Comparação de índices morfológicos e cardiovasculares entre praticantes do treinamento de força, treinamento aeróbio e treinamento concorrente

  • Luana Pianezzer Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí-SC, Brasil.
  • Patrick Rodrigues School of Exercise and Nutrition Science, Queensland University of Technology (QUT), Brisbane, Queensland, Australia.

Resumo

Doenças não transmissíveis são respostas de um estilo de vida sem hábitos saudáveis, destacando-se inatividade física que está entre os fatores de risco para doenças e mortes no mundo. Ainda há controvérsias quanto ao melhor e mais eficiente método de treinamento, seja ele treinamento aeróbio (TA), força (TF) ou concorrente (TF+AE). O estudo teve como objetivo analisar se há diferenças nos índices morfológicos e cardiovasculares entre praticantes do treinamento de força, aeróbio e concorrente. A amostra deste estudo foi composta por 27 homens saudáveis (31,5 ± 13 anos) divididos em 4 grupos: grupo AE (n: 6); TF (n: 6); TF+AE (n: 10); e grupo controle (CON) (n: 5). Para os índices morfológicos foram realizadas coletas de circunferência abdominal, relação cintura quadril, índice de massa corporal e percentual de gordura. Para índices cardiovasculares foram coletados dados de VO2 máx, FC pós exercício, e PA de repouso. Os grupos de treinamento apresentaram dados menores de %G e circunferência abdominal comparados com grupo CON. O grupo AE apresentou melhores índices de RCQ e IMC comparado com CON e melhores índices de VO2máx e FCpós que todos os grupos. O grupo TF+AE apresentou valores menores de PAD comparado com grupo CON, e apresentou melhores valores de VO2máx e FCpós comparado com os grupos TF e CON. Todos os grupos de treinamento foram eficazes para diminuição de índices morfológicos e cardiovasculares. Porém, parece que o AE e o TF+AE são mais recomendados para o controle e prevenção de doenças que estão associadas com o aumento destes índices.

Publicado
2020-05-03
Como Citar
Pianezzer, L., & Rodrigues, P. (2020). Comparação de índices morfológicos e cardiovasculares entre praticantes do treinamento de força, treinamento aeróbio e treinamento concorrente. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(86), 995-1003. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1841
Seção
Artigos Científicos - Original