EFEITOS DOS EXERCÍCIOS EDUCATIVOS NO DESEMPENHO DE ATLETAS AMADORES DE CORRIDA DE RUA: ESTUDO PILOTO

  • Wagner da Silva
  • Renan de Andrade Bastos
  • Cilene Teofilo do Nascimento da Rocha
  • Jeferson Silva da Rocha
  • RUBEM MACHADO FILHO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro
  • Raphael Almeida Silva Soares
Palavras-chave: Corrida de Rua, Educativos de Corrida, Desempenho Atlético, Treinamento Físico

Resumo

Introdução: a corrida de rua ganha novos adeptos a cada dia no Brasil. As provas variam de 800 metros a 42, 195 metros. O desempenho atlético na corrida de rua é observado em indivíduos com maior economia de movimento, ou seja, eles conseguem sustentar um baixo consumo de oxigênio numa determinada taxa de trabalho. Essa economia assume maior relevância durante corridas com longas distância. Os educativos de corrida são estratégias utilizadas por treinadores com objetivo de aprimorar a técnica do movimento e simular as fases da corrida. Objetivo: investigar os efeitos dos educativos de corrida na performance de atletas amadores. Materiais e Métodos: a coleta de dados foi pré e pós o período de treinamento 12 sessões experimentais, sendo três sessões por semana com o volume médio de 20 km semanais. O treinamento foi constituído de 5 minutos um aquecimento orgânico composto por exercícios de alongamentos gerais dos principais grupamentos musculares e leves exercícios calistênicos. Logo após, o grupo exercício (GE) fez os exercícios de educativos para corrida. O grupo controle (GC) fez todos os procedimentos iguais ao GE, exceto os exercícios de educativo para corrida. Resultados: O GE apresentou melhora significativa em todas as variáveis, tendo aumento Vo2 máximo (diferença média= 13,6 mL/kg.min; p=0.001), VM (diferença média= 3 Km/h; p=0.001), Distância (diferença média= 0,6 Km/h; p=0.001) resultando assim uma redução do RM (diferença média= -1.3 min/Km; p=0.002, além disso obteve correlação direta e significativa nas variáveis de desempenho atlético. Conclusão: Os achados no presente estudo indicam a efetividade do protocolo de treinamento, visto que ocorreram melhoras estatisticamente significantes em todas as variáveis investigadas.

Biografia do Autor

Wagner da Silva

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil

Renan de Andrade Bastos

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil.

Cilene Teofilo do Nascimento da Rocha

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil.

Jeferson Silva da Rocha

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil.

Raphael Almeida Silva Soares

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil.

Referências

-ACSM. Diretrizes do ACSM para os Testes de Esforço e sua Prescrição. 9ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara. 2014.

-Andrade, T. S.; Vespasiano, B. S.; Pinheiro, L. H. N.; Pinheiro, A. M. Efeitos da organização da carga de treinamento no limiar anaeróbio de corredores amadores. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 13. Num. 83. 2019. p. 467-471.

-Carmo, E. C. D.; Barreti, D. L. M.; Ugrinowitsch, C.; Tricoli, V. Estratégia de corrida em média e longa distância: como ocorrem os ajustes de velocidade ao longo da prova? Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 26. Num. 2. 2012. p.351-363.

-Cooper, K.H. A means of assessing maximal oxygen intake. Correlation between field and treadmill testing. JAMA. Vol. 203. Num. 3. 1968. p. 201-204.

-Costa Lima, F. S.; Durigan, A. N. A. Perfil e características de treinamento dos praticantes de corrida de rua no município de São José do Rio Preto-SP. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 12. Num. 77. 2018. p. 675-685.

-Daniels, J. Fórmula de Corrida Daniels. 2ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2013.

-Evangelista, A. L. Treinamento de corrida de rua: Uma abordagem fisiológica e metodológica. 3ª edição. São Paulo. Phorte. 2014.

-França, E.; Caperuto, E. D. A. S C.; Hirota, V. B. Testes indiretos de VO2 máximo devem ser escolhidos de acordo com o gênero, variáveis antropométricas e capacidade aeróbica presumida. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 8. Num. 49. 2014. p. 712-721.

-Gratão, A. O.; Rocha, C. M. Dimensões da motivação para correr e para participar de eventos de corrida. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 24. Num. 3. 2016. p.90-102.

-Machado, A. F. Corrida: Manual prático do treinamento. São Paulo. Phorte. 2013.

-Machado Filho, R. Análise das capacidades físicas básicas de praticantes de atletismo no Ginásio Experimental Olímpico (GEO) do Rio de Janeiro: um estudo retrospectivo. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 13. Num. 82. 2019. p. 203-211.

-Manoel, F.D.A.; Kravchychyn, A.C.P.; Alves, J.C.C.; Machado, F.A. Influência do nível de performance na estratégia de ritmo de corrida em prova de 10 km de corredores recreacionais. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 29. Num. 3. 2015 p.355-360.

-MCardle, W. D.; e colaboradores. Fisiologia do Exercício: Nutrição, Energia e Desempenho Humano. 8ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2016. p.318. 360.

-Ortiz, M.J.; Denadai, B.S.; Stella, S.; Mello, M.T. Efeitos do treinamento aeróbio de alta intensidade sobre a economia de corrida em atletas de endurance. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 11. Num. 3. 2008. p.53-56.

-Pereira, E.F.B.B.; Borges, A.C.; Influência da Corrida como Exercício Aeróbio na Melhora do Condicionamento Cardiorrespiratório. Revista EVS-Revista de Ciências Ambientais e Saúde. Vol. 33. Num. 4. 2006. p.573-588.

-Santos, T. M.; Rodrigues, A. I.; Greco, C. C.; Marques, A. L.; Terra, B. S.; Oliveira, B. R. R. VO2 máx estimado e sua velocidade correspondente predizem o desempenho de corredores amadores. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 14. Num. 2. 2012. p. 192-201.

-Santos, C. S.; Navarro, A. C. Influência do tipo de treinamento no desempenho de atletas corredores através da economia de corrida. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 9. Num. 52. 2015. p. 147-158.

-Santos Neves, L. N.; Gomes, A. R.; Neto, V. H. G.; Carletti, L.; Perez, A. J. Perfil de corredores e a relação entre variáveis de treinamento com o VO2 máx em diferentes níveis de desempenho. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 13. Num. 83. 2019. p. 397-404.

-Sousa, V. G. S.; Santos, C. S. S.; Oliveira, A. M.; Matos-Neto, E. M. Efeitos do treinamento físico sobre variáveis relacionadas à saúde e ao desempenho físico em corredores de rua recreacionais. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 13. Num. 87. 2020. p.1240-1250.

-Thomas, J.R.; Nelson, J.K.; Silverman, S.J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2012.

-Waclawovsky, G.; Silva, L. R.; Marenco, A.; Vidaletti, D.; Ferrari, R.; Lehnen, A. M. Associação da composição corporal e capacidade cardiorrespiratória em corredores de rua. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 12. Núm. 80. 2019. p. 1138-1148.

Publicado
2021-10-10
Como Citar
da Silva, W., de Andrade Bastos, R., Teofilo do Nascimento da Rocha, C., Silva da Rocha, J., FILHO, R. M., & Almeida Silva Soares, R. (2021). EFEITOS DOS EXERCÍCIOS EDUCATIVOS NO DESEMPENHO DE ATLETAS AMADORES DE CORRIDA DE RUA: ESTUDO PILOTO. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(93), 827-834. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2252
Seção
Artigos Científicos - Original