Comparação entre as respostas psicofisiológicas em teste incremental na e esteira e jogos de Futsal adaptados

  • Andressa Manholer Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil.
  • Alexandre Oliveira Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil. Grupo de Estudos em Atividade Física, Esporte e Tecnologia (GEPAFETEC), Curitiba-PR, Brasil.
  • Ricardo Denis Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil.
  • Ragami Chaves Programa de pós-graduação em Educação Física (PPGEF), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil.
  • Sérgio Gregório da Silva Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba-PR, Brasil.
  • Rosimeide Francisco dos Santos Legnani Grupo de Estudos em Atividade Física, Esporte e Tecnologia (GEPAFETEC), Curitiba-PR, Brasil.
  • Elto Legnani Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil. Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba-PR, Brasil. Programa de pós-graduação em Educação Física (PPGEF), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil. Grupo de Estudos em Atividade Física, Esporte e Tecnologia (GEPAFETEC), Curitiba-PR, Brasil.

Resumo

Para preparar cada vez melhor o atleta para o jogo, temos que conhecer as respostas fisiológicas e perceptivas dele frente ao treinamento. Sabendo desta importante etapa este estudo teve como objetivo analisar as respostas psicofisiológicas de atletas das categorias infantil e juvenil de futsal em diferentes formatos de treinos. A amostra foi composta por 20 atletas (13±1,2 anos) que inicialmente foram submetidos a avaliação antropométrica: estatura, massa corporal e percentual de gordura, teste de esforço máximo na esteira. Posteriormente foram analisadas as sessões de treinos em diferentes formatos de jogos reduzidos (2x2 e 3x3). A frequência cardíaca e a percepção subjetiva do esforço foram monitoradas em todas as sessões. As médias da frequência cardíaca tanto no teste de esteira (190,2 ± 9,8) como nos jogos 2x2 e 3x3 (190,8 ± 12,9 e 184,2 ± 16,6) foram muito similares. Já a percepção do esforço relatada no teste de esteira (9,5 ± 0,7) foi superior aos jogos 2x2 e 3x3 realizados no treinamento (7,0±1,2 e 6,5 ± 1,4) respectivamente. Conclui-se que as intensidades de carga interna encontradas nos exercícios de treinamento forma similares e até mesmo superiores ao teste máximo de esteira. Já a percepção de esforço frente aos exercícios demonstrou valores inferiores aqueles encontrados no teste de esteira. Revelando uma diferença entre carga interna, externa e perceptual no treinamento.

Publicado
2020-05-03
Como Citar
Manholer, A., Oliveira, A., Denis, R., Chaves, R., da Silva, S. G., Legnani, R. F. dos S., & Legnani, E. (2020). Comparação entre as respostas psicofisiológicas em teste incremental na e esteira e jogos de Futsal adaptados. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(86), 982-987. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1833
Seção
Artigos Científicos - Original