Capacidade funcional, nível de atividade física e risco de quedas de idosas participantes de um centro de convivência no interior da Paraíba

Polion da Costa Sobrinho, Geovani Garcia de Souza, José Onaldo Ribeiro de Macedo, Rodrigo Ramalho Aniceto, Leonardo dos Santos Oliveira

Resumo


Os centros de convivência têm promovido bem-estar e saúde, por meio do desenvolvimento de atividades físicas, culturais, educacionais e recreativas, contudo, pouco se sabe sobre o potencial que estas atividades promovem nos domínios biopsicossociais dos usuários, especialmente na região nordeste. O objetivo foi analisar o nível de atividade física (NAF), função cognitiva, capacidade funcional e risco de quedas de idosas participantes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) na cidade de Emas-PB. Em um estudo ex post facto, idosas [n=6; idade: 69 (7) anos; IMC: 29,8 (6,4) kg/m2] foram submetidas a uma anamnese e a medidas antropométricas (massa corporal e estatura), do NAF (IPAQ), da função cognitiva (Mini Exame do Estado Mental) e da capacidade funcional (Escala de Equilíbrio de Berg, Teste de Alcance Funcional e Timed Up & Go). Utilizou-se o coeficiente Rho de Spearman (ρ) para verificar o relacionamento entre as variáveis (P≤0,05). Os resultados demonstraram baixo risco de quedas para a maioria das idosas, embora quatro idosas tenham reportado queda nos últimos 12 meses. Além disso, verificou-se que quanto maior o tempo gasto em atividades físicas, menor o número de quedas (ρ= −0,83; P= 0,04). A idade influenciou o equilíbrio estático e dinâmico (P<0,05) e o estado mental apresentou elevado relacionamento com o alcance funcional (ρ= 0,93; P= 0,01). Uma vez que as idosas frequentaram regularmente as atividades no SCFV há um ano, a participação neste centro de convivência parece trazer benefícios à saúde geral.

 

ABSTRACT 

Functional capacity, level of physical activity and risk of falls of elderly women participating in a cohabitation center in the interior of Paraíba

Community centers have promoted well-being and health, through the development of physical, cultural, educational and recreational activities, however, little is known about the potential that these activities promote in the biopsychosocial domains of users, especially in the Northeast of Brazil. The aim was to analyze physical activity level (PAL), cognitive function, functional capacity and risk of falls of elderly women participating in the Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) in Emas-PB. In an ex post facto study, elderly [n=6; age: 69 (7) years; BMI: 29.8 (6.4) kg/m2] underwent anamnesis and anthropometric measurements (body mass and height), PAL (IPAQ), cognitive function (Mini-mental state examination) and functional capacity (Berg Balance Scale, Functional Reach Test and Timed Up & Go). Spearman's Rho coefficient (ρ) was used to verify the relationship among the variables (P≤0.05). The results showed a low risk of falls for the majority of the elderly, although four elderly women reported a fall in the last 12 months. In addition, it was verified that the greater the time spent in physical activities, the lower the number of falls (ρ= −0.83; P=0.04). Age influenced the static and dynamic balance (P<0.05) and the mental state revealed a high relationship with the functional reach (ρ= 0.93; P= 0.01). Since the elderly have regularly attended SCFV activities for a year, participation in this community center seems to bring benefits to general health.

 


Palavras-chave


Serviços de Saúde para Idosos; Equilíbrio Postural; Atividade física; Geriatria

Texto completo:

PDF

Referências


-Andrade, L.M.; Sena, E.L.S.; Pinheiro, G.M.L; Meira, E.C; Lira, L.S.S.P. Políticas públicas para pessoas idosas no Brasil: uma revisão integrativa. Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 18. Num. 12. 2013.

-Benedetti, T.R.B.; Mazo, G.Z.; Barros, M.V. Aplicação do Questionário Internacional de Atividade Física para avaliação do nível de atividades físicas de mulheres idosas: validade concorrente e reprodutibilidade teste/reteste. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 12. Num. 1. 2004. p.25-33.

-Berg, K.O.; Norman, K.E.; Functional assessment of balance and gait. Clinics in Geriatric Medicine. Vol. 12. Num. 4. 1996. p.705-723.

-Bischoff, H.A.; Stähelin, H.B.; Monsch, A.U.; Iversen, M.D.; Weyh, A.; Von Dechend, M. Identifying a cut-off point for normal mobility: A comparison of the timed 'up and go' test in community-dwelling and institutionalised elderly women. Age and Ageing. Vol. 32. Num. 3. 2003. p.315-320.

-Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais. Resolução 109, 11 de novembro de 2009. Brasília. 2009.

-Brucki, S.M.; Nitrini, R.; Caramelli, P.; Bertolucci, P.H.; Ivan, H.; Okamoto, I.H. Sugestões para o uso do MiniExame do Estado Mental no Brasil. Arquivos de Neuropsiquiatria. Vol. 61. Num. 3-B. 2003. p.777-781.

-Cadore, E.L.; Rodriguez-Manas, L.; Sinclair, A.; Izquierdo, M. Effects of different exercise interventions on risk of falls, gait ability, and balance in physically frail older adults: a systematic review. Rejuvenation Research. Vol. 16. Num. 2. 2013. p.105-114.

