Validação de questionário sobre conhecimento em treinamento resistido

Natan Feter, Matheus Pintanel Freitas, Allison Gustavo Cavalcante Muller, Airton José Rombaldi

Resumo


O conhecimento dos profissionais de Educação Física (EF) que atuam nas academias na modalidade de treinamento resistido (TR) é de extrema importância, para que os objetivos dos indivíduos praticantes sejam alcançados de modo eficiente e com riscos diminuídos para lesões advinda da prática. Todavia, há uma escassez de instrumentos validados para medir conhecimento em TR. Assim, o presente estudo objetivou validar um questionário sobre conhecimento de acadêmicos do curso de EF sobre TR. A amostra foi composta por 59 estudantes do curso de EF de uma universidade situada na cidade de Pelotas/RS. Os alunos tinham idade média igual a 24,3 ± 5,7 anos, sendo a maioria (59%) do sexo masculino. O instrumento utilizado foi criado pelos autores e era composto por 30 questões de múltipla escolha. O questionário era dividido em dois domínios (15 questões cada): anatomia-cinesiologia e princípios-métodos do TR. Os resultados mostraram que os escores obtidos na primeira e segunda coleta apresentaram reprodutibilidade moderada quando analisado o escore total (r= 0,80; Lin= 0,66; p<0,001) e no domínio de princípios e métodos (r= 0,68; Lin=0,59; p<0,001), indicando uma estabilidade estatisticamente significativa entre as duas medidas. No entanto, ao analisar os resultados do domínio anatomia e cinesiologia, o valor de concordância, apesar de significativo (p<0,001), é considerado fraco (Lin=0,32). Concluiu-se que o instrumento de medida de conhecimento apresentou níveis moderados de reprodutibilidade.

 

ABSTRACT 

Validation of questionnaire on knowledge in resisted training

The knowledge and skills of Physical Education (PE) professionals working in gyms is extremely important in order to ensure that the subjects’ physical training goals will be achieved efficiently and with reduced risk of injuries. Nevertheless, there is a scarcity of validated instruments that measure knowledge on resistance training (RT). Thus, this study aimed to validate a questionnaire about knowledge on RT in PE students. The sample consisted of 59 PE students from a university situated in Pelotas/RS. The students had a mean age of 24.3 ± 5.7 years, and the majority (59%) was male. The instrument used was created by the authors and comprised 30 multiple-choice questions. The instrument was divided into two domains (15 questions each): anatomy and kinesiology and principles and methods of RT. The scores obtained in the first and second questionnaire application achieved moderate reproducibility when analyzing the total score (r = 0.80; Lin = 0.66; p <0.001) and the domain on principles and methods (r = 0.68; Lin = 0.59, p <0.001), indicating a statistically significant stability between the two measurements. Nevertheless, when analyzing the field of anatomy and kinesiology, the results were considered weak (Lin = 0.32) although they were statistically significant (p <0.001). Then, the questionnaire about knowledge on RT showed moderate reproducibility.


Palavras-chave


Conhecimento; Educação Física e Treinamento; Questionários; Estudo de Validação

Texto completo:

PDF

Referências


-Armstrong, T.; Bull, F. Development of The World Health Organization Global Physical Activity Questionnaire (Gpaq). Journal of Public Health. Vol. 14. Num. 12. 2006. p. 66-70.

-Barros, M. V. G.; e colaboradores. Análise De Dados Em Saúde. Londrina. Midiograf. 2012.

-Barros, M. V. G.; Nahas, M. V. G. Reprodutibilidade (Teste-Reteste) Do Questionário Internacional De Atividade Física (Qiaf-Versäo 6): Um Esudo Piloto Com Adultos No Brasil / Reproducibility (Test-Retest) Of International Questionnaire On Physical Activity (Qiaf-Version 6) A Pilot Study With Adults In Brazil. Revista Brasileira Ciência e Movimento. Vol. 8. Num. 1. 2000. p. 23-26.

-Baumgartner, T. A.; Chung, H. Confidence Limits for Intraclass Reliability Coeficients. Measurement in Physical Education And Exercise Science. Vol. 5. Num. 3. 2001. p. 179-188.

-Benedetti, T. B.; Mazo, G. Z.; Barros, M. V. G. Aplicação Do Questionário Internacional de Atividades Físicas para Avaliação do Nível de Atividades Físicas de Mulheres Idosas: Validade Concorrente e Reprodutibilidade Teste-Reteste. Revista Brasileira Ciência e Movimento. Vol. 12. Num. 1. 2004. p. 25-34.

-Bland, J. M.; Altmand, G. Statistical Methods for Assessing Agreement Between Two Methods of Clinical Measurement. Lancet. Vol. 1. 1986. p. 307-310.

-Bompa, T. O. A Periodização Do Treinamento Esportivo. São Paulo. Manole. 2001.

-Borges, T. T.; colaboradores. Conhecimento para Fatores de Risco sobre Doenças Crônicas: Estudo de Base Populacional. Cadernos De Saúde Pública, Vol. 25. Num. 7. 2009. p. 1511-1520.

-Campos, M. A. Biomecânica da Musculação. Rio De Janeiro. Sprint. 2000.

-Clark, J. E. Diet, Exercise or Diet With Exercise: Comparing the Effectiveness of Treatment Options for Weight-Loss and Changes in Fitness for Adults (18-65 Years Old) Who are Overfat, or Obese: Systematic Review and Meta-Analysis. Journal of Diabetes & Metabolic Disorders. Vol. 14. Num. 1. 2015. p. 1-28.

-Cornelissen, V. A.; Smart, N. A. Exercise training for blood pressure: a systematic review and meta-analysis. Journal of American Heart Association. Vol. 2. Num. 1. 2013. p. 1-9.

-Cossenza, C. E. Musculação e métodos e sistemas. Rio de Janeiro. Sprint. 2003.

-Craig, C. L.; e colaboradores. International Physical Activity Questionnaire: 12-Country Reliability and Validity. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 35. Num. 8. 2003. p. 1381-1395.

-Domingues, M. R.; Araújo, C. L. P.; Gigante, D. P. Conhecimento e Percepção sobre Exercício Físico em uma População Adulta Urbana do Sul do Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 20. Num. 1. 2004.

-Evans, N. Anatomia da Musculação. São Paulo. Manole. 2007.

-Fatouros, I. G.; e colaboradores. Leptin and Adiponectin Responses in Overweight Inactive Elderly Following Resistance Training and Detraining are Intensity Related. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Vol. 90. Num. 11. 2005. p. 5970-5977.

-Ferguson, C. J. An Effect Size Primer: A Guide for Clinicians and Researchers. Professional Psychology: Research and Practice. Vol. 40. Num. 5. 2009. p. 532-538.

-Fleck, M. P. A.; e colaboradores. Aplicação da Versão em Português do Instrumento de Avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde (Whoqol-100). Revista de Saúde Pública. Vol. 33. Num. 2.1999. p. 198-205.

-Folland, J. P.; e colaboradores. Strength Training: Isometric Training at a Range of Join Angles Versus Dynamic Training. Journal of Sports Science. Vol. 23. Num. 8. 2005. p. 817-824.

-Gielen, S. T.; e colaboradores. Exercise Training in Patients With Heart Disease: Review of Beneficial Effects and Clinical Recommendations. Progress In Cardiovascular Diseases. Vol. 57. Num. 4. 2015. p. 347-355.

-Huang, C. J.; e colaboradores. Cardiovascular Reactivity, Stress, and Physical Activity. Frontiers of Physiology. Vol. 4. 2013. p. 1-13.

-Júnior, J. C. F.; e colaboradores. Validade e Reprodutibilidade dos Instrumentos de Medida da Atividade Física do Tipo Self-Report em Adolescentes: Uma Revisão Sistemática. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 26. Num. 9. 2010. p. 1669-1691.

-Leal, P. H. S.; e colaboradores. Perfil Profissional de Personal Trainers que atuam na área de Musculação na Cidade de Gurupi-TO. Revista Cereus. Vol. 5. 2011.

-Lin, L. I. A Concordance Correlation Coefficient to Evaluate Reproducibility. Biometrics. Vol. 45. Num.1. 1989. p. 255-268.

-Maior, A. S. Fisiologia dos Exercícios Resistidos. Phorte. 2008.

-Mazo, G. Z.; Lopes, M. A.; Beneditti, T. B. Atividade Física e o Idosos. Porto Alegre. Meridional. 2004.

-Mineiro, L.; Scolaro, A. M. T.; Bardy, J. A.; da Rocha, R. E. Perfil dos Personal Trainers atuantes na Cidade de Caçador-SC. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 7. Num. 41. 2013. p. 477-483. Disponível em:

-Oliva, O. J.; Bankoff, A. D. P.; Zamai, C. A. Possíveis Lesões Musculares e ou articulares causadas por sobrecarga na prática da Musculação. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 3. Num. 3. 2012. p. 15-23.

-Patterson, P. Reliability, Validity, and Methodological Response to the Assessment of Physical Activity Via Self-Report. Research Quarterly for Exercise and Sport. Vol. 71. Num. 2. 2000. p. 15-20.

-Scagliusi, F. B.; e colaboradores. Tradução, Adaptação e Avaliação Psicométrica da Escala de Conhecimento Nutricional do National Health Interview Survey Cancer Epidemiology. Revista de Nutrição. Vol. 19. Num. 4. 2006. p. 425-436.

-Silveira, E. F.; Silva, M. C. Conhecimentos Sobre Atividade Física em Estudantes de uma Cidade do Sul do Brasil. Motriz. Vol. 17. Num. 3. 2011. p. 456-467.

-Silveira, L. G. Reprodutibilidade de Questionário de Conhecimento da Relação entre quatro fatores de Risco Para Oito Doenças Crônicas Não Transmissíveis. TCC. UFPEL. Pelotas. 2013.

-Simão, R.; e colaboradores. Influência do aquecimento específico e da flexibilidade no teste de 1RM. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol. 2. Num. 2. 2003. p. 134-140.

-Singh, N. A.; e colaboradores. Randomized controlled trial of high versus low intensity weight training versus general practitioner care for clinical depression in older adults. Journal of Gerontology: Medical Sciences. Vol. 60. Num. 6. 2005. p. 768-776.

-Surita, F. G. Recomendações para a Prática De Exercício Físico na Gravidez: Uma Revisão Crítica da Literatura. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Vol. 36. Num. 9. 2014. p. 423-31.

-Swift, D. L.; e colaboradores. The Role of Exercise and Physical Activity in Weight Loss and Maintenance. Progress in Cardiovascular Diseases. Vol. 56. Num. 4. 2014.

-Vidal, P. M.; e colaboradores. Reproducibility and Relative Validity of a Food-Frequency Questionnaire for French-Speaking Swiss Adults. Food & Nutrition Research. Vol. 55. 2011. p. 1-8.

-Wagner, E. Estudo de lesões musculares e articulares em praticantes de musculação de uma academia do munícipio de Florianópolis. TCC. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianopolis. 2013.

-Zatsiorsky, V. M.; Kraemer, W. J. Prática E Ciência Do Treinamento de Força. São Paulo. Phorte. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui