Classificação da potência anaeróbia em jogadores jovens de futebol

  • Thiago Mattos Frota Souza Grupo de Estudos e Pesquisa em Performance Humana e Saúde da Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, Brasil.
  • Rafael Valério Pazoto Curso de Educação Física, Faculdade de Santa Bárbara d’Oeste, Santa Bárbara d’Oeste, São Paulo, Brasil.
  • Gian Alensson Zaia Curso de Educação Física, Faculdade de Santa Bárbara d’Oeste, Santa Bárbara d’Oeste, São Paulo, Brasil.
  • Eduardo Fantato Rodrigues Curso de Educação Física, Faculdade de Santa Bárbara d’Oeste, Santa Bárbara d’Oeste, São Paulo, Brasil.
  • Heron Soares Santos Grupo de Estudos e Pesquisa em Performance Humana e Saúde da Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, Brasil.
  • Leonardo Vinicius Vicente Modesto dos Santos Grupo de Estudos e Pesquisa em Performance Humana e Saúde da Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, Brasil.
  • Roberto Moriggi Junior Grupo de Estudos e Pesquisa em Performance Humana e Saúde da Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, Brasil.
  • Vagner Reolon Marcelino Curso de Educação Física, Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, Brasil.
  • Cláudio de Oliveira Assumpção Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Movimento Humano, Instituto de Educação Física e Esportes, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
  • Túio Banja Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Movimento Humano, Instituto de Educação Física e Esportes, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
Palavras-chave: Futebol, Cineantropometria, Desempenho Atlético

Resumo

Introdução: O futebol é uma modalidade que apresenta grande exigência da potência anaeróbia em suas ações específicas de jogo, sendo a avaliação física imprescindível para fornecer informações que melhoram a prescrição do treinamento e, consequentemente, o rendimento esportivo. Objetivo: Verificar e classificar o desempenho da potência anaeróbia em jogadores de futebol de categorias de base. Materiais e Métodos: Participaram do estudo 51 indivíduos do sexo masculino com idade de 14,2 ± 1,6 anos, subdivididos em quatro categorias: Sub 12, Sub 13, Sub 14 e Sub 16. Todos os jogadores foram submetidos ao teste de potência anaeróbia TVPA-RAST. Para a comparação dos resultados, foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis e, para a sugestão de classificação, foram utilizados os percentis. Resultados: O grupo Sub 16 apresentou melhores resultados em relação aos grupos Sub 12 e Sub 13 na maioria das variáveis (Potência Máxima = 689,9 ± 130,2 W, Potência Máxima Relativa = 11,0 ± 1,4 W/kg, Potência Média = 513,6 ± 88,4 W, Potência Média Relativa = 8,2 ± 0,8 W/kg, Potência Mínima = 377,4 ± 91,5 W, Tempo para percorrer 35 m = 4,8 ± 0,2 s; p<0,05). Entretanto, o Índice de Fadiga não apresentou diferença estatística entre os grupos. Conclusão: Concluímos que o grupo Sub 16 apresentou melhor rendimento no teste TVPA-RAST, sendo que nossa sugestão de classificação tem como objetivo ser uma ferramenta prática para treinadores e preparadores físicos nortearem o treinamento físico em categorias de base no futebol.

Referências

-Araujo Junior, J.H.; Marques, R.F.; Costa, H.A.; Marques, K.R.M.; Almeida, R.B.; Oliveira Júnior, M.N.S. Comparação do teste de RAST em jogadores de futebol e futsal de nível universitário. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 6. Num. 34. 2012. p. 367-371.

-Araújo, R.W.N.; Fernandes Filho, J. Estudo da relação entre Somatotipo e Maturação Sexual e a Qualidade Física Força em Crianças e Adolescentes. Fitness & Performance Journal. Vol. 4. Num. 6. 2005. p. 332-340.

-Asano, R.Y.; Bartholomeu Neto, J.; Ribeiro, D.B.G.; Barbosa, A.S.; Sousa, M.A.F. Potência anaeróbia em jogadores jovens de futebol: Comparação entre três categorias de base de um clube competitivo. Brazilian Journal of biomotricity. Vol. 3. Num. 1. 2009. p. 76-82.

-Asano, R.Y.; Sales, M.M.; Moraes, J.F.; Coelho, J.M.; Botelho Neto, W.; Bartholomeu Neto, J.; Campbell, C.S.; Simões, H.G. Comparação da potência e capacidade anaeróbia em jogadores de diferentes categorias de futebol. Motricidade. Vol. 9. Num. 1. 2013. p. 5-12.

-Barros, T.L.; Guerra, I. Ciência do futebol. São Paulo. Manole. 2004.

-Belozo, F.L.; Lopes, C. Futebol Sistêmico: conceitos e metodologias de treinamento. Jundiaí. Paco Editorial. 2017.

-Borin, J.P.; Rodrigues, A.; Dallemole, C.; Ferreira, C.K.O.; Donato, F.; Leite, G.S.; Salles, G.S.L.M.; Lapin, L.P.; Gebrin, M.N.; Simões, M.; Collazante, R.; Souza, T.M.F.; Alves, T.C. Buscando entender a preparação desportiva a longo prazo a partir das capacidades físicas em crianças. Arquivos em Movimento. Vol. 3. Num. 1. 2007. p. 87-102.

-Braz, T.V.; Spigolon, L.M.P.; Borin, J.P. Proposta de bateria de testes e classificação de desempenho das capacidades biomotoras em futebolistas. Journal of Physical Education. Vol. 20. Num. 4. 2009. p. 569-575.

-Bush, M.; Barnes, C.; Archer, D.T.; Hogg, B.; Bradley, P.S. Evolution of match performance parameters for various playing positions in the English Premier League. Human Movement Science. Vol. 39. 2015. p. 1-11.

-Coledam, D.H.C.; Santos, D.; Santos, J.W. Avaliação da potência anaeróbia antes e após o período competitivo em atletas profissionais de futebol. Conexões. Vol. 8. Num. 2. 2010. p. 93-102.

-Dal Pupo J.; Detanico D.; Arins F.B.; Salvador P.C.N.; Guglielmo L.G.A.; Santos S.G. Capacidade de sprints repetidos e níveis de potência muscular em jogadores de futsal das categorias sub‐15 e sub‐17. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 39. Num. 1. 2017. p. 73-78.

-Ferreira Junior, A.; Silva, A.I.; Kaminagakura, E.I.; Paes, M.R. Potência anaeróbica e perfil antropométrico de jogadores de futebol profissional. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol. 14. Num. 4. 2015. p. 224-231.

-Fleck, S.J.; Kraemer, W.J. Fundamentos do treinamento de força muscular. 4ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2017.

-Gallahue, D. Conceitos para maximizar o desenvolvimento da habilidade de movimento especializado. Journal of Physical Education. Vol. 16. Num. 2. 2005. p. 197-202.

-Gil, S.M.; Gil, J.; Ruiz, F.; Irazusta, A.; Irazusta, J. Physiological and Anthropometric Characteristics of Young Soccer Players According to Their Playing Position: Relevance for the Selection Process. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 21. Num. 2. 2007. p. 438-445.

-Gravina, L.; Gil, S.M.; Ruiz, F.; Zubero, J.; Gil, J.; Irazusta, J. Anthropometric and Physiological Differences Between First Team and Reserve Soccer Players Aged 10-14 Years at the Beginning and End of the Season. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 22. Num. 4. 2008. p. 1308-1314.

-Lago-Peñas, C.; Casais, L.; Dellal, A.; Rey, E.; Domínguez, E. Anthropometric and Physiological Characteristics of Young Soccer Players According to Their Playing Positions: Relevance for Competition Success. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 25. Num. 12. 2011. p. 3358-3367.

-Malina, R.M.; Reyes, M.E.P.; Eisenmann, J.C.; Horta, L.; Rodrigues, J.; Miller, R. Height, mass and skeletal maturity of elite Portuguese soccer players aged 11-16 years. Journal of Sports Sciences. Vol. 18. Num. 9. 2000. p. 685-693.

-Mariano, T.; Arruda, M.; Pascoal, E.H.F.; Lazari, E.; Muniz, Y. Jovens futebolistas: contribuição da maturação e variáveis antropométricas no desenvolvimento da força explosiva e velocidade em púberes e pós-púberes durante três meses de treinamento. Conexões. Vol. 8. Num. 2. 2010. p. 103-116.

-Mendez-Villanueva, A.; Buchheit, M.; Kuitunen, S.; Poon, T.K.; Simpson, B.; Peltola, E. Is the Relationship Between Sprinting and Maximal Aerobic Speeds in Young Soccer Players Affected by Maturation? Pediatric Exercise Science. Vol. 22. Num. 4. 2010. p. 497-510.

-Moro, V.L.; Fuke, K.; Cancian, L.; Matheus, S.C.; Moro, A.R. Capacidade anaeróbia em futebolistas de diferentes níveis competitivos: Comparação entre diferentes posições de jogo. Motricidade. Vol. 8. Num. 3. 2012. p. 71-80.

-Mujika, I..; Spencer, M.; Santisteban, J.; Goiriena, J.J.; Bishop, D. Age-related differences in repeated-sprint ability in highly trained youth football players. Journal of Sports Sciences. Vol. 27. Num. 14. 2009. p. 1581-90.

-Nascimento, P.C.; Cetolin, T.; Teixeira, A.S.; Gugliemo, L.G.A. Perfil Antropométrico e Performance Aeróbia e Anaeróbia em Jovens Jogadores de Futebol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 22. Num. 2. 2014. p. 57-64.

-Pellegrinotti, I.L.; Daniel, J.F.; Cielo, F.B.L.; Cavaglieri, C.R.; Bartholomeu Neto, J.; Montebelo, M.I.L.; Cesar, M.C. Análise da potência anaeróbia de jogadores de futebol de três categorias, por meio do teste de velocidade para potência anaeróbia (TVPA) do running based anaerobic sprint test (RAST). Arquivos em Movimento. Vol. 4. Num. 2. 2008. p. 3-15.

-Raider, L.; Alves, C.V.N.; Pantaleão, D.; Damasceno, V.O.; Ferreira Júnior, D.A. Potência aeróbia em diferentes estágios de maturação de jovens jogadores de futebol das categorias infantil e juvenil.

Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol. 14. Num. 4. 2015. p. 188-193.

-Silva, J.F.; Detanico, D.; Floriano, L.T.; Dittrich, N.; Nascimento, P.C.; Santos, S.G.; Guglielmo, L.G.A. Níveis de potência muscular em atletas de futebol e futsal em diferentes categorias e posições. Motricidade. Vol. 8. Num. 1. 2012. p. 14-22.

-Silva, J.H.C.; Queiroz, H.M.; Caland, R.B.O.; Santos, E.P.; Lima, S.F.C. Potência anaeróbia de atletas de Futebol nas categorias sub 15 e sub 17. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 8. Num. 28. 2016. p. 13-18.

-Silva, L.L.; Paulucio, D.; Pompeu, F.A.M.S.; Alonso, L.; Godoy, E.S.; Bezerra, L.O.; Lima, V.; Vale, R.; Nunes, R.A. Potência anaeróbica e distâncias percorridas durante jogos em jovens atletas de futebol nas categorias Sub-15 e Sub-17. Journal of Physical Education. Vol. 86. Num. 1. 2017. p. 1-7.

-Spigolon, L.M.P.; Borin, J.P.; Leite, G.S.; Padovani, C.R.P.; Padovani, C.R. Potência anaeróbia em atletas de futebol de campo: diferenças entre categorias. Coleção Pesquisa em Educação Física. Vol. 6. Num. 1. 2007. p. 421-428.

-Thomas, J.R.; Nelson, J.K.; Silverman, S.J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2012.

-Weineck, J. Treinamento ideal: instruções técnicas sobre o desempenho fisiológico, incluindo considerações específicas de treinamento infantil e juvenil. 9ª edição. São Paulo. Manole. 1999.

-Zacharogiannis, E.; Paradisis, G.; Tziortzis, S. An Evaluation of Tests of Anaerobic Power and Capacity. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 36. Num. 5. 2004. p. S116.

-Zagatto, A.M.; Beck, W.R.; Gobatto, C.A. Validity of the Running Anaerobic Sprint Test for Assessing Anaerobic Power and Predicting Short-Distance Performances. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 23. Num. 6. 2009. p. 1820-7.

Publicado
2022-08-06
Como Citar
Souza, T. M. F., Pazoto, R. V., Zaia, G. A., Rodrigues, E. F., Santos, H. S., Santos, L. V. V. M. dos, Moriggi Junior, R., Marcelino, V. R., Assumpção, C. de O., & Banja, T. (2022). Classificação da potência anaeróbia em jogadores jovens de futebol. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 15(98), 491-499. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/2507
Seção
Artigos Científicos - Original