-Custódio, E.B.; Malaquias Júnior, J.; Voos, M.C. Relação entre cognição (função executiva e percepção espacial) e equilíbrio de idosos de baixa escolaridade. Fisioterapia e Pesquisa. Vol.17. Num. 1. 2010. p.46-51.

-Duncan, P.W.; Weiner, D.K.; Chandler, J.; Studenski, S. Functional reach: a new clinical measure of balance. Journals of Gerontology. Vol. 45. 1990. p.192-197.

-Folstein, M.F.; Folstein, S.E.; McHugh, P.R. “Mini-mental state”. A practical method for grading the cognitive state of patients of the clinician. Journal of Psychiatric Research. Res. Vol. 12. Num. 3. 1975. p.189-198.

-Gillespie, L.D.; Robertson, M.C.; Gillespie, W.J.; Sherrington, C.; Gates, S.; Clemson, L.M.; Lamb, S.E. Interventions for preventing falls in older people living in the community. Cochrane Database of Systematic Reviews. Vol. 12. Num. 9. 2012.

-IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Cidades. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2016.

-Karuka, A.H.; Silva, J.A.M.G.; Navega, M.T. Análise da concordância entre instrumentos de avaliação do equilíbrio corporal em idosos. Revista Brasileira de Fisioterapia. Vol. 15. Num. 6. 2011. p.460-466.

-Melo, D.M.; Barbosa, A.J.G. O uso do Mini-Exame do Estado Mental em pesquisas com idosos no Brasil: uma revisão sistemática. Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 20. Num.12. 2015.

-Miyamoto, S.T.; Lombardi Júnior, I.; Berg, K.O.; Ramos, L.R.; Natour, J. Brazilian version of the Berg balance scale. Brazilian Journal of Medical and Biological Research. Vol. 37. Num. 9. 2004. p.1411-1421.

-Nelson, M.E.; Rejeski, W.J.; Blair, S.N.; Duncan, P.W.; Judge, J.O.; King, A.C.; Macera, C.A.; Castaneda-Sceppa, C. Physical activity and public health in older adults: recommendation from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Circulation. Vol. 116. Num. 9. 2007. p.1094-1105.

-Peel, N.M. Epidemiology of falls in older age. Canadian Journal on Aging. Vol. 30. Num. 1. 2011. p.7-19.

-Pereira, M.C.A.; Santos, L.F.S.; Moura, T.N.B.; Pereira, L.C.A.; Landim, M.B.P. Contributions of socialization and public policies to the promotion of healthy aging: a literature review. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. Fortaleza. Vol. 29. Num. 1. 2016. p.124-131.

-Pinho, T.A.M.; Silva, A.O.; Tura, L.F.R.; Moreira, M.A.S.P.; Gurgel, S.N.; Smith, A.A.F.; Bezerra, V.P. Avaliação do risco de quedas em idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP. Vol. 46. Num. 2. 2012. p.320-327.

-Podsiadlo, D.; Richardson, S. The Timed "Up & Go": a test of basic functional mobility for frail elderly persons. Journal of the American Geriatrics Society. Vol. 39. 1991. p.142-148.

-Ribeiro, A.S.B.; Pereira, J.S. Melhora do equilíbrio e redução da possibilidade de quedas em idosas após os exercícios de Cawthorne e Cooksey. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. Vol. 71. Num. 1. 2005. p.38-46.

-Rimland, J.M.; Abraha, I.; Dell’Aquila, G.; Cruz-Jentoft, A.; Soiza, R.; Gudmusson, A.; Petrovic, M.; O’Mahony, D.; Todd, C.; Cherubini, A. Effectiveness of non-pharmacological interventions to prevent falls in older people: a systematic overview. The SENATOR Project ONTOP Series. Plos One. Vol. 11. Num. 8. 2016. p.1-29.

-Shumway-Cook, A.S.; Woolacott, M.H. Controle Motor: teoria e aplicação práticas. 2. ed. Barueri. Manole. 2003.

-Stewart, A.; Marfell-Jones, M.; Olds, T.; De Ridder, H. International standards for anthropometric assessment. ISAK: International Society for the Advancement of Kinanthropometry. New Zealand. Lower Hutt. 2011.

-Thomas, J.; Nelson, J.; Silverman, S. Métodos de pesquisa em atividade física. 5ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2007.

-Tomicki, C.; Zanini, S.C.C.; Cecchin, L.; Benedetti, T.R.B.; Portella, M.R.; Leguisamo, C.P. Efeito de um programa de exercícios físicos no equilíbrio e risco de quedas em idosos institucionalizados: ensaio clínico randomizado Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol. 19. Num. 3. 2016. p.473-482.

-Valim-Rogatto, P.C.; Candolo, C.; Brêtas, A.C.P. Nível de atividade física e sua relação com quedas acidentais e fatores psicossociais em idosos de centro de convivência. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol. 14. Num. 3. 2011.

-Winter, H.; Watt, K.; Peel, N.M. Falls prevention interventions for community-dwelling older persons with cognitive impairment: a systematic review. International Psychogeriatrics. Vol. 25. Num. 2. 2013. p.215-227.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui