Influência do modelo de cargas seletivas nas capacidades motoras de jogadores de futsal durante o período competitivo

  • Carlos Rogério Thiengo Educação Física, UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
  • Guilherme Augusto Talamoni Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.
  • Higor dos Santos Morceli Preparador Físico de Condicionamento Físico no futebol, futsal; Especialista em Fisiologia do Exercício, Personal Trainer e Quiropraxista, Rio Claro-SP, Brasil.
  • Júlio César Porfirio Vicente Especialista em Treinamento para Grupos Especiais FIB, Bauru-SP, Brasil.
  • Roberto Nascimento Braga da Silva Mestre em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro - SP - Brasil.
  • Cláudio Silvério da Costa Doutorando em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.
  • Alexandre Janotta Drigo Mestranda em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Bauru-SP, Brasil.
  • Beatriz Gonçalves Universidade Estadual Paulista (Unesp), Bauru - SP – Brasil
  • Julio Wilson dos Santos Professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e do Programa de Pós em Ciências da Motricidade (Unesp), Departamento de Educação Física, Faculdade de Ciências, Bauru-SP, Brasil.
Palavras-chave: Avaliação física, Treinamento Periodizado, Cargas Seletivas

Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar a influência do modelo de cargas seletivas sobre o desenvolvimento das capacidades motoras de jogadores de futsal durante o período competitivo. Dez jogadores profissionais de futsal de nível estadual foram avaliados (23 ± 2 anos, 171,2 ± 3,6 cm, 70,3 ± 7,3, kg, 12,6 ± 3,9% de gordura), conforme o modelo de periodização com cargas seletivas ao momento pré-competição (M-1), meio de competição (M-2) e final de competição (M-3). As capacidades motoras avaliadas foram: flexibilidade (sentar-alcançar), força explosiva (salto horizontal), força rápida (salto triplo unipodal), velocidade (15 m), agilidade (40 m), corridas repetidas de velocidade e aptidão aeróbia intermitente (Yo-yo nível-1, YYIR-1). A diferença entre as médias dos três momentos (M-1, M-2 e M-3) foi feita através da ANOVA para medidas repetidas com post hoc de Newman Keuls, considerando a significância de 5% (p<0,05). Flexibilidade, saltos horizontal e triplo, parâmetros do teste de corridas repetidas não se alteraram entre os três momentos. A agilidade foi melhor no M-2 em relação ao M-1 e M-3 (+4,4 ± 1,1 e +5,5 ± 4,4%, respectivamente). O desempenho no YYIR-1 e V-15 aumentaram no M-3 em comparação a M-1 e M-2 (12,6 ± 5,1 e 7,5 ± 2,7%, respectivamente). Considerando a manutenção das capacidades motoras de flexibilidade, saltos horizontal e triplo e corridas repetidas de velocidade, associada à evolução da velocidade e distância no YYIR-1, principalmente no M-3, concluímos que o modelo de cargas seletivas foi satisfatório durante o período competitivo de uma equipe profissional de futsal.

Biografia do Autor

Carlos Rogério Thiengo, Educação Física, UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.

Doutor em Educação Física, UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.

Guilherme Augusto Talamoni, Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Mestre em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Higor dos Santos Morceli, Preparador Físico de Condicionamento Físico no futebol, futsal; Especialista em Fisiologia do Exercício, Personal Trainer e Quiropraxista, Rio Claro-SP, Brasil.

Preparador Físico de Condicionamento físico no futebol, futsal; especialista em Fisiologia do Exercício, Personal Trainer  e Quiropraxista, Rio Claro-SP, Brasil.

Júlio César Porfirio Vicente, Especialista em Treinamento para Grupos Especiais FIB, Bauru-SP, Brasil.

Especialista em Treinamento para Grupos Especiais - FIB, Bauru-SP, Brasil.

Roberto Nascimento Braga da Silva, Mestre em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro - SP - Brasil.

Mestre em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Cláudio Silvério da Costa, Doutorando em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Doutorando em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Alexandre Janotta Drigo, Mestranda em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Bauru-SP, Brasil.

Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro-SP, Brasil.

Beatriz Gonçalves, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Bauru - SP – Brasil

Mestranda em Ciências da Motricidade, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Bauru - SP – Brasil

Julio Wilson dos Santos, Professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e do Programa de Pós em Ciências da Motricidade (Unesp), Departamento de Educação Física, Faculdade de Ciências, Bauru-SP, Brasil.

Professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e do Programa de Pós em Ciências da Motricidade (Unesp), Departamento de Educação Física, Faculdade de Ciências, Bauru-SP, Brasil.

Referências

-Almeida, G.T.; Rogatto, G.P. Efeitos do método pliométrico de treinamento sobre a força explosiva, agilidade e velocidade de deslocamento de jogadoras de futsal. Revista Brasileira de Educação Física, Esporte, Lazer e Dança. Vol. 2. Num. 1. 2007. p. 23-38.

-Bangsbo, J.; Laia, F.M.; Krustrup, P. The Yo-Yo Intermittent Recovery Test. A Useful Tool for Evaluation of Physical Performance in Intermittent Sports. Sports Medicine. Vol. 38. Num. 1. 2008. p. 37-51.

-Bangsbo, J. Yo-Yo Test. Ancona. Kells.1996.

-Barbero-Álvarez, J.C.; Soto, V.M.; Barbero-Álvarez, V.; Granda-Vera, J. Match analysis and heart rate of futsal players during competition. Journal of Sports Sciences. Vol. 26. Num. 1. 2008. p. 63-73.

-Castagna, C.; D’Ottavio, S.; Granda Vera, J.; Barbero-Alvarez, J.C. Match demands of professional futsal: a case study. Journal Sciences Medicine Sport. Vol. 12. 2009. p. 490-494.

-Cetolin, T.; Foza, V. Periodização no Futsal: descrição da utilização da metodologia de treinamento baseada nas cargas seletivas. Brazilian Journal of Biomotricity. Vol. 4. Num. 1. 2010. p. 24-31.

-Corradine, T.H. Cargas concentradas adaptada de força e alterações das capacidades motoras do macrociclo de treinamento no futsal. Monografia. Faculdade de Educação Física, Universidade de Campinas. Campinas. 2003.

-Dantas, E.H.M.; Godoy, E.S; Sposito-Araújo, C.A.; Oliveira, A.L.S.; Azevedo, R.C.; Turbino, M.J.G.; Gomes, A.C. Adequabilidade dos principais modelos de periodização do treinamento esportivo. Revista Brasileira de Ciência e Esporte. Vol. 33. Num. 2. 2011. p. 483-494.

-Draper, N.; White, G. Here´s a new running-based test of anaerobic performance for which you need only a stopwatch and a calculator. Peak Performance. Vol. 96. 1997. p. 3-5.

-Gomes, A.C.; Souza, J. Futebol: treinamento desportivo de alto rendimento. São Paulo. Artmed. 2008.

-Gomes, A.C. Treinamento desportivo: estrutura e periodização. Porto Alegre. Artmed. 2002.

-Issurin, V.B. New horizons for the methodology and physiology of training periodization. Sports Medicine. Vol. 40. Num. 3. 2010. p. 189-206.

-Jackson, A.S.; Pollock, M.L. Generalized equations for predicting body density of men. British Journal of Nutrition. Vol. 1. Num. 40.1978. p. 497-504.

-Kiely, J. New horizons for the methodology and physiology of training periodization: block periodization: new horizon or a false dawn?. Sports Medicine. Vol. 40. Num. 9. 2010. p. 803-807.

-La Rosa, F. Direções de treinamento: novas concepções metodológicas. Rio de Janeiro. Phorte. 2006.

-Moreira, A.; Okano, A.H.; Souza, M.; Oliveira, P.R.; Gomes, A.C. Sistema de cargas seletivas no basquetebol durante um mesociclo de preparação: implicações sobre a velocidade e as diferentes manifestações de força. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 13. Num. 3. 2005. p.7-16.

-Moreira, A.; Oliveira, P.R.; Okano, A.H.; Souza, M.; Arruda, M. A dinâmica de alterações das medidas de força e o efeito posterior duradouro do treinamento em basquetebolistas submetidos ao treinamento em bloco. Revista Brasileira Medicina do Esporte. Vol. 10. Num. 4. 2004. p. 243-250.

-Moreira, A.; Oliveira, P.R; Ronque, E.R.V; Okano, A.H; Souza, M. Análise de diferentes modelos de estruturação da carga de treinamento e competição no desempenho de basquetebolistas no Yo-Yo intermittent endurance test. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 29. Num. 2. 2008. p. 165-183.

-Moreira, A. La periodización del entrenamiento y las cuestiones emergentes: el caso de los deportes de equipo. Revista Andaluza de Medicina del Deporte. Vol. 3. Num. 4. 2010. p. 170-178.

-Nascimento, P.C; Lucas, R.D; Pupo, J.D; Arins, F.B; Castagna, C; Guglielmo, L.G.A. Effects of four weeks of repeated sprint training on physiological indices in futsal players. Revista Brasileira Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 17. Num. 1. 2015. p. 91-103.

-Queiroga, M.R. Testes e medidas para avaliação da aptidão física relacionada à saúde em adultos. Rio de Janeiro. Guanabara. 2005.

-Salles, J.G.C.; Moura, H.B. Futsal. In: Da Costa L. Atlas do esporte no Brasil. Rio de Janeiro. CONFEF. 2006. p. 10.3.

-Siri, W.E. Body composition from fluid spaces and density: analysis of methods. In: Brozek JE, Henschel A.Technique for measuring body composition. Washington (DC). National academy of Science. 1961.

-Thiengo, C.R.; Talamoni, G.A.; Silva, R.N.B.; Morceli, H.S.; Porfirio, J.C.; Santos, J.W. Efeito do modelo de periodização com cargas seletivas sobre capacidades motoras durante um mesociclo preparatório em jogadores de futsal. Revista. Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 35. Num. 4. 2013. p. 1035-1050.

-Zagatto, A.M.; Beck, W.R.; Gobatto, C.A. Validity of the running anaerobic sprint test for assessing anaerobic power and predicting short-distance performances. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 23. Num. 6. 2009. p. 1820-1827.

Publicado
2021-02-24
Como Citar
Thiengo, C. R., Talamoni, G. A., Morceli, H. dos S., Vicente, J. C. P., Silva, R. N. B. da, Costa, C. S. da, Drigo, A. J., Gonçalves, B., & Santos, J. W. dos. (2021). Influência do modelo de cargas seletivas nas capacidades motoras de jogadores de futsal durante o período competitivo. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(89), 108-121. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1990
Seção
Artigos Científicos - Original