ALONGAMENTO ESTÁTICO E EXERCÍCIOS DE MOBILIDADE DE TORNOZELO AUMENTAM O PADRÃO DE MOVIMENTO DO AGACHAMENTO LIVRE

  • Vanessa Carvalho Mariano Centro Universitário Gama e Souza
  • Walace Mauricio da Silva Centro Universitário Gama e Souza
  • Estêvão Rios Monteiro Escola de Educação Física e Desporto - Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Victor Gonçalves Corrêa Neto Centro Universitário Gama e Souza
  • Felipe da Silva Triani Centro Universitário Gama e Souza
Palavras-chave: Flexibilidade, Alongamento, Padrão de Movimento

Resumo

O objetivo do presente estudo foi comparar o efeito agudo do alongamento estático e de exercícios de mobilidade articular sobre a amplitude de movimento do exercício de agachamento livre. Fizeram parte do presente estudo 20 participantes de ambos os sexos fisicamente ativos e aparentemente saudáveis. Os participantes realizaram dois protocolos com entrada aleatória, conduzidos pela técnica do quadrado latino, sendo eles: 1) exercícios de alongamento (PEA) e 2) exercícios de mobilidade (PEM). PEA compreendeu exercícios rotacionais do tornozelo com um elástico, em série única com 10 repetições em cada lado do corpo. PEM para o tornozelo consistiu em movimentos articulares de flexão plantar e a dorsiflexão de tornozelo no plano sagital, onde o participante permaneceu ou sentado ou deitado em decúbito dorsal com os joelhos fletidos para minimizar a ação dos músculos posteriores da coxa, onde o participante realizou uma série única com 10 repetições. Ainda, PEM para o quadril consistiu em exercícios de mobilidade realizados em posição de cócoras, em série única com 30†segundos. A amplitude do movimento foi mensurada em graus através da avaliação cinemática com o uso do 2D Kinovea®. Foram encontradas diferenças significativas entre as medidas angulares quando comparado os momentos pré e pós intervenção tanto para o grupo PEA (p = 0,012) quanto para o grupo PEM (p = 0,005) ilustrando uma melhora na amplitude do movimento. Em relação a comparação intergrupos não existiram diferenças significativas entre os momentos pré (p = 0,285) nem entre os momentos pós (p = 0,131). Em conclusão, ambas as técnicas parecem ser modalidades efetivas para ganhos agudos no padrão de movimento do agachamento livre. Esses resultados possuem boa aplicabilidade prática tanto no cenário do desempenho quanto da reabilitação, principalmente no que tange aos efeitos globais de ambas as técnicas.

Biografia do Autor

Vanessa Carvalho Mariano, Centro Universitário Gama e Souza

Bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Gama e Souza, Rio de Janeiro, Brasil.

Walace Mauricio da Silva, Centro Universitário Gama e Souza

Bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Gama e Souza, Rio de Janeiro, Brasil.

Estêvão Rios Monteiro, Escola de Educação Física e Desporto - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Doutorando em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Professor do curso de Educação Física do Centro Universitário Augusto Motta, Rio de Janeiro, Brasil.

Victor Gonçalves Corrêa Neto, Centro Universitário Gama e Souza

Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Doutorando em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Professor do curso de Educação Física do Centro Universitário Gama e Souza e da Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, Brasil.

Felipe da Silva Triani, Centro Universitário Gama e Souza

Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Doutorando em Ciências do Exercício e do Esporte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Professor do curso de Educação Física do Centro Universitário Gama e Souza e da Universidade Estácio de Sá

Referências

-Behm, D. G.; Chaouachi, A. A review of the acute effects of static and dynamic stretching on performance. Eur J Appl Physiol. Vol.111. Núm.11. p. 2633-2651. 2011.

-Behm, D. G.; Cavanaugh, T.; Quigley, P.; Reid, J. C.; Nardi, P. S.; Marchetti, P. H. Acute bouts of upper and lower body static and dynamic stretching increase non-local joint range of motion. Eur J Appl Physiol. Vol.116. Núm.1. p. 241-249. 2016a.

-Behm, D. G.; Blazevich, A. J.; Kay, A. D.; MacHugh, M. Acute effects of muscle stretching on Physical performance, range of motion, and injury incidence in healthy active individuals: a systematic review. Appl Physiol Nutr Metab. Vol.41. Núm.1. p. 1-11. 2016b.

-Behm, D. G. The science and physiology of flexibility and stretching: implications and applications in sport performance and health. United Kingdom. Routledge Publishers. p.139-165. 2018.

-Bentes, C. M.; Simão, R.; Bunker, T.; Rhea, M. R.; Miranda, H.; Gomes, T. M.; Novaes, J. S. Acute effects of dropset among different resistance training methods in upper body performance. J Hum Kinet. Vol.34. Núm.1. p. 105-111. 2012.

