Avaliação do estado de hidratação de atletas de futsal feminino em São Luís-MA

  • Marcos Roberto Campos Macêdo Docente do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
  • Diego Pereira Araújo Discente do curso de Educação Física do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
  • Sabrina Silva Cunha Discente do curso de Nutrição do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
  • Dyanne Mirelle Barbosa Santana Discente do curso de Educação Física do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
  • Thirza Rafaella Ribeiro França Melo Discente do curso de Nutrição do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
  • Marlon Lemos Araújo Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde - UFMA, Brasil.
  • Raphael Furtado Marques Docente do Centro Universitário Estácio São Luís, Brasil.
Palavras-chave: Desidratação, Futsal, Gravidade específica da urina

Resumo

Introdução: O estado de baixa hidratação pode comprometer a cognição, habilidades técnicas e o desempenho físico quando ocorrer perda elevada da massa corporal. Diante disso, o objetivo do presente estudo é avaliar o estado de hidratação de atletas de futsal feminino em uma partida competitiva. Materiais e Métodos: Foram avaliadas 14 jogadoras (25,9 ±4,5 anos) durante uma partida de futsal feminino. A análise do estado de hidratação foi realizada através do balanço hídrico, gravidade específica da urina (GEU) e coloração da urina. Essas medidas foram realizas antes e após a partida, e para uma melhor análise foi realizado o controle da ingestão hídrica e de estresse ambiental (temperatura e umidade relativa do ar). Para a análise estatística foi realizado um teste t de Student com o software Graphpad Prism 8.0. Resultados e Discussão: A jogadoras apresentaram uma perda de 2,2 ±0,9% de peso corporal com uma taxa de sudorese de 0,68 ±0,2 L/h e ingeriram 1383,0 ±495,2 ml de água. Houve redução significativa no peso corporal (p=0,009). A GEU antes da partida foi de 1029,7±8,3 e ao final 1024,1 ±11,9 não havendo diferença estatística significativa entre os momentos (p=0,1374) apresentando classificação de desidratação significativa. Conclusão: As atletas iniciaram e terminaram a partida de futsal em estado de desidratação mínima e que, apesar das condições ambientais se apresentarem em condição de risco muito alto, a ingestão de água promoveu a estabilização da condição previa de desidratação, de modo a não agravar esse estado.

Referências

-American College of Sports Medicine. Exercise and fluid replacement. Position stand Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 39. p. 377-90. 2007.

-Baker, L.B.; Barnes, K.A.; Anderson, M.L.; Passe, D.H.; Stofan, J.R. Normative data for regional sweat sodium concentration and whole-body sweating rate in athletes. J Sports Sci. Vol. 34. Num. 4. p. 358-68. 2016.

-Casa, D.J.; Armnstrong, E.L.; Hillman, K.S.; Montain, J.S.; Reiff, V.R.; Rich, E.S.B.; Roberts, O.W.; Stone, A.J. National Athletic Trainer’s Association Position Statement (NATA): Fluid replacement for athletes. Journal of Athletic Training. Vol. 35. Num. 2. p. 212-224. 2000.

-Ferreira, F.G.; Segheto, W.; Alves G.M.S.; Lima, E.C. Estado de hidratação e taxa de sudorese de jogadoras de futsal em situação competitiva no calor. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 6. Num. 3. p. 292-299. 2012.

-Logan-Sprenger, H.M.; Heigenhauser, G.J.; Jones, G.L.; Spriet, L.L. The effect of dehydration on muscle metabolism and time trial performance during prolonged cycling in males. Physiol Rep. Vol. 3. Num. 8. p. e12483. 2015.

-Macedo, M.R.C.; Brandão, M.C.S.; Rodrigues, F.V.M.; Luz, T.M.; Barbosa, A.K.S.; Araújo, M.L.; Navarro, A.C.; Marques, R.F. Efeito do estresse térmico na desidratação após uma partida de futsal femenino. 13° Congresso Argentino de Educación Física y Ciencias 30 de Septiembre al 4 de Octubre de 2019 Ensenado, Argentina. Educação física: ciência y profesión. p. 1-11. 2019.

-Magal, M.; Cain, R.J.; Long, J.C.; Thomas, K.S. Pre-practice hydration status and the effects of hydration regimen on collegiate division III male athletes. J Sports Sci Med. Vol. 14. Num. 1. p. 23-8. 2015.

-McDermott, B.P.; Anderson, S.A.; Armstrong, L.E.; Casa, D.J.; Cheuvront, S.N.; Cooper, L.; Kenney, L.; O´Connor, F.G.; Roberts, W.O. National athletic trainers' association position statement: fluid replacement for the physically active. Journal of athletic training. Vol. 52. Num. 9. p. 877-895. 2017.

-Melo-Marins, D.; Souza-Silva, A.A.; Silami-Garcia, E.; Laitano, O. Termorregulação e equilíbrio hídrico no exercício: aspectos atuais e recomendações. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 25. Num. 3. p. 181. 2017.

-Nuccio, R.P.; Barnes, K.A.; Carter, J.M.; Baker, L.B. Fluid balance in team sport athletes and the effect of hypohydration on cognitive, technical, and physical performance. Sports Medicine. Vol. 47. Num. 10. p. 1951-1982. 2017.

-Sepeda, T.P.A.; Mendes, R.C.; Loureiro, L.M. Avaliação da perda hídrica e hábitos de hidratação de atletas universitários de futsal competitivo. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 22. Num. 5. p. 350-354. 2016.

-Soares, B.M.; Chagas, M.E.E.; Sehnem, R.C.; Círico, D. Avaliação de ingestão calórica e composição corporal de atletas de futsal feminino no município de Guarapuava-Paraná. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 8. Num. 29. p. 129-141. 2016.

-Trevisan, A.A.; Maria, J.B.A.; Paula, D.A.P.; Abeline, A.M.; Campos, M.V.A.; Miguel, H. Análise de perda hídrica em atletas do futsal feminino. Revista Brasileira de Futebol. Vol. 2. Num. 8. p. 43-50. 2017.

Publicado
2022-08-06
Como Citar
Macêdo, M. R. C., Araújo, D. P., Cunha, S. S., Santana, D. M. B., Melo, T. R. R. F., Araújo, M. L., & Marques, R. F. (2022). Avaliação do estado de hidratação de atletas de futsal feminino em São Luís-MA. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 15(97), 321-327. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2438
Seção
Artigos Científicos - Original