ANÁLISE COMPARATIVA DE ENCURTAMENTO DOS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS EM PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO

  • Alison Silva Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES-UNITA)
  • DEMÓSTENES DE BARROS MIRANDA NETO
  • JOÃO VITOR LOURENÇO DA SILVA SANTOS
  • DEMÓSTENES DE BARROS MIRANDA NETO
  • WILLIAM DAVID BARBOSA DA SILVA
Palavras-chave: Exercícios de alongamento muscular; Músculos isquiotibiais; Treinamento de resistência.

Resumo

O presente estudo tem como objetivo comparar os graus de encurtamento muscular dos isquiotibiais em praticantes e não praticantes de musculação. Trata-se de uma pesquisa de caráter descritiva e quantitativa realizada na academia escola do Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES – UNITA). O estudo foi composto por uma amostra de trinta participantes do sexo masculino, escolhidos através de amostragem por conveniência. Os indivíduos foram distribuídos em dois grupos sendo 15 participantes do grupo Praticantes (n=15), e (n=15) Não Praticantes de Musculação. Os pesquisadores realizaram os testes de encurtamento muscular, “elevação da perna estendidaâ€, mensuração do ângulo do encurtamento com o goniômetro e a medida real de comprimento para os membros inferiores. Observou-se que a prevalência de encurtamento dos músculos isquiostibiais nas amostras de praticantes de musculação foi de 63,3%, não se observou nenhuma diferença estatisticamente significativa em relação ao encurtamento muscular quando comparado o grupo praticante e não praticante de musculação (115,6 ± 7 vs 112 ± 8, p = 0,007). Conclui-se que indivíduos treinados em musculação tendem a ser mais encurtados quando comparados aos não praticantes.

Referências

-Achour Junior, A. Exercícios de alongamento: anatomia e fisiologia. 2ª edição. Manole. 2006.

-Alencar, D.; Melo, T. A.; Matias, K. F. S. Princípios fisiológicos do aquecimento e alongamento muscular na atividade esportiva. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 16. Núm. 3. p. 230-234. 2010.

-Almeida, T. T.; Jabur, M. N. Mitos e verdades sobre flexibilidade: reflexões sobre o treinamento de flexibilidade na saúde dos seres humanos. Motricidade. Vol. 3. Núm. 1. p. 337-344. 2007.

-Cardoso, J. H. P.; Oliveira D.; Silas; C. D. T. Análise de encurtamento dos músculos isquiotibiais em adultos jovens de 18 a 25 anos. Colloquium Vitae. Vol. 8. Núm. Especial. p. 90-96. 2016.

-Cailliet, B. Dor no joelho. 3ª edição. Porto Legre. Artmed. 2002.

-Dantas, E.H.M. Flexibilidade: Alongamento e Flexionamento. 5ª edição. Rio de Janeiro. Shape. 2005.

-Ernlund, L.; Almeida, V. L. Lesões dos isquiotibiais: artigo de atualização. Revista Brasileira de Ortopedia. Vol. 52. Núm. 4. p. 373-382. 2017.

-Ferreira, E. A. G.; Duarte, M.; Maldonado, E. P.; Burke, T. N.; Marques, A. P. Postural assessment software (PAS/SAPO): validation and reliabiliy. Clinics. Vol. 65. Núm. 7. p.675-681. 2010.

-Folstein, M. F.; Folstein, S. E.; McHugh, P. R. Mini-mental state: a practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. J Psychiatric Res. Vol. 12. p.189-98. 1975.

-Kronbauer, G. A.; Castro, F. A. D. S. Estruturas elásticas e fadiga muscular. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 35. Núm. 2. p.503-520. 2013.

-Lourenço, R. A.; Veras, R. P. Mini-Exame do Estado Mental: características psicométricas em idosos ambulatoriais. Revista de Saúde Pública. Vol. 40. p.712-719. 2006.

-Palmer, L.; Epler, M. Fundamentos das técnicas de avaliação musculoesqueléticas. 2ª edição. Guanabara Koogan. 2000.

-Schaefer, D. R. C.; Ries, L. G. K. Análise eletromiográfica dos músculos posteriores da coxa na cadeira e mesa flexora. Journal of Physical Education. Vol. 21. Núm. 4. p. 616-624. 2010.

-Silva, M. R.; Ferretti, F.; Lutinski, J. A. Dor lombar, flexibilidade muscular e relação com o nível de atividade física de trabalhadores rurais. Saúde em Debate. Vol. 41. p.183-194. 2017.

-Simões, V. R. Alongamento: Um grande aliado dos atletas. 2010. Disponível in: mundocross.com.br. Acesso em: 24/04/2020.

Publicado
2021-10-10
Como Citar
Silva, A., DE BARROS MIRANDA NETO, D., LOURENÇO DA SILVA SANTOS, J. V., DE BARROS MIRANDA NETO, D., & DAVID BARBOSA DA SILVA, W. (2021). ANÁLISE COMPARATIVA DE ENCURTAMENTO DOS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS EM PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(93), 767-773. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2203
Seção
Artigos Científicos - Original