-Brusco, C. M.; Blazevich, A. J.; Pinto, R. S. The effects of a 6 weeks of constant-angle muscle stretching training on flexibility and muscle function in men with limited hamstrings’ flexibility. Eur J Appl Physiol. Vol.119. Núm.8. p. 1691-1700. 2019.

-Chan, Y. H. Biostatistics 101: data presentation. Singapoe Med J. Vol. 44. Núm.1. p. 280-285. 2003.

-Chaouachi, A.; Padulo, J.; Kasmi, S.; Othmen, A. B.; Chatra, M.; Behm, D. G. Unilateral static and dynamic hamstrings stretching increases contralateral hip flexion range of motion. Clin Physiol Funct Imaging. Vol.37. Núm.1. p. 23-29. 2017.

-Cook, G. Movement Functional Movement Systems: screening, assessment, corrective strategies. United Kingdom. On target Publications. 2011.

-Cook, G.; Burton, L.; Hoogenboom, B. J.; Voight, M. Functional movement screening: the use of fundamental movements as an assessment of function - part 1. Int J Sports Phys Ther. Vol.9. Núm.4. p. 396-409. 2014.

-Cristopoliski, F.; Sarraf, T. A.; Dezan, V. H.; Provensi, C. L. G.; Rodack, A. L. F. Efeito transiente de exercícios de flexibilidade na articulação do quadril sobre a marcha de idosas. Rev Bras Med Esporte. Vol.14. Núm.2. p. 139-144. 2008.

-Dominski, F. H.; Siqueira, T. C.; Serafim, T. T.; Andrade, A.; Perfil de lesões em praticantes de CrossFit: revisão sistemática. Fisioter Pesqui. Vol.25. Núm.2. p.229-239. 2018.

-Donlon, T.; Franklin, B.; Machamer, C.; Mogelnicki, C.; Verneus, J.; Taber, C. B. FMS squat assessment and 2D vídeo motion analysis as screaning indicators of low back pain: A cross sectional case-study. Journal of Exercise Science & Physiotherapy. Vol.14. Núm.2. p. 1-10. 2018.

-Gama, H. S.; Yamanishi, J. N.; Gallo, J. H.; Valderramas, S. R.; Gomes, A. R. S. Exercícios de alongamento: prescrição e efeitos na função musculoesquelética de adultos e idosos. Cad Bras Ter Ocup. Vol.26. Núm.1. p. 187-206. 2018.

-Gomes, T. M.; Simão, R.; Costa P. B.; Silva Novaes, J. Acute effects of two different stretching methods on local muscular endurance performance. J Strength Cond Res. Vol.25. Núm.3. p. 745-752. 2011.

-Medeiros, D. M.; Martini, T. F. Chronic effect of different types of stretching on ankle dorsiflexion range of motion: systematic review and meta-analysis. Foot (Edinb). Vol.34. Núm.1. p.28-38. 2018.

-Monteiro, E. R.; Škarabot, J.; Vigotsky, A. D.; Brown, A. F.; Gomes, T. M.; Novaes, J. D. Acute effects of different self-massage volumes on the FMSTM overhead deep squat performance. Int J Sports Phys Ther. Vol.12. Núm.1. p. 94-104. 2017.

-Monteiro, E. R.; Wakefield, B.; Ribeiro, M. S.; Fiuza, A. G.; Cunha, J. C. O. W.; Novaes, G. S.; Panza, P. S.; Vianna, J. M.; Novaes, J. S. Automassagem e alongamento nas regiões anterior e posterior de coxa aumentam de forma aguda a amplitude articular de ombro. Motricidade. Vol.14. Núm.1. p.174-182. 2018.

-Sá, M. A.; Rodrigues Neto, G.; Costa, P. B.; Gomes, T. M.; Bentes, C. M.; Brown, A. F.; Novaes, J. S. Acute effects of different stretching techniques on the number of repetitions in a single lower body resistance training session. J Hum Kinet. Vol.45. Núm.1. p. 177-185. 2015.

-Silva, B. F. N.; Santos, P. H. L.; Glória, R. B., Brito, J. S.; Pinho, A. F.; Araújo, M. P.; Paz, G. A.; Miranda, H. Efeitos agudos do aquecimento específico e exercícios de mobilidade articular no desempenho de repetições máximas e volume de treinamento. Conscientiae Saúde. Vol.16. Núm.1. p.50-57. 2017.

-Škarabot, J.; Beardsley, C.; Stirn, I. Comparing the effects of self-myofascial release with static stretching on ankle range-of-motion adolescent athletes. Int J Sports Phys Ther. Vol.10. Núm.2. p. 203-212. 2015.

Publicado
2021-10-10
Como Citar
Mariano, V., da Silva, W. M., Monteiro, E. R., Corrêa Neto, V. G., & Triani, F. da S. (2021). ALONGAMENTO ESTÁTICO E EXERCÍCIOS DE MOBILIDADE DE TORNOZELO AUMENTAM O PADRÃO DE MOVIMENTO DO AGACHAMENTO LIVRE. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(93), 820-826. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2249
Seção
Artigos Científicos - Original