Características morfológicas e aptidão física de acadêmicos de Educação Física

  • Alberto Inácio da Silva Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.
  • Filipe Augusto Baier de Andrade Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.
  • Maria Carolina Struminsk Prestes Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.
  • Diego Augusto Santos Silva Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis-SC, Brasil.
  • Erivelton Fernandes França Centro Universitário Carlos Drummond de Andrade (Unidrummond), São Paulo-SP, Brasil. Programa de pós-graduação em Engenharia Biomédica, Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Mogi das Cruzes-SP, Brasil. Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT), Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Mogi das Cruzes-SP, Brasil.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar o perfil antropométrico e a capacidade aeróbia dos acadêmicos do curso de Educação Física. A amostra foi composta por 122 acadêmicos de ambos os sexos, sendo que foram coletados dados referentes a massa corporal, estatura, dobras cutâneas, perímetros e diâmetros ósseos e capacidade aeróbica. A partir da avaliação antropométrica foram estimados o Índice de Massa Corporal (IMC), porcentagem de Gordura Corporal (%GC) e o somatotipo. A avaliação da capacidade aeróbica foi realizada mediante a aplicação de teste de campo (vai e vem). O grupo masculino (81 acadêmicos) apresentou idade média de 21,98 ± 5,44 anos, massa corporal de 72,21 ± 10,86 kg e estatura de 1,75 ± 0,07 m. O grupo feminino (41 acadêmicas) apresentou idade média de 21,32 ± 3,3 anos, massa corporal de 61,82 ± 10,52 kg, e estatura de 1,61 ± 0,05m. Após a análise dos dados observou-se que o IMC médio do grupo masculino foi de 23,62 ± 3,0 kg/m², %GC de 14,13 ± 4,2, somatotipo de 3,5-4,9-2,2 e VO2 máx. 42,63 ± 5,53 mL/kg/min. O IMC médio do grupo feminino foi de 23,87 ± 3,62 kg/m², %GC de 24,72 ± 5,53, somatotipo de 5,8-4,3-1,3 e VO2 máx. 32,53 ± 5,83 mL/kg/min. Os acadêmicos apresentaram em média %GC dentro do padrão de normalidade e capacidade aeróbica classificada como boa. Entretanto, as acadêmicas apresentaram %GC acima do padrão de normalidade e nível de capacidade aeróbica classificada como regular.

Biografia do Autor

Alberto Inácio da Silva, Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.

Doutor em Biologia Celular Molecular área de concentração Fisiologia - UFPR

Mestrado em Metodologia do Treinamento Desportivo - ISCF Manuel Fajardo - CUBA

Graduado em Educação Física - PUCPR

Filipe Augusto Baier de Andrade, Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.
Graduado em Educação Física UEPG
Maria Carolina Struminsk Prestes, Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa-PR, Brasil.
Graduado em Educação Física UEPG
Diego Augusto Santos Silva, Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis-SC, Brasil.
Graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Sergipe. Especialização em Fisiologia do Exercício aplicado ao Treinamento e a Saúde. Mestrado e Doutorado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-Doutorado e Professor Vistante no Children's Hospital of Eastern Ontario Research Institute, Department of Pediatrics, University of Ottawa, Canadá.
Erivelton Fernandes França, Centro Universitário Carlos Drummond de Andrade (Unidrummond), São Paulo-SP, Brasil. Programa de pós-graduação em Engenharia Biomédica, Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Mogi das Cruzes-SP, Brasil. Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT), Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Mogi das Cruzes-SP, Brasil.
Possui duas graduações em Educação Física: Licenciatura pela Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL-2013) e Bacharelado pela Faculdade do Clube Náutico Mogiano (FCNM-2014). Doutorado em Engenharia Biomédica pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC)
Publicado
2020-05-03
Como Citar
da Silva, A. I., de Andrade, F. A. B., Prestes, M. C. S., Silva, D. A. S., & França, E. F. (2020). Características morfológicas e aptidão física de acadêmicos de Educação Física. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(85), 942-953. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1823
Seção
Artigos Científicos - Original