Efeitos de um programa de exercícios lúdicos na modificabilidade do índice de massa corporal em crianças com sobrepeso e obesidade numa escola da cidade de Maputo-Moçambique: Estudo em alunos de ambos os sexos do Colégio Arco írÍs

  • Félix Salvador Chavane Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique
  • Jose Luis Sousa Manjate Direção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano de Maputo-Moçambique, Moçambique
  • Leonardo Lucio Nhantumbo Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique
Palavras-chave: Exercícios Lúdicos, IMC, Sobrepeso, Obesidade

Resumo

Introdução: A pesquisa no âmbito da intervenção focalizada ao controlo do sobrepeso e obesidade é atualmente cada vez mais premente. Contudo, evidências atinentes à realidade contextual de Moçambique são diminutas. Objetivos: averiguar o efeito de um programa de Exercícios Lúdicos (EL) na modificabilidade do Índice de Massa Corporal (IMC). Materiais e Métodos: amostra constituída por 68 crianças de ambos os sexos, com uma idade média de 9.60 ±2.12 anos, divididos em dois grupos, de Experimento (GE) e de Controlo (GC), foram submetidos a um programa de EL administrado no contexto escolar, uma vez por semana, com a duração de 90 minutos por sessão, durante 9 semanas. A classificação de sobrepeso e obesidade obedeceu aos critérios da (WHO, 2006). O peso e Estatura, para o cálculo do IMC, foram medidos através de uma balança digital com estadiômetro embutido. Os dados foram analisados estatisticamente no programa SPSS, versão 22.0, para um ní­vel de significância de 0.05, com o recurso à estatí­stica descritiva básica, análise da variância ANOVA, o Bonferroni foi usado para as comparações múltiplas à posteriori. Resultados: o IMC evidenciou um declí­nio significativo dos seus valores médios ao longo da intervenção em ambos os grupos e sexos (p<0.001), porém com intervenção entre os momentos de avaliação significativa apenas no GE (p=0.053). Conclusão: foi evidente uma variação positiva nos valores de IMC como resultado do programa de EL aplicado, confirmando assim a sua influência na modificabilidade deste indicador de saúde no GE sobretudo nas raparigas.

Referências

-Barros, M. A Influência da Publicidade de Alimentos na Obesidade Infantil. Centro Universitário de Brasília. 2015.

-Campos, M. A importância do jogo no processo de aprendizagem. 2011.

-Casazza, K.; Ciccazzo, M. The method of delivery of nutrition and physical activity information may play a role in eliciting behavior changes in adolescents. Eat Behav. Vol. 8. Núm. 1. p.73-82. 2007.

-Cintra, D.; Ropolle, E.; Pauli, J. Obesidade e diabetes: fisiopatologia e sinalização celular. São Paulo. Sarvier. 2011.

-Diouf, A.; e colaboradores. Physical Activity Level and Sedentary Behaviors among Public School Children in Dakar (Senegal) Measured by PAQ-C and Accelerometer: Preliminary Results. Int. J. Environ. Res. Public Health.Vol. 13. p. 2-11. 2016.

-Fairclough, S.J.; e colaboradores. Promoting healthy weight in primary school children through physical activity and nutrition education: A pragmatic evaluation of the CHANGE! randomised intervention study. BMC Public Health. Vol. 13. Núm. 1.2013.

-Farpour-Lambert, N.; Aggoun, Y.; Marchand, L.; Martin, X.; Herrmann, F.; Beghetti, M. Physical activity reduces systemic blood pressure and improves early markers of atherosclerosis in pré-pubertal obese children. In Jam Coll Cardiolv. Vol. 54. Núm. 25. p. 2396-2406. 2009.

-Gomes, B. A importância do brincar no desenvolvimento da criança. Cadernos de educação de infância. Vol. 68. p.45-46. 2010.

-Grydeland, M.; e colaboradores. Effects of a 20-month cluster randomised controlled school-based intervention trial on BMI of school-aged boys and girls: the HEIA study. Br Journal Sports Med. Vol. 48. p.768-773. 2014.

-Hirt Junior, R.C. A importância das atividades Lúdicas nas aulas de Educação Física no Ensino Médio. Paraná. 2013.

-Jago, R.; e colaboradores. Healthy intervention: Fitness, physical activity, and metabolic syndrome results. Med Sci Sports Exerc. Vol. 43. Núm. 8. p.1513-22. 2011.

-Ohnston, C.; e colaboradores. Results of an intensive school-based weight loss program with overweight Mexican American children. Int J Pediatr Obes. Vol. 2. Núm. 3. p.144-52. 2007.

