Comparação entre a carga total levantada e o lactato sanguíneo em resposta as sessões de exercício de força executadas com exercício multiarticular e monoarticular em homens treinados

  • Felipe Alves Brigatto Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil. Centro Universitário Anhanguera, Leme
  • Tiago Volpi Braz Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Raphael Machado da Conceição Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Yuri Benhur Machado Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Márcio Antônio Sindorf Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Móises Diego Germano Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Júlio Benvenutti Bueno de Camargo Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Jefferson Benette Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Alex Harley Crisp Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil.
  • Marcelo Saldanha Aoki Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo-SP, Brasil.
  • Charles Ricardo Lopes Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil. Faculdade Adventista de Hortolândia, Hortolândia, São Paulo, Brasil.
Palavras-chave: Treinamento de força, Lactato, Desempenho neuromuscular

Resumo

Exercícios multiarticulares (MULTI) e monoarticulares (MONO) são comumente utilizados na prescrição do treinamento de força (TF). O objetivo do presente estudo foi investigar os efeitos dos exercícios MULTI e MONO sobre a carga total levantada (CTL) e a resposta do lactato sanguíneo, em sujeitos treinados em força. Participaram do estudo dez homens (idade: 28,0 ± 5,0 anos, estatura: 179,1 ± 5,9 cm, massa corporal total: 82,3 ± 8,8 kg) com experiência em TF (5,1 ± 1,1 anos). De maneira aleatorizada e cruzada, as sessões de exercício MULTI (supino reto) e MONO (crucifixo com halteres) consistiram na realização de 4 séries de 10 repetições máximas, com 90 segundos de pausa entre as séries. A CTL de cada sessão foi calculada e. a coleta de sangue foi conduzida nos momentos: antes, imediatamente, 5 e 10 minutos após cada sessão, para posterior determinação da concentração de lactato sanguíneo. A CTL foi maior (p<0,001) no exercício MULTI (2620,0 ± 416,5 vs. 1308,0 ± 148,5 kg; d=4,20) em comparação ao exercício MONO. Foi observado aumento na concentração do lactato sanguíneo após a execução de ambas sessões. No entanto, a magnitude de aumento do lactato foi maior no MULTI (6,3±1,2 vs. 3,5±0,5 mMol.L-1; d=3,05) em comparação ao MONO (p<0,001). Em conclusão, o protocolo MULTI propicia maior CTL e induz maior resposta do lactato sanguíneo em comparação ao protocolo MONO em homens treinados.

Biografia do Autor

Felipe Alves Brigatto, Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Movimento Humano, Faculdade de Ciências da Saúde; Grupo de Pesquisa em Performance Humana, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba-SP, Brasil. Centro Universitário Anhanguera, Leme

Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Faculdade de Ciências da Saúde (FACIS). Programa de Pós Graduação em Ciências do Movimento Humano. Campus Taquaral. Rodovia do Açúcar, km 156. Piracicaba (SP) Brasil. CEP: 13400-911.

Referências

-Baechle, T. R.; Earle, R. W. Essentials of strength training and conditioning. Champaign. Human Kinetics. 2008. p. 752.

-Eng, J. Sample size estimation: How many individuals should be studied? Radiology. Vol. 227. Núm. 2. p. 309-313. 2003.

-Ferreira, D. V.; Gentil, P.; Soares, S. R. S.; Bottaro, M. Recovery of pectoralis major and triceps brachii after bench press exercise. Muscle and Nerve. Vol. 56. Núm. 5. p. 963-967. 2017.

-França, H. S.; Branco, P. A. N.; Guedes Junior, D. P.; Gentil, P.; Steele, J.; Teixeira, C. V. L. S. The Effects of Adding Single-Joint Exercises To a Multi-Joint Exercise Resistance Training Program on Upper Body Muscle Strength and Size in Trained Men. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism. Vol. 40. Núm. 8. p. 822-826. 2015.

-Gentil, P.; Soares, S. R. S.; Pereira, M. C.; Cunha, R. R.; Martorelli, S. S.; Martorelli, A. S.; Bottaro, M. Effect of adding single-joint exercises to a multi-joint exercise resistance-training program on strength and hypertrophy in untrained subjects. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism. Vol. 38. Núm. 3. p. 341-344. 2013.

