Incidência de lesões no ombro em praticantes de musculação

  • Andrei Iago Gonçalves Viana Soares Feitosa Graduado em Fisioterapia, Faculdade Maurício de Nassau, Teresina-PI, Brasil.
  • Riccardo Samuel Albano Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva (URSA), Membro do Corpo Clínico do Instituto TRATA Teresina, Teresina-PI, Brasil.
  • João Paulo Castro Soares Graduado em Fisioterapia, Faculdade Maurício de Nassau, Teresina-PI, Brasil.
  • Carlos Eduardo Nunes Vieira Graduado em Fisioterapia, Faculdade Maurício de Nassau, Teresina-PI, Brasil.
  • Mayara Martins de Melo Graduanda em Fisioterapia, Universidade Estadual do Piauí, Brasil.
  • Paulo Roberto Milanez Oliveira Junior Fisioterapeuta, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí, Pedro II-PI, Brasil.
  • Bruno Viana Rosa Licenciado em Educação Física, Departamento de Biofísica e Fisiologia, Universidade Federal do Piauí.
  • Francisco Valmor Macedo Cunha Fisioterapeuta, Mestre em Farmacologia Universidade Federal do Piauí (UFPI), Doutor em Biotecnologia (UFPI), Docente do Curso de Fisioterapia da Faculdade Maurício de Nassau (UNINASSAU), Teresina-PI, Brasil.
Palavras-chave: Articulação do Ombro, Lesão, Treinamento de Resistência

Resumo

Introdução: A articulação do ombro é a mais móvel do corpo, possui estabilidade e movimentos amplos. A dor no ombro acomete 22,3% da população. É fundamental saber que lesões surgem na prática de exercício físico, e utilizar medidas preventivas e priorizar a integridade física do aluno. Objetivo: Identificar a incidência de lesões no ombro entre praticantes de musculação. Materiais e Métodos: Estudo quantitativo, epidemiológico e transversal. A pesquisa foi realizada em academias da zona norte de Teresina e contemplou noventa e nove indivíduos praticantes de musculação, foram convidados a participar da pesquisa e assinarem o Termo de Consentimento livre e esclarecido (TCLE), e responderem o Soulder Pain and Disability index e um questionário feito pelos autores. Resultados: A amostra foi de 99 pessoas, (25,25%) com lesão, os homens apresentaram maior número de lesões, as lesões mais incidentes foram as tendinites (44%), bursite e luxação com (28%). Indivíduos que treinavam a mais tempo e tinham maiores pontuação no questionário Spadi, tinham maiores riscos de lesões. Periodicidade, duração do treino e idade não foram fatores de risco. Discussão:  Lesões no ombro na musculação variam de 18 a 36%, a literatura mostra que homens se lesionam mais que as mulheres. Distensões, tendinites e dor inespecífica são as lesões mais prevalentes. Uma boa elaboração de treinamento é fundamental para reduzir o risco de lesões. Conclusão: O estudo tornar-se importante, pois auxilia no entendimento de possíveis causas de lesões no ambiente das academias, são necessários mais estudos, com grupos maiores para melhores discussões sobre o tema.

Referências

-Dempsey, R.L.; Layde, P.M.; Laud, P.W.; Guse, C.E.; Hargarten, S.W. Incidence of Sports and Recreation Related Injuries Resulting in Hospitalization in Wisconsin in 2000. Inj Prev. Vol. 11. Num. 2. 2005. p. 91-6.

-Dominisk, F.H.; Siqueira, T.C.; Serafim, T.T.; Andrade, T. Perfil das Lesões em Praticantes de CrossFit: Revisão Sistemática. Fisioterapia da pesquisa. Vol. 25. Num. 2. 2018. p. 229-239.

-Hall, S.J. Biomecânica básica. 7ª edição. Rio de janeiro: Guanabara Koogan. 2016.

-Hootman, M.J.; Macera, A. C.; Ainsworth, E.B.; Martin, M.; Addy, L.C.; Steven, N. B. Association among Physical Activity Level, Cardiorespiratory Fitness, and Risk of Musculoskeletal injury. Am J Epidemiol. Vol. 154. Num. 3. 2001. p. 251-258.