-Kaam, D.S.; Rubio, J.A.S.R. A Importância do Jogo na Prática Psicopedagógica. Revista Eletrônica Saberes da Educação. Vol. 4. Núm. 1. p. 1-12. 2013.

-Leite, N.; Milano, G.E.; Cieslak, F.; Lopes, W.A.; Rodacki, A.; Radominski, R.B. Effects ofexercise and nutritional guidance on metabolic syndrome in obese adolescent. Rev Bras Fisioter. Vol. 13. Núm. 1. p. 73-8. 2009.

-Leon, A.D. Reafirmando o Lúdico como Estratégia de Superação das Dificuldades de Aprendizagem. Revista Ibero-americana de Educação. Núm. 56/3. p. 1-15. 2011.

-Lohman, T.; Roche, A.; Martoreli, R. Anthropometric standardization reference manual. Champaign: Human Kinetics Publishers. 1998.

-Lourenço, B.; Queiroz, L.B. Crescimento e desenvolvimento puberal na adolescência. Rev Med. Vol. 89. Núm. 2. p. 70-5. 2010.

-Monzavi, R.; e colaboradores. Improvement in Risk Factors for Metabolic Syndrome and Insulin Resistance in Overweight Youth Who Are Treated With Lifestyle Intervention. Pediatrics. Vol. 117. Núm. 6. p. 1111-8. 2006.

-Muthuri, S.; e colaboradores. Temporal Trends and Correlates of Physical Activity, Sedentary Behaviour, and Physical Fitness among School-Aged Children in Sub-Saharan Africa: A Systematic Review. Int. J. Environ. Res. Public Health. Vol. 11. p.3328-3359. 2014.

-OMS. Organização Mundial da Saúde. Recomendações globais da actividade física e saúde. Genebra. 2010.

-Poeta, L.; Duarte, M.F.; Giuliano, I.; Mota, J. Interdisciplinary intervention in obese children and impact on health and quality of life. Sociedade Brasileira de Pediatria. Vol. 89. Núm. 5. p. 499-504. 2013.

-Prista, A.; Magaia, S.; Silva-Matos, C.; Damasceno, A. Saúde, estilo de vida e urbanização em Moçambique: problemas e perspectivas. Vol. 1. Núm. 1. 2014.

-Prista, A.; Santos, F.; Mangona, L.; Nhantumbo, L. Pesquisa em Moçambique no domínio da actividade física: uma revisão do estado da arte. Vol. 1. Núm. 2. p. 54-71. Maputo. 2016.

-Rech, G.C.; Roldo, J.G.; Depacco, N.S.; Silveira, V.B.; Oltramari, J.D. Correlação entre a idade e a flexibilidade de escolares de uma escola pública da serra gaúcha. II Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG. Caxias do Sul-RS. Maio. 2014.

-Ribeiro, J.M.; Silva, C.S. Preferências lúdicas em contexto pré-escolar: Perspectivas das crianças e dos pais. Dissertação de Mestrado. ISEC. 2015.

-Rocha, M.S.; Pasqual, M.L.; Ferreira, M.C. Brincadeiras no Ensino Fundamental: pistas para a formação de professoras. Educação Real. Vol. 37. Núm. 1. p. 213-231. 2012.

-Rodrigues, L.L.; Bracht, V. As culturas da educação física. Rev. Bras. Cienc. Esporte. Vol. 32. Núm. 1. 2010.

-Santos, F. K. Crescimento, atividade física, desempenho motor e risco cardiometabólico. Um estudo em Portugal e Moçambique. Porto: Tese de Doutoramento. Faculdade de desporto da Universidade do Porto. 2014.

-Silva, N.Z. A importância do Lúdico na Educação Infantil. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Medianeira. 2014.

-Schubert, A.; Januário, R.S.B.; Casonatto, J.; Sonoo, C.N. Imagem corporal, estado nutricional, força de resistência abdominal e aptidão cardiorrespiratória de crianças e adolescentes praticantes de esportes. Rev. Paul Pediatr. Vol. 31. Núm. 1. p.71-6. 2013.

-Weineck, J. Treinamento Ideal. Barueri. Ed Manole. 2003.

-WHO. World Health Organization. Obesity: Preventing and Managing the Global Epidemic. Report of a WHO Consultation. Geneva: World Health Organization, 2006

Publicado
2022-08-06
Como Citar
Chavane, F. S., Manjate, J. L. S., & Nhantumbo, L. L. (2022). Efeitos de um programa de exercícios lúdicos na modificabilidade do índice de massa corporal em crianças com sobrepeso e obesidade numa escola da cidade de Maputo-Moçambique: Estudo em alunos de ambos os sexos do Colégio Arco írÍs. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 15(97), 263-272. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2379
Seção
Artigos Científicos - Original