Análise do perfil antropométrico e do nível de atividade física de escolares matriculados em período integral em comparação a escolares matriculados em período parcial de estudos

  • Victor Augusto Ramos Fernandes Doutor em Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil; Professor de Educação Física da Faculdade Network, campus Nova Odessa, São Paulo, Brasil.
  • Julia Tirelli Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil.
  • Giulia Brito Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil.
  • Francisco Homero D' ´Abronzo Professor de Medicina da Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil.
  • Felipe Cunha Professor de Educação Física da Rede Municipal de Jundiaí, São Paulo, Brasil; Professor de Educação Física da Universidade Unianchieta, Assessor de Projetos Esportivos da Prefeitura do Município de Jundiaí, Brasil.
  • Verônica Pavan Professor de Educação Física da Rede Municipal de Jundiaí, São Paulo, Brasil;Professor de Alimentos na Escola Técnica Benedito Storani, Diretora de Abastecimento da Prefeitura do Município de Jundiaí, Brasil.
  • Felipe Lovaglio Belozo Professor de Educação Física da Faculdade Network, campus Nova Odessa, São Paulo, Brasil.
  • Eduardo José Caldeira Professor de Medicina da Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil.
  • Marcelo Conte Professor de Educação Física da Escola Superior de Educação Física de Jundiaí, São Paulo, Brasil.
Palavras-chave: Ensino Fundamental e Médio, Exercício, antropometria, criança.

Resumo

A progressão do tempo de estudos para o nível fundamental é assegurada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, diante disso muitos estudos buscam elucidar e compreender quais os reais efeitos que essa progressão causa no aprendizado e no desenvolvimento dos escolares. Todavia, não foram encontrados estudos na literatura especializada que verifiquem o perfil antropométrico dos alunos matriculados em jornada integral de estudos, tampouco em comparação a estudantes em jornada parcial. Diante disso, o objetivo do presente estudo foi verificar o perfil antropométrico, nas características de peso, altura e índice de massa corporal, de estudantes matriculados em período integral e compará-los com alunos de jornada parcial de estudos. Ainda, objetivou-se a análise do nível de atividade física desses dois grupos distintos, buscando compreender as relações que o tempo dentro do ambiente escolar pode proporcionar nesse importante aspecto da vida dos estudantes. Os resultados indicam que os alunos matriculados em período integral não diferem estatisticamente dos alunos de tempo parcial, no que toca ao perfil antropométrico. Todavia, o nível de atividade física dos alunos em jornada integral é substancialmente maior, fato que a longo prazo pode trazer inúmeros benefícios a esses estudantes.

Biografia do Autor

Victor Augusto Ramos Fernandes, Doutor em Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina de Jundiaí, São Paulo, Brasil; Professor de Educação Física da Faculdade Network, campus Nova Odessa, São Paulo, Brasil.

Mestre e Doutorando em Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina de Jundiaí; Departamento de Morfologia e Patologia Básica; Laboratório de Morfologia dos Tecidos.

Referências

-Baumard, M.; Lebard, J.; Barroux, R. les rythmes scolaires. Le Monde de l`Education. Paris. Suplemento 1. 2001. 298.

-Bracht, V.; Almeida, F.Q. A política de esporte escolar no Brasil: A pseudovalorização da Educação Física. Rev.Bras. Cienc. Esporte. Vol. 24. Num. 3. 2003. p.87-101.

-Brasil. Lei nº. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União 23/12/1996.

-Brasil. Secretária de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Brasília. MEC/SEF. 1997.

-Camelo, L.V.; Rodrigues, J.F.C.; Giatti, L. Barreto, S.M. Lazer sedentário e consumo de alimentos entre adolescentes brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2009. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 28. Num. 11. 2012. 2155-2162.

-Cavaliere, A.M. Tempo de escola e qualidade na Educação Pública. Educ. Soc. Vol. 28. Num. 100. 2007. p.1015-1035.

-Cavaliere, A.M. Quantidade e racionalidade do tempo de escola: debates no Brasil e no mundo. Teias. Vol. 12. Num. 6. 2002a. p.116-126.

-Militão, A.G.; Silva, F.R.; Peçanha, L.M.; Souza, J.W.S.; Militão, E.S.G.; Campbell, C.S.G. Reproducibility and validity of a physical activity level and sedentary behavior evaluation questionnaire for school students aged 10 to 13 years, Federal Districti, Brazil, 2012. Epidemiol. Serv. Saúde. Vol. 22. Num. 1. 2013.111-20.

-Ministério de Esporte. [homepage na internet]. Diagnóstico da prática de esporte no Brasil. Acesso em 05/06/2019. Disponível em: http://www.esporte.gov.br/diesporte/2.html

-Organização Mundial da Saúde. Global Recommedantions on physical activity for health (5-17 years old). OMS. Disponível em:http://www.who.int/dietphysicalactivity/physical-activity-recommendations-5-17years.pdf. Acesso em: 25/11/2018.

-Silva, D.A.S.; Lima, J.O.; Silva, R.J.S.; Prado, R.L. Nível de atividade física e comportamento sedentário em escolares. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 11. Num. 2. 2009.

-Shmitz, H.; Souza, M.C.R.F. Reflexões sobre possíveis critérios de qualidade da escola em tempo integral. Artigo do Repositório Institucional da Universidade Federal de Sergipe. 2016.

-Souza, M.C.R.F.; Charlot, B. Relação com o saber na escola em tempo integral. Educação e Realidade. Vol. 41. Num. 6. 2016. 1071-1093.

Strey, L.M.; Souza, M.E.H.; Carvalho, M.A. Escola período integral: sua contribuição para a melhoria da educação. Revista Maiêutica. Vol. 5. Num. 1. 2017. 27-32.

-Suñé, F.R.; Dias-da-Costa, J.S.; Olinto, M.T.A.; Pattussi, M.P. Prevalência e fatores associados para o sobrepeso e obesidade em escolares de uma cidade no Sul do Brasil. Cad Saúde Pública. Vol. 23. Num. 6. 2007.

-Torres, A.A.L.; Furumoto, R.A.V.; Alves, E.D. Preschool antrhopometric evaluation - comparison between two referenciais: NCHS 2000 and OMS 2005. Revista Eletrônica de Enfermagem. Vol. 09. Num. 1. 2007. p.166-75.

-Vieira, S.F.; Vidal, E.M.; Freitas, P.F.; Gomes Batista, A.A. Reações das políticas educacionais estaduais nas escolas: um estudo de caso do Ceará, Goiás, Pernambuco e São Paulo. Cadernoscepenc. Vol. 6. Num. 2. 2016. p.51-79.

Publicado
2021-02-28
Como Citar
Fernandes, V. A. R., Tirelli, J., Brito, G., D’ ´AbronzoF. H., Cunha, F., Pavan, V., Belozo, F. L., Caldeira, E. J., & Conte, M. (2021). Análise do perfil antropométrico e do nível de atividade física de escolares matriculados em período integral em comparação a escolares matriculados em período parcial de estudos. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(90), 196-205. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1939
Seção
Artigos Científicos - Original