-Gentil, P.; Soares, S.; Bottaro, M. Single vs. Multi-Joint Resistance Exercises: Effects on Muscle Strength and Hypertrophy. Asian Journal of Sports Medicine. Vol. 6. Núm. 2. p. 1-5. 2015.

-Gentil, P.; Steele, J.; Fisher, J. A Review of the Acute Effects and Long-Term Adaptations of Single- and Multi-Joint Exercises During Resistance Training.Sports Medicine. Vol. 47. Núm. 5. p. 843-855. 2017.

-Giannakopoulos, K.; Beneka, A.; Malliou, P.; Godolias, G. Isolated vs. complex exercise in strengthening the rotator cuff muscle group. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 18. Núm. 1. p. 144-148. 2004.

-Kraemer, W. J.; Ratamess, N. A. Hormonal responses and adaptations to resistance exercise and training. Sports Medicine. Vol. 35 Núm. 4 p. 339-61. 2005.

-Marocolo, M.; Marocolo, I. C.; Cunha, F. S. B.; Da Mota, G. R.; Maior, A. S. Influence of percentage of 1 RM strength test on repetition performance during resistance exercise of upper and lower limbs. Archivos de Medicina del Deporte. Vol. 33 Núm. 6 p. 387-392. 2016.

-Polotow, T. G.; Souza-Junior, T. P.; Sampaio, R. C.; Okuyama, A. R.; Ganini, D.; Vardaris, C. V.; Alves, R. C.; McAnulty, S. R.; Barros, M. P. Effect of 1-RM, 80%RM, and 50%RM strength exercise in trained individuals on variations in plasma redox biomarkers. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 31. Núm. 9. p. 2489-2497. 2017.

-Ratamess, N. A.; Falvo, M. J.; Mangine, G. T.; Hoffman, J. R.; Faigenbaum, A. D.; Kang, J. The effect of rest interval length on metabolic responses to the bench press exercise. European Journal of Applied Physiology. Vol. 100. Núm. 1. p. 1-17. 2007.

-Ratamess, N. A.; Alvar, B. A.; Evetoch, T. K.; Housh, T. J.; Kibler, W. B.; Kraemer, W. J.; Triplett-McBride, T. American College of Sports Medicine position stand. Progression models in resistance training for healthy adults. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 41. Núm. 3. p. 687-708. 2009.

-Rhea, M. R. Determining the magnitude of treatment effects in strength training research through the use of the effect size. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 18. Núm. 4. p. 918-920. 2004.

-Simão, R.; Farinatti, P. D. T. V.; Polito, M. D.; Viveiros, L.; Fleck, S. J. Influence of exercise order on the number of repetitions performed and perceived exertion during resistance exercise in women. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 21. Núm. 1. p. 23-28. 2007.

-Soares, S.; Ferreira-Junior, J. B.; Pereira, M. C.; Cleto, V. A.; Castanheira, R. P.; Cadore, E. L.; Brown, L. E.; Gentil, P.; Bemben, M. G.; Bottaro, M. Dissociated time course of muscle damage recovery between single- and multi-joint exercises in highly resistance-trained men. Journal of Strength and Conditioning Research Vol. 29. Núm. 9. p. 2594-2599. 2015.

-Wagner, L. L.; Evans, S. A.; Weir, J. P.; Housh, T. J.; Johnson, G. O. The Effect of Grip Width on Bench Press Performance. International Journal of Sport Biomechanics. Vol. 8. Núm. 1. p. 1-10. 1992.

Publicado
2020-07-25
Como Citar
Brigatto, F. A., Braz, T. V., da Conceição, R. M., Machado, Y. B., Sindorf, M. A., Germano, M. D., de Camargo, J. B. B., Benette, J., Crisp, A. H., Aoki, M. S., & Lopes, C. R. (2020). Comparação entre a carga total levantada e o lactato sanguíneo em resposta as sessões de exercício de força executadas com exercício multiarticular e monoarticular em homens treinados. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 13(88), 1354-1360. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1865
Seção
Artigos Científicos - Original