise and training. Sports Med. Vol. 35. p.339-361. 2005.

-Marchetti, P.; Charro, M. A.; Prestes, J. Estrutura metodológica para montagem de programas e sistemas de treinamento de força. In:______. Prescrição e periodização do treinamento de força em academias. 2ª edição. São Paulo. Manole. p. 67-69. 142-143. 2016.

-Opplert, J.; Genty, J. B.; Babault, N. Do Stretch Durations Affect Muscle Mechanical and Neurophysiological Properties? International Journal of Sports Medicine. Vol. 37. Núm. 9. p. 673-679. 2016.

-Padilha, U. C. Efeitos do Fascial Stretching Training-7 nas respostas neuromusculares e metabólicas em homens treinados. Dissertação Mestrado em Educação Física. Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília. Brasília. 2017.

-Polito, M. D.; Simão, R.; Nóbrega, A. C. L.; Farinatti, P. T. V. Pressão arterial, frequência cardíaca e duplo-produto em séries sucessivas do exercício de força com diferentes intervalos de recuperação. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Porto. Vol. 4. p. 7-15. 2004.

-Simão, R.; Lemos, A.; Salles, B.; Leite, T.; Oliveira, E.; Rhea, M.; Reis, V.M. The Influence of Strength, Flexibility, and Simultaneous Training on Flexibility and Strength Gains. Journal Of Strength And Conditioning Research. Vol. 25. Núm. 5. p.1333-1338. 2011.

-Souza, A. C.; Bentes, C. M.; De Salles, B. F. Influence of inter-set stretching on strength, flexibility and hormonal adaptations. Journal of human kinetics. Vol. 36. p. 127-35. 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui