Associação de variáveis antropométricas e de bioimpedância em diferentes níveis de aptidão cardiorrespiratório

Marcelo Henrique Glänzel, Analie Nunes Couto, Kely Lisandra Dummel, William Vinicius Kleinpaul, Miriam Beatrís Reckziegel, Hildegard Hedwig Pohl

Resumo


Introdução: A capacidade cardiorrespiratória e a composição corporal são dois componentes de maior relevância na dimensão da aptidão física direcionada à saúde. Objetivo: Associar variáveis antropométricas e de bioimpedância (BIA) de acordo com a aptidão cardiorrespiratória. Método: Este estudo transversal avaliou 38 trabalhadores do ramo industrial de Santa Cruz do Sul-RS, Brasil, com faixa etária de 26 a 50 anos, sendo 26 indivíduos do sexo feminino. As avaliações constaram de avaliação antropométrica, BIA e cardiorrespiratória. Na antropometria foram utilizadas as variáveis de índice de massa corporal (IMC), percentual de gordura (%G), peso gordo (PG) e peso muscular (PM). Já na BIA, foram enfocadas as variáveis equivalentes às anteriores, como índice de massa corporal (IMCBIA), percentual de gordura (%GBIA), massa gorda (MG) e massa muscular esquelética (MME). Para a aptidão cardiorrespiratória utilizou-se teste ergoespirométrico através do protocolo indireto de Bruce Modificado. De acordo com os níveis de classificações, estes foram dicotomizados em dois grupos: abaixo da média (G1) e acima da média (G2). Resultados: Observou-se diferenças entre IMC, IMCBIA e MG entre os grupos, apresentando valores superiores no G2. Além disso, os resultados indicaram que as variáveis de ambos os métodos demonstraram comportamento semelhante quanto à correlação nos dois grupos, apresentando fortes correlações em todos as variáveis, com exceção das variáveis PM-MME no G2, as quais demonstraram correlação moderada. Conclusão: Pode-se observar que os dois métodos são considerados válidos, contudo, deve-se levar em consideração a possibilidade de erros nas avaliações, sendo necessário realizá-las com cautela.

 

ABSTRACT 

Association of anthropometric and bioimpedance variables in different levels of cardiorrespiratory fitness

Introduction: The cardiorespiratory capacity and body composition are components of greater relevance in the dimension of physical fitness directed to health. Objective: The aim of this study was to associate anthropometric and bioelectrical impedance analysis (BIA) variables according to cardiorespiratory fitness. Methods: This cross-sectional study evaluated 38 workers from the industrial branch of Santa Cruz do Sul, Brazil, aged 26 to 50 years, 26 of whom were female. The evaluations included anthropometric, BIA and cardiorespiratory evaluation. In the anthropometry, the variables of body mass index (BMI), percentage of fat (%FAT), fat weight and muscle weight were used. In the BIA, the variables equivalent to the previous ones were focused, such as body mass index (BMIBIA), percentage of fat (%FATBIA), fat mass and skeletal muscle mass (SMM). For cardiorespiratory fitness, an ergospirometric test was performed using the indirect modified Bruce protocol. According to the classification levels, these were dichotomized into two groups: below the mean (G1) and above the mean (G2). Results: Differences were observed between BMI, BMIBIA and fat mass between the groups, presenting higher values in G2. In addition, the results indicated that the variables of both methods showed a similar behavior regarding the correlation in both groups, with strong correlations in all variables, except for muscle weight-SMM variables association in G2, which showed a moderate correlation. Conclusion: It can be observed that both methods are considered valid, however, one must consider the possibility of errors in the evaluations, and it is necessary to carry them out with caution.


Palavras-chave


Antropometria; Impedância elétrica; Composição corporal; Aptidão física

Texto completo:

PDF

Referências


-Buscariolo, F.F.; Catalani, M.C.; Dias, L.C.G.D.; Navarro, A.M. Comparação entre os métodos de bioimpedância e antropometria para avaliação da gordura corporal em atletas do time de futebol feminino de Botucatu-SP. Revista Simbio-Logias. Vol. 1. Num. 1. 2008. p.122-129.

-Castoldi, R.C.; Moret, D.G.; Gomes, I.C.; Paulo, T.R.S.; Oikawa, S.M.; Freitas Júnior, I.F. Influência da adiposidade corporal sobre a aptidão cardiorrespiratória em mulheres idosas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 18. Num. 4. 2010. p.34-38.

-Couto, A.N.; Dummel, K.L.; Renner, J.D.P.; Pohl, H.H. Métodos de avaliação antropométrica e bioimpedância: um estudo correlacional em trabalhadores da indústria. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção. Vol. 6. Sup. 2016. p.96-107.

-Dancey, C.P.; Reidy, J. Estatística sem matemática para Psicologia. 5. ed. Porto Alegre. Penso. 2013.

-Duncan, B.B.; Chor, D.; Aquino, E.M.L.; Bensenor, I.M.; Mill, J.G.; Schmidt, M.I.; Lotufo, P.A.; Vigo, A.; Barreto, S.M. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: prioridade para enfrentamento e investigação. Revista de Saúde Pública. Vol. 46. Sup. 2012. p.126-134.

-Eickemberg, M.; Oliveira, C.C.; Roriz, A.K.C.; Fontes, G.A.V.; Mello, A.L.; Sampaio, L.R. Bioimpedância elétrica e gordura visceral: uma comparação com a tomografia computadorizada em adultos e idosos. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Vol. 57. Num. 1. 2013. p.27-32.

-Freitas, R.H. Ergometria: bases fisiológicas e metodologia para a prescrição do exercício. Rio de Janeiro. Rubio. 2004.

-Gomes, I.C.; Segatto, A.F.M.; Santos, V.R.; Rosa, C.S.C.; Paulo, T.R.S.; Freitas Júnior, I.F. Aptidão cardiorrespiratória e envelhecimento como indicadores de risco de obesidade. Revista Brasileira de Cardiologia. Vol. 24. Num. 4. 2011. p.233-240.

-Gonçalves, V.S.; Faria, E.R.; Franceschini, S.C.; Priore, S.E. Predictive capacity of different bioelectrical impedance analysis devices, with and without protocol, in the evaluation of adolescents. Jornal de Pediatria. Vol. 89. 2013. p.567-574.

-Guedes, D.P. Procedimentos clínicos utilizados para análise da composição corporal. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 15. Num. 1. 2013. p.113-129.

-Heyward, V.H. Avaliação física e prescrição de exercício: técnicas avançadas. 6. ed. Porto Alegre. Artmed. 2013.

-Ling, C.H.; Craen, A.J.; Slagboom, P.E.; Gunn, D.A.; Stokkel, M.P.; Westendorp, R.G.; Maier, A.B. Accuracy of direct segmental multi-frequency bioimpedance analysis in the assessment of total body and segmental body composition in middle-aged adult population. Clinical Nutrition. Vol. 30. Num. 5. 2011. p.610-615.

-Machado, D.G.S.; Elsangedy, H.M.; Agrícola, P.M.D.; Farias Junior, L.F.; Nascimento Neto, L.I.; Fonteles, A.I.; Chao, C.H.N.; Costa, E.C.; Cyrino, E.S.; Farinatti, P.T.V.; Okano, A.H. Associação entre força e aptidão cardiorrespiratória é mais forte em septuagenários. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 21. Num. 4. 2016. p.317-323.

-Mouad, M.; Matias, C.N.; Santos, D.A.; Teixeira, V.H.; Sardinha, L.B.; Silva, A.M. Validação da bioimpedância elétrica por multifrequência em atletas. Revista Brasileira de Ciência & Movimento. Vol. 23. Num. 1. 2015. p.48-57.

-Neves, E.B., Ripka, W.L.; Ulbricht, L.; Stadnik, A.M.W. Comparação do percentual de gordura obtido por bioimpedância, ultrassom e dobras cutâneas em adultos jovens. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 19. Num. 5. 2013. p.323-327.

-Pereira, P.F.; Serrano, H.M.S.; Carvalho, G.Q.; Ribeiro, S.M.R.; Peluzio, M.C.G.; Franceschini, S.C.; Priore, S.E. Medidas de localização da gordura corporal: uma avaliação da colinearidade com massa corporal, adiposidade e estatura em adolescentes do sexo feminino. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 33. Num. 1. 2015. p.63-71.

-Pierine, D.T.; Orsatti, F.L.; Maestá, N.; Burini, R.C. Consequências cardiorrespiratórias e antropométricas da redução da massa muscular pelo envelhecimento em mulheres. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 17. Num. 4. 2009. p.72-77.

-Rios, D.G.; Ramos, G.P.; Mendes, T.T.; Barros, C.L.M. Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários. Revista Mineira de Ciências da Saúde. 2010. Vol. 2. p.21-27.

-Sant’ana, J.; Pupo, J.D.; Gheller, R.G.; Diefenthaeler, F. Efeitos do treinamento combinado aeróbio e resistido na aptidão aeróbia e na composição corporal de adultos jovens. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 6. Num. 35. 2012. p.433-440. Disponível em:

-Santo, R.E.; Grinsztejn, B.; Peres, W.A.F.; Brito, P.D. Bioimpedância e antropometria na determinação da composição corporal em homens portadores de HIV. Revista Brasileira de Nutrição Clínica. Vol. 31. Num. 1. 2016. p. 60-64.

-Silva, D.A.S.; Pelegrini, A.; Pires Neto, C.S.; Vieira, M.F.S.; Petroski, E.L. O antropometrista na busca de dados mais confiáveis. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 13. Num. 1. 2011. p.82-85.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui