Nível de atividade física de estudantes da área da saúde de uma Instituição Superior particular de Ubá-MG

Carolina Fialho de Jesus, Renata Rodrigues de Oliveira, Auxiliatrice Caneschi Badaró, Elizângela Fernandes Ferreira

Resumo


O exercício físico é uma forma de lazer e de restaurar a saúde diante dos efeitos nocivos que a rotina estressante do trabalho e ou do estudo acarreta. Ao contrário disso, o estilo de vida sedentário é associado ao aumento da morbimortalidade, responsável por diversas enfermidades de natureza crônico-degenerativas, além da diminuição da capacidade funcional laborativa e da expectativa de vida da população. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo foi verificar o nível de atividade física em estudantes da área da saúde de uma faculdade particular localizada no interior de Minas Gerais. Trata-se de um estudo de corte transversal, de abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 350 estudantes, sendo 61 alunos matriculados em Medicina, com idade média de 22,25 + 9,74 anos; 183 discentes em Educação Física, com idade de 22,13 + 3,68 anos; e 105 em Psicologia, com idade de 22,70 + 4,93 anos. Para coleta de dados, aplicou-se o questionário IPAQ versão curta, e os dados obtidos foram analisados pelo programa estatístico SSPS versão 2.0. Observou-se que o nível de atividade física é maior nos estudantes de Educação Física (91%), seguidos pelos de Psicologia (72%) e Medicina (53%). O nível de sedentarismo foi maior entre os graduandos de Medicina (22%), quando comparados com os de Psicologia (10%) e os de Educação Física (1%). Conclui-se que os graduandos avaliados da área da saúde, em geral, possuem um estilo de vida ativo.

 

ABSTRACT 

Physical activity level of students of the health of a particular institution of Uba-MG

Exercise is a form of leisure and restore health on the harmful effects of the stressful routine of work and or study entails. Unlike that, the sedentary lifestyle is associated with increased morbidity and mortality, responsible for various diseases of chronic nature, in addition to the reduction of working functional capacity and life expectancy of the population. In this sense, the objective of this study was to determine the level of physical activity in students of health services from a private college located in Minas Gerais. This is a cross-sectional study with a quantitative approach. The sample consisted of 350 students, 61 students enrolled in medicine, with a mean age of 22.25 + 9.74 years; 183 students in physical education, aged 22.13 + 3.68 years; and 105 in Psychology, aged 22.70 + 4.93 years. To collect data, it applied the IPAQ short version, and the data were analyzed by the statistical program SPSS version 2.0. It was observed that the level of physical activity is greater in physical education students (91%), followed by psychology (72%) and medicine (53%). Inactivity level was higher among medical graduates (22%) compared to the Psychology (10%) and Physical Education (1%). It was concluded that the evaluated students from the health area, in general, have a good level of physical activity.


Palavras-chave


Exercício; Estilo de vida sedentário; Qualidade de vida

Texto completo:

PDF

Referências


-Alves, J.G.B.; Tenorio, M.; Anjos, A.G.; Figueroa, J. N. Qualidade de vida em estudantes de Medicina no início e final do curso: avaliação pelo Whoqol-bref. Revista Brasileira de Educação Médica. Vol. 34. Num. 1. 2010. p. 91-96.

-Amaral, A.E.V.; Luca, L.; Rodrigues, T.C.; Leite, C.A.; Lopes, F.L.; Silva, M.A. Serviços de psicologia em clínicas-escola: revisão de literatura. Boletim de Psicologia [online]. Vol. 62. Num. 136. 2012. p. 37-52.

-Araújo, D.S.M.S.; Araújo, C.G.S. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 6. Num. 5. 2000. p.194-203.

-Araújo, L.; Boas, C. Sentimentos sobre as primeiras práticas do estagiário na clínica. Revista Psicologia em Foco. Vol. 5. Num. 6. 2013. p.40-47.

-Barbosa, F.D.; Laurenti, M.A.; Silva, M.M. Significados do estágio em psicologia clínica: percepções do aluno. Encontro: Revista de Psicologia. Vol. 16. Num. 25. 2013. p.31-53.

-Bielleman, R.; Knuth, A.; Hallal, P. Atividade física e redução de custos por doenças crônicas ao Sistema único de Saúde. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 15. Num. 1. 2010. p.9-14.

-Brasil. Ministério da Saúde. ANS, 2011: Agência Nacional de Saúde Suplementar. Disponível em: http://www.ans.gov.br. Acesso em: 13/11/2015.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, DF, 2014. Disponível em: . Acesso em: 24/08/2015.

-Carneiro, A.L.; Lopes, T.; Moreira, A.D. Mecanismos de adaptação ao exercício físico. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. 2002.

-Carvalho, T. Sedentarismo o inimigo público número um. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 5. Num. 3. 1999. p.11-12.

-Carvalho, T.; Nóbrega, A.C.L.; Lazzoli, J.K.; Magni, J.R.T.; Rezende, L.; Drummond, F.A.; Oliveira, M.A.B.; De Rose, E.H.; Araújo, C.G.S.; Teixeira, J.A.C. Posição oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: atividade física e saúde. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 2. Num. 4. 1996. p.79-81.

-Castro Júnior, E.F.; Barreto, L.A.; Oliveira, J.A.A.; Almeida, P.C.; Leite, J.A.D. Avaliação do nível de atividade física e fatores associados em estudantes de medicina de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 34. 2012. p.955-967.

-Cieslak, F.; Levandoski, G.; Goés, S.M. Dos Santos, T.K., Vilela Jr, G.B., Leite, N. Relação do nível de qualidade de vida e atividade física em acadêmicos de educação física. Fitness & Performance Journal. Vol. 6. Num. 6. 2007. p.357-361.

-Colombo, R.C.R.; Aguillar, O.M. Estilo de vida e fatores de risco de pacientes com primeiro episódio de infarto agudo do miocárdio. Revista Latino Americana de Enfermagem. Vol. 5. Num. 2. 1997. p.69-82.

-Feodrippe, A.L.O.; Brandão, M.C.F.; Valente, T.C.O. Qualidade de vida de estudantes de medicina: uma revisão. Revista Brasileira de Educação Médica. Vol. 37. Num. 3. 2013. p.428-428.

-Ferreira, C. B. Sobrepeso e obesidade em crianças de escolas públicas de Taguatinga, Distrito Federal. Educação Física em Revista. Vol. 8. Num. 1. 2014. p.60-64.

-Filho, M.G.; Biesek, S.; Fernandes, A.P.T.; Araújo, C.G.S. Comparação do padrão de atividade física e peso corporal pregressos e atuais graduados e mestres em educação física. Revista Brasileira de Ciência do Esporte. Vol. 21. 2000. p.30-35.

-Fontes, A.C.D.; Vianna, R.P.T. Prevalência e fatores associados ao baixo nível de atividade física entre estudantes universitários de uma universidade pública da região Nordeste Brasil. Revista Brasileira em Epidemiologia. Vol. 12. Num. 1. 2009. p.20-29.

-Gonçalves, S.S., Neto, A.M. Dimensão psicológica da qualidade de vida de estudantes de medicina. Revista Brasileira de Educação Médica. Vol. 37.Num. 3. 2013. p.385-395.

-Hallal, C.P.; Bastos,S.C.; Reichert, J.P.; Siqueira, F.F. Vinholes, F.; Azevedo, M.R. Evolução da pesquisa epidemiológica em atividade física no Brasil: revisão sistemática. Revista de Saúde Pública. Vol. 41.Num. 3. 2007. p.453-460.

-International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). Scoring Protocol, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20/05/2015.

-Kichler, G.F.; Serralta, F.B. As implicações da psicoterapia pessoal na formação em psicologia. Psico. Vol. 45. Num. 1. 2014.p. 55-64.

-Lalonde, M. A new perspective on the health of canadians: a working document. Ottawa. 1974.

-Lessa, S.S.; Montenegro, A.C. Avaliação da prevalência de sobrepeso, do perfil nutricional e do nível de atividade física nos estudantes de medicina da Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas-UNCISAL. Revista Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Vol. 6. Num. 3. 2008. p.90-93.

-Maia, D.A.C.; Maciel, R.H.M.O.; Vasconcelos, J.A.; Vasconcelos, L.A.; Vasconcelos Filho, J.O. Síndrome de burnout em estudantes de medicina: relação com a prática de atividade física. Caderno ESP. Vol. 6. Num. 2. 2012. p.50-59.

-Marcondelli, P.; Costa, T.H.M.; Schimitz, B.A.S. Nível de atividade física e hábitos alimentares de universitários do 3ª ao 5ª semestre da área da saúde. Revista de Nutrição. Vol. 21. Num. 1. 2008. p.39-47.

-Matsudo, S.M.; Matsudo, V.K.R.; Barros Neto, T.L. Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 7. Num. 1. 2001a. p.2-13.

-Matsudo, S.; Araújo, T.; Matsudo, V.; Andrade, D.; Andrade, E.; Oliveira, L.C.; Braggion, G. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Atividade Física & Saúde. Vol. 6. Num. 2. 2001b. p.5-18.

-Mendes-Netto, R.S.; Silva, C.S.; Costa, D.; Raposo, O.F.F. Nível de atividade física e qualidade de vida de estudantes universitários da área de saúde. Revista de Atenção a Saúde. Vol. 10. Num. 34. 2012. p.47-55.

-Meyer, C.; Azevedo, A.C.; Machado, Z.; Parcias, S.R. Qualidade de vida e estresse ocupacional em estudantes de medicina. Revista Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Vol. 36. Num. 4. 2012. p.489-498.

-Miranda, V.P.N.; Fortes, L.S.; Carvalho, P.H.B.; Botrel, T.V.; Ferreira, M.E.C. Relação entre a insatisfação corporal e nível de atividade física de acadêmicos de educação física da UFJF. Coleção Pesquisa em Educação Física. Vol. 9. Num. 3. 2010. p.233-240.

-Monteiro, P.A.; Antunes, B.M.M.; Silveira, L.S.; Fernandes, R.A.; Freitas Jr, I.F. Efeito de um protocolo de treinamento concorrente sobre fatores de risco para o acúmulo de gordura hepática de adolescentes obesos. Medicina (Brasil). Vol. 46. Num. 1. 2013. p. 17-23.

-Nunomuro, M.; Teixeira, L.A.C.; Caruso, M.R.F. Nível de estresse, qualidade de vida e atividade física: uma comparação entre praticantes regulares e ingressantes sedentários. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 4. Num. 3. 1999. p.17-26.

-Oliveira, R.A.; Piovesan, A.F. Clínica-escola de psicologia da UNIT: um espaço para práticas extensionistas e responsabilidade social. Em extensão. Vol. 9. Num. 2. 2010. p.53-60.

-Oliveira, N.R.C.; Padovani, R.C. Saúde do estudante universitário: uma questão para reflexão. Ciência Saúde Coletiva. Vol. 19. Num. 3. 2014. p.995-996.

-Pessôa, K.A.P.; Santos, M.; Sturmer, V.R.; Martins, L.W.F.; Franco, M.E.W. Análise de um processo de inclusão escolar: as possibilidades de diálogos entre o fazer Psicologia e Educação. In: VIII Mostra Científica do Cesuca. Anais... VIII Mostra Científica do Cesuca. 2014. p.1-6.

-Pires, C.G.S. Prática de atividade física entre estudantes de graduação em enfermagem. Acta Paul Enfermagem. 2013.

-Pitanga, F.J.G.; Lessa, I. Associação entre indicadores antropométricos de obesidade e risco coronariano em adultos na cidade de Salvador, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 10.Num. 2. 2007. p 239-248.

-Raddi, L.L.O.; Silva Júnior, J.P.; Ferrari, G.L.M.; Oliveira, L.C.; Matsudo, V.K.R. Nível de atividade física e acúmulo de tempo sentando em estudantes de medicina. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 20. Num. 2. 2014. p.101-104.

-Rogrigues, E.S.R.; Cheik, N.C.; Mayer, A.F. Nível de atividade física e tabagismo em universitários. Revista de Saúde Pública. Vol. 42. Num. 4. 2008. p.672-678.

-Rocha, A.C.; Silva, G.; Barbosa, R.; Duarte, C. Tornar-se psicólogo para além das aulas: grupo de desenvolvimento com estudantes de Psicologia. Análise Psicológica. Vol. 31. Num. 1. 2013. p.87-102.

-Santarém, J. M. Atividade física e saúde. Acta Físiátrica. Vol. 3. Num. 1. 1996.

-Santeiro, T.V.; Rocha, G.M.A.; Araújo, D.S.A. Implantação de um serviço-escola de psicologia no centro-oeste brasileiro: usuários e atendimentos. Perspectivas em Psicologia. Vol. 17. Num. 2. 2013. p.65-82.

-Silva, D.A.S. Nível de atividade física e fatores associados em acadêmicos de educação física de uma universidade pública do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 16. Num. 3. 2011.p.193-198.

-Silva, G.S.F.; Bergamaschine, R.; Rosa, M.; Melo, C.; Miranda, R.; Bara Filho, M. Avaliação do nível de atividade física de estudantes de graduação das áreas saúde/biológica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. Num. 1. 2007. p.39-42.

-Silva, R.S.; Silva, I.; Silva, R.A.; Souza, L.; Tomasi, E. Atividade física e qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. Vol. 15. Num. 1. 2010. p.115-120

-Tavora, M.T. Um modelo de supervisão clínica na formação do estudante de psicologia: a experiência da UFC. Psicologia em Estudo. Vol. 7. Num. 1. 2002. p.121-130.

-Trigueiro, E.S.O. La psicología escolar y el estudiante de psicología: elementos para el debate. Psicologia Escolar Educacional. Vol. 19. Num. 2. 2015. p.223-232.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui