Resposta temporal de parâmetros cardiovasculares e renais de idosos hipertensos submetidos ao treinamento físico

  • Samara Silva Moura Programa de pós-graduação em Saúde e Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Perciliany Matins de Souza Souza Programa de pós-graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Altair Pinto da Silva Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Eliana Braga Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Karine Marlleny Neves Corrêa Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Daniel Barbosa Coelho Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Emerson Cruz Oliveira Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
  • Lenice Kappes Becker Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.

Resumo

Introdução: A prática regular de exercícios físicos contribui com o tratamento não farmacológico da hipertensão arterial (HA), e oferece condições favoráveis para função renal. Objetivo: Avaliar o efeito do tempo de treinamento sobre as respostas cardiovasculares e função renal de idosos hipertensos. Métodos: 19 voluntários com idade 62±1,6 anos hipertensos, foram submetidos a um programa de treinamento físico (TF) com duração de 3 meses. Ao final de cada mês de TF foram avaliados frequência cardíaca (FC) e pressão arterial (PA) em repouso, durante e na recuperação da sessão de exercício. Realizou-se também coleta urinária e sanguínea ao final de cada mês de TF para avaliar a função renal. Resultados: A recuperação da FC foi mais rápida no final do 2º mês de treinamento (90±2,9bpm) permanecendo no 3º mês (88±2,5bpm), (p<0,01), quando comparado com o final do 1º mês (98±2,3bpm). A recuperação da pressão arterial diastólica foi mais rápida no 2º mês (82± 0,9 mmHg) e 3º mês (79±1,1) em relação ao 1º mês (83±0,5mmHg) de TF. O ritmo de filtração glomerular foi significativamente maior a partir do 2º mês de treinamento. Conclusões: Este estudo mostrou que o TF foi efetivo na recuperação da FC e PA a partir do 2º mês de TF, além disso, já no final do 2º mês de TF observa-se melhora na função renal.

Biografia do Autor

Samara Silva Moura, Programa de pós-graduação em Saúde e Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
Graduada em Educação Física Bacharel e Licenciatura pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Pós Graduada pela Faculdade Integrada de Araguatins (FAIARA) em Educação Física Escolar e Psicomotricidade. Mestranda no Programa  Saúde e Nutrição  pela (UFOP).
Perciliany Matins de Souza Souza, Programa de pós-graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
Graduada em Educação Física Bacharelado (2013) e Licenciatura (2015) pela Universidade Federal de Ouro Preto. Mestre em Ciências Biológicas na área de Bioquímica Metabólica e Fisiológica. Atualmente é aluna de doutorado do programa de Pós Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Ouro Preto, onde realiza suas pesquisas no laboratório de Psicofisiologia.
Daniel Barbosa Coelho, Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
Prof. Adjunto I do CEDUFOP, da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP.
Emerson Cruz Oliveira, Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
Prof. Adjunto I do CEDUFOP, da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP.
Lenice Kappes Becker, Centro Desportivo, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto-MG, Brasil.
Prof.ª adjunta II do CEDUFOP,  Coordenadora do Laboratório de Fisiologia do Exercício - LABFE/ da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP.
Publicado
2020-05-03
Como Citar
Moura, S. S., Souza, P. M. de S., da Silva, A. P., Braga, E., Corrêa, K. M. N., Coelho, D. B., Oliveira, E. C., & Becker, L. K. (2020). Resposta temporal de parâmetros cardiovasculares e renais de idosos hipertensos submetidos ao treinamento físico. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(86), 1053-1060. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1862
Seção
Artigos Científicos - Original