Relações do estado inflamatório e oxidativo com a adaptação em ratos submetidos a um protocolo de indução ao overtraining

  • Fernando Oliveira Catanho da Silva Centro Universitário UniMetrocamp/Wyden, Campinas-SP, Brasil.
  • Lázaro Alessandro Soares Nunes Centro Universitário UniMetrocamp/Wyden, Campinas-SP, Brasil.
  • René Brenzikofer Centro Universitário UniMetrocamp/Wyden, Campinas-SP, Brasil.
  • Denise Vaz de Macedo Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas-SP, Brasil.

Resumo

O objetivo desse trabalho foi investigar a relação dos estados inflamatório e oxidativo com a adaptação em ratos submetidos a um protocolo de indução ao overtraining. O protocolo foi realizado por 11 semanas, com sessões de treino em esteira 5x/semana, 60 minutos/sessão, considerando treinos de 1x/dia até 4x/dia. Foram analisadas as concentrações hepática e muscular das citocinas Fator de Necrose Tumoral-alfa, Interleucina 1-beta, Interleucina 6 e Interleucina 10, além da concentração muscular dos aminoácidos Glutamina e Glutamato. Ainda, analisamos a concentração sérica da Proteína C-reativa, Albumina, Ácido Úrico, Capacidade Antioxidante, Creatina Quinase, Uréia, Proteínas Totais e Creatinina, além do hemograma completo. A performance e os biomarcadores foram analisados após a 9ª (grupos Treinado [Tr] e Controle [CO]) e a 11ª semana (grupo Functional Overreaching [FOR]). Os resultados mostraram que a performance da maioria dos ratos melhorou significativamente no grupo FOR em relação aos grupos Tr e CO (p<0,05). O grupo FOR mostrou ainda maior padrão anti-inflamatório/antioxidante muscular e sérico em relação aos grupos Tr e CO (p<0,05). Ao mesmo tempo apresentou maior padrão pró-inflamatório no fígado em relação ao grupo CO (p<0,05). Ainda, houve queda na razão Glutamina/Glutamato em relação ao grupo Tr (p<0,05) e queda do hematócrito em relação aos grupos Tr e CO (p<0,05). Os resultados apresentados sugerem que os ratos do grupo FOR estavam bem adaptados ao protocolo de treinamento, considerando os níveis mais controlados de dano tecidual e inflamação sistêmica, além de exibirem nível de performance superior, junto de melhor padrão da razão anti-inflamatória/inflamatória e antioxidante/oxidante.

Biografia do Autor

Fernando Oliveira Catanho da Silva, Centro Universitário UniMetrocamp/Wyden, Campinas-SP, Brasil.

Professor e Bacharel em Educação Física - UNICAMP

Doutor em Biologia Funcional e Molecular - UNICAMP

Pós-doc em Biologia Funcional e Molecular - UNICAMP

Publicado
2020-05-03
Como Citar
da Silva, F. O. C., Nunes, L. A. S., Brenzikofer, R., & de Macedo, D. V. (2020). Relações do estado inflamatório e oxidativo com a adaptação em ratos submetidos a um protocolo de indução ao overtraining. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(86), 1041-1052. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1860
Seção
Artigos Científicos - Original