-Keogh, J.W.I.; Winwood, P.W. The Epidemiology of Injuries Across the Weight Training Sports: systematic review. Sport Med. Vol. 47. Num. 3. 2016. p.479-501.

-Kolber, M.J; Beekhuizen, K.S; Cheng, M.S.S; Hellman, M.A. Shoulder Injuries Atributed To Resistance Training: A Brief Review. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 24. Num. 6. 2010. p.1696-1704.

-Macêdo, P.S.A.; e colaboradores. Intervençôes Fisioterapêuticas Na Tendinopatia do Ombro: Uma revisão da literatura. In: Congresso Internacional De Envelhecimento Humano. 4. 2015. Rio Grande do Norte. Anais. Rio Grande do Norte. CIEH, 2015.

-Martins, J.; Napoles, B.V.; Hoffman, C.B.; Oliveira, A.S. Versão Brasileira do Shoulder Pain and Disability Index: Tradução, adaptação cultural e confiabilidade. Revista Brasileira de Fisioterapia. Vol. 14. Num.6. 2010. p. 527-36.

-Mello, A.M.S.; Batista, L.D.S.P.; Oliveira, V.M.A.D.; Pitangui, A.N.R.; Cattusso, M.T.; Araújo, R.C.D. Associação entre a Discinesia e Dor Ombro em Praticantes de Musculação. Revista Brasileira de Ciências e Saúde. Vol. 18. Num. 4. 2014. p. 309-314.

-Murer, E. Epidemiologia da Musculação: Saúde Coletiva e Atividade Física. 1 edição. São Paulo. 2007.

-Neumann, D.A. Cinesiologia do Aparelho Musculoesquelético: Fundamentos para Reabilitação. 2ª edição. Rio de janeiro. Elsevier. 2011.

-Oliva, O.; Bankoff, A. D. P.; Zamai, C. A. Possíveis Lesões Musculares e/ou Articulares Causadas por Sobrecarga na Prática de Musculação. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 3. Num. 3. 1998. p. 15-23.

-Rombaldi, A.J.; Silva, M.C.; Barbosa, M.T.; Pinto, R.C.; Azevedo, M.R.; Hallal, P.C.; Siqueira, F.V. Prevalência e Fatores Associados a Ocorrência de Lesões Durante a Prática de Atividade Física. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 20. Num. 3. 2014. p. 190-194.

-Rosa, J.R.P.; Checchia, C.S.; Miyazaki, A.N. Instabilidade Anterior Traumática do Ombro. Revista brasileira de Ortopedia. Vol. 52. Num. 5. 2017. p. 513-520.

-Shoulder Pain and Disability Index: Tradução, Adaptação cultural e Confiabilidade. Rev Bras Fisioter. Vol. 14. Num. 6. 2010. p.527-536.

-Soares, E.M.S.; Silva, K.M.A. Prevalências de Lesões em Praticantes de Musculação em Academias do Município de Morada nova-CE. BIUS-Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia. Vol. 9. Num. 1. 2018. p. 67-78.

-Souza, G.L.; Moreira, N.B.; Campos, W. Ocorrência e Características de Lesões entre Praticantes de Musculação. Revista Saúde e Pesquisa. Maringá-PR. Vol. 8. Num. 3. 2015. p.469-477.

-Stapait, E.L.; Dalsoglio, M.; Ehlers, A.M.; Santos, G.M. Fortalecimento dos Estabilizadores da Cintura Escapular na Dor no Ombro: Revisão Sistemática. Fisioterapia em Movimento. Vol. 26. Num. 3. 2013. p. 667-675.

Publicado
2021-11-07
Como Citar
Feitosa, A. I. G. V. S., Albano, R. S., Soares, J. P. C., Vieira, C. E. N., Melo, M. M. de, Oliveira Junior, P. R. M., Rosa, B. V., & Cunha, F. V. M. (2021). Incidência de lesões no ombro em praticantes de musculação. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 15(96), 137-145. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2305
Seção
Artigos Científicos - Original