Efeitos do treinamento de força muscular na agilidade e velocidade nos jogadores do basquetebol em cadeira de rodas

  • Joseana Araújo Bezerra Brasil Pinheiro Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Centro de Excelência em Paradesporto da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
  • Silvana Maria Moura da Silva Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Programa de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Centro de Excelência em Paradesporto da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
  • Rodrigo Lopes da Silva Bacharelado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
  • Letícia de Carvalho Centro de Excelência em Paradesporto da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Bacharelado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
  • Antonio Coppi Navarro Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Laboratório de Fisiologia e Prescrição do Exercício do Maranhão, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
  • Francisco Navarro Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Saúde do Adulto da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Centro de Excelência em Paradesporto da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil; Laboratório de Fisiologia e Prescrição do Exercício do Maranhão, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.
Palavras-chave: Treinamento físico, Força muscular, Basquetebol, Cadeiras de Rodas, Mensuração da velocidade

Resumo

Introdução: O basquete em cadeira de rodas é fisicamente exigente, requerendo um alto nível de habilidades e qualidades físicas como velocidade, agilidade e força rápida dos membros superiores, sobretudo, de musculatura envolvida na propulsão em cadeira de rodas. Objetivo: Analisar os efeitos do treinamento de força muscular na agilidade e velocidade nos jogadores de basquetebol em cadeira de rodas. Materiais e Métodos: Tratou-se de um estudo quantitativo quase experimental, com oito jogadores de basquetebol em cadeira de rodas da Associação Paradesportiva Maranhense, do sexo masculino, cinco com paraplegia, dois amputados e um vítima de artrogripose. Todos realizaram mensuração de medidas antropométricas, de testes de agilidade, velocidade e uma repetição máxima e submetidos ao treinamento de força por 12 semanas. Na agilidade, utilizou-se o teste em ziguezague; na velocidade, o teste de corrida de 40m na cadeira de rodas e na força uma repetição máxima executados em quatro momentos: inicial, após quatro semanas, após oito e após 12 semanas. As cargas foram de 60%, 70% e 80% de uma repetição máxima, reajustadas a cada quatro semanas para retestes. Discussão: As respostas positivas ao treinamento de força reduziram os índices de velocidade e agilidade, apoiando os resultados da maioria dos estudos citados. Resultados: Na agilidade, o período de 12 semanas reduziu o tempo percorrido em 8,4% e na velocidade em 6,6%. Conclusão: Todos os jogadores independentemente do tipo de deficiência ou classificação funcional apresentaram ganhos de força muscular na parte superior do corpo em 12 semanas de treinamento, diminuição do tempo percorrido na velocidade e agilidade.

Referências

-American College of Sports Medicine. Guidelines for exercise testing and prescription. 8th edition. Philadelphia. The Point. 2009.

-Aquino, G.C.; Fortes, E.; Rabelo, R.J. Análise comparativa da agilidade em praticantes de basquetebol em cadeira de rodas. Movimentum. Revista Digital de Educação Física. Vol. 3. Núm. 2. 2008. p. 1-7.

-Barbanti, V.J. Treinamento físico: bases científicas. 3ª edição. São Paulo. CLR Balieiro. 1996.

-Belasco Júnior, D.; Silva, A.C. Consistência dos resultados do teste de corrida em ziguezague de Barrow (modificado) em jogadores de basquetebol em cadeira de rodas. 2º International Congress of Motor Rehabilitation. 1998.

-Cardoso, V.D.; Palma, L.E.; Bastos, T.C.L.; Corredeira, R.M.N. Avaliação da aptidão física relacionada ao desempenho de atletas de handebol em cadeira de rodas. Revista da Sociedade Brasileira da Atividade Motora Adaptada. Vol. 13. Núm. 1. 2012. p. 14-19.

-Cidade, R.E.A.; Freitas, R.U.A. Introdução à educação física e ao desporto para pessoas portadoras de deficiência. Curitiba. UFPR. 2002.

-Coutts, K.D. Dynamics of wheelchair basketball. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 24. Núm. 2. 1992. p. 231-234.

-Cruz, D.M.C.; Emmel, M.L.G. Associação entre papeis ocupacionais, independência, tecnologia assistiva e poder aquisitivo em sujeitos com deficiência física. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol. 21. Núm. 2. 2012. p. 1-8.

-Dantas, E.H.M. A prática da preparação física. 5ª edição. Rio de Janeiro. Shape. 2003.

-Ferreira, S.A.; Souza, W.C.; Nascimento, M.A.; Tartaruga, M.P.; Portela, B.S. Mascarenhas, L.P.G.; Queiroga, M.R. Morphological characteristics, muscles trength, and anaerobic power performance of wheelchair basketball players. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 19. Núm. 3. 2017. p. 343-353.

-Feter, N.; Calonego, C.; Cavanhi, C.A.; Vecchio, B.F. Wheelchair basketball: fitness and quality of life. European Journal of Adapted Physical Activity. Vol. 11. Núm. 1. 2018. p. 5.

-Fiorilli, G.; Iuliano, E.; Aquino, G.; Battaglia, C.; Giombini, A.; Calcagno, G.; Cagno, A. Mental health and social participation skills of wheelchair basketball players: a controlled study. Research in Developmental Disabilities. Vol. 34. Núm. 11. 2013. p. 3679-3685.

-Goosey-Tolfrey, V. Wheelchair sport. Champaign. Human Kinetics. 2010.

-Goosey-Tolfrey, V.L.; Moss, A.D. Wheelchair velocity of tennis players during propulsion with and without the use of racquets. Adapted Physical Activity Quarterly. Vol. 22. Núm. 3. 2005. p. 291-301.

-Gorgatti, M.G.; Böhme, M.T.S. Autenticidade científica de um teste de agilidade para indivíduos em cadeira de rodas. Revista Paulista de Educação Física. Vol. 17. Núm. 1. 2003. p. 41-45.

-Gorgatti, M.G.; Serassuelo, H.; Santos, S.S.; Nascimento, M.B. Oliveira, S.R.S.; Simões, A.C. Tendência competitiva no esporte adaptado. Arquivos Sanny de Pesquisa e Saúde. Vol. 18. Núm. 1. 2008. p. 18-25.

-Gorgey, A.S.; Gater, D.R. Regional and relative adiposity patterns in relation to carbohydrate and lipid metabolism in men with spinal cord injury. Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism. Vol. 36. Núm. 1. 2010. p. 107-114.

-Gorla, J.I. Educação física adaptada: o passo a passo da avaliação. 2ª edição. São Paulo. Phorte. 2013.

-Gorla, J.I.; Araújo, P.F.; Carminato, R.A. Análise das variáveis motoras em atletas de basquetebol em cadeiras de rodas. Revista Digital. Buenos Aires. Ano 10. Núm. 83. 2005.

-Gorla, J.I.; Campana, M.B.; Oliveira, L.Z. Teste e avaliação em esporte adaptado. São Paulo. Phorte. 2009.

-Groot, S.; Balvers, I.J.M.; Kouwenhoven, S.M.; Jansen, T. W. Validity and reliability of tests determining performance-related components of wheelchair basketball. Journal of Sports Sciences. Vol. 30. Núm. 9. 2012. p. 879-887.

-Houcine, B.; Djamel, M.; Mohamed, Z. The impact of weighted basketball balls in improving certain physical performances via wheelchair basketball players. Turkish Journal of Kinesiology. Vol. 3. Núm. 2. 2017. p. 17-21.

-Jentiens, R.; Jeukendrup, A. E. Determinants of posexercise glycogen synthesis during short-term recovery. Sports Medicine. Vol. 33. Núm. 2. 2003. p. 117-144.

-Mayer, F.; Billow, H.; Horstmann, T.; Martini, F.; Niess, A.; Röcker, K.; Dickhuth, H.H. Muscular fatigue, maximum strength and stress reactions of the shoulder musculature in paraplegics. International Journal of Sports Medicine. Vol. 20. Núm. 7. 1999. p. 487-493.

-McArdle, W.; Katch, F.; Katch, V. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 8ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2016.

-Melo, F.C.M.; Lima, K.K.F.; Silveira, A.P.K.F.; Azevedo, K.P.M.; Santos, I.K.; Medeiros, H.J.; Leitão, J.C.; Knackfuss, M.I. Physical training and upper-limb strength of people with paraplegia: a systematic review. Journal of Sport Rehabilitation. Vol. 28. Núm. 3. 2019. p. 288-293.

-Moraes, G.F.G.; Candido, C.R.C.; Faquin, B.S.; Gorgatti, T.; Marques, I.; Okazaki, V.H.A. O efeito da prescrição de cadeira de rodas de basquetebol sobre o desempenho esportivo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 33. Núm. 4. 2011. p. 991-1006.

-Neves, M.A.O.; Mello, M.P.; Antonioli, R.S.; Freitas, M.R.G. Escalas clínicas e funcionais no gerenciamento de indivíduos com lesões trau¬máticas da medula espinhal. Revista de Neurociências. Vol. 15. Núm. 3. 2007. p. 234-239.

-Ozmen, T.; Yuktasir, B.; Un Yildirim, N.; Yalcin, B.; Willems, M.E. Treinamento de força explosiva melhora a velocidade e a agilidade de atletas de basquetebol em cadeiras de rodas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 20. Núm. 2. 2014. p. 97-100.

-Rhea, M.R. Determining the magnitude of treatment effects in strength training research through the use of the effect size. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 18. Núm. 4. 2004. p. 918-920.

-Rhodes, J.M.; Rhodes, J.M.; Mason, B.S.; Perrat, B.; Smith, M.J.; Malone, L.A.; Goosey-Tolfrey, V.L. Activity profiles of elite wheelchair rugby players during competition. International Journal of Sports Physiology and Performance. Vol. 10. Núm. 3. 2015. p. 318-324.

-Riebe, D.; Ehrman, J.K.; Liguori, G.; Magal, M. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 10ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2018.

-Turbanski, S.; Schmidtbleicher, D. Effects of heavy resistance training on strength and power in upper extremities in wheelchair athletes. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 24. Núm. 1. 2010. p. 8-16.

-Van der Slikke, R.M.A.; Bergera, M.A.M.; Bregman, D.J.J.; Veeger, H.E.J. From big data to rich data: The key features of athlete wheelchair mobility performance. Journal of Biomechanics. Vol. 49. Núm. 14. 2016. p. 3340-3346.

-Vanlandewijck, Y.C.; Theisen, D.M.; Daly, D.J. Field test evaluation of aerobic, anaerobic and wheelchair basketball skills performances. International Journal of Sports Medicine. Vol. 20. Núm. 8. 2001. p. 548-554.

Publicado
2021-11-07
Como Citar
Pinheiro, J. A. B. B., Silva, S. M. M. da, Silva, R. L. da, Carvalho, L. de, Navarro, A. C., & Navarro, F. (2021). Efeitos do treinamento de força muscular na agilidade e velocidade nos jogadores do basquetebol em cadeira de rodas. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 15(95), 8-21. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2155
Seção
Artigos Científicos - Original