Comparativo da intensidade de esforço por meio da frequência cardíaca entre os programas RPM (Raw Power in Motion) e Bike Indoor

Pablo de Almeida, Lúcia Andréia Ortiz Almeida, Juliane Cristina Almeida Paganini

Resumo


O objetivo desse estudo foi de comparar a intensidade de Esforço através da frequência cardíaca entre os programas RPM (Raw Power in Motion) e Bike Indoor. A amostra foi constituída por 8 professores sendo três do RPM e cinco do Bike Indoor, todos do sexo masculino (31 ± 5,97 anos; 83 ± 8,41 kg; 1,78 ± 0,05 m). Pode-se concluir que as aulas de ciclismo indoor, mais especificamente o programa RPM, pode promover na amostra analisada, uma alta solicitação do sistema cardiorrespiratório, como demonstrado pelos altos valores de intensidade relativa de esforço, enquanto que no treinamento de Bike Indoor, além da demanda aeróbica, também pode-se observar uma relativa solicitação do sistema anaeróbio em determinados momentos das aulas.

 

ABSTRACT

Comparison of exercise intensity by heart rate between rpm programs (raw power in motion) and indoor bike

The aim of this study was to compare the stress intensity through heart rate between RPM programs (Raw Power in Motion) and Bike Indoor. The sample consisted of eight teachers and three RPM and five Bike Indoor, all male (31 ± 5.97years; 83 ± 8.41kg; 1.78 ± 0.05m). It can be concluded that indoor cycling classes, specifically the RPM program, can promote in the sample, a high request of the cardiorespiratory system, as demonstrated by the high relative intensity values of effort, while in training Bike Indoor as well aerobic demand, one can also observe a relative request of the anaerobic system at certain times of the classes.


Palavras-chave


Ciclismo indoor; RPM; Frequência Cardíaca; Intensidade de esforço

Texto completo:

PDF

Referências


-ACSM, American College of Sports Medicine. 4ª edição. Rio de Janeiro. Revinter. 1998

-Barbanti, V. J. Dicionário de Educação Física e Esporte. 2ª edição. São Paulo. Manole. 2003.

-Bompa, T. O. Periodização: Teoria e metodologia do treinamento. Phorte. 2002.

-Fernandes Filho, J. A prática da Avaliação Física: testes, medidas, avaliação física em escolares, atletas e academias de ginástica. Shape. 1999. 166p.

-Fox, E. L.; Bowers, R. W.; Foss, M. L. Bases Fisiológicas da Educação Física e dos Desportos. Guanabara Koogan. 1991. 31 p.

-Powers, S. K.; Howley, E. T. Fisiologia do Exercício: Teoria e Aplicação ao Condicionamento e ao Desempenho. 3ª edição. Manole. 2000.

-Zilio, A. Treinamento Físico: terminologia. Canoas. Ed. Ulbra. 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui