Determinação dos níveis de aptidão física para indivíduos treinados e destreinados a partir do Índice de Força Máxima Relativa (IFMR)

Jeferson Américo Ancelmo Teixeira, Rodrigo Ferro Magosso, Cássio Mascarenhas Robert Pires, Karina Kirschner Lopes Teixeira, Vilmar Baldissera, Sergio Eduardo de Andrade Perez

Resumo


O índice de força máxima relativa (IFMR) representa a relação da força máxima com o peso corporal, por isso é utilizado como um índice na avaliação funcional. Objetivo de nosso estudo foi avaliar o IFMR de homens jovens treinados e destreinados em quatro exercícios (leg press, mesa flexora, puxador e supino reto). Foram selecionados 18 voluntários homens e divididos em grupo treinado (n = 9) e grupo destreinado (n = 9). Após avaliação da composição corporal por DXA, uma segunda visita foi agendada para realizar a segunda etapa que consistiu no teste de 1RM nos exercícios leg press (LP), supino reto (SR), mesa flexora (MF) e puxador frente (PF) e após 72h eles deveriam retornar para realizar o reteste respeitando a mesma sequência de exercícios e horário. O IFMR do grupo treinado foi maior que do grupo destreinado nos quatro exercícios avaliados, sendo, respectivamente, de: 5,26 ± 0,59 e 3,50 ± 0,37 no leg press, 1,25 ± 0,13 e 0,71 ± 0,15 no supino reto, 0,84 ± 0,09 e 0,62 ± 0,10 na mesa flexora e 0,99 ± 0,10 e 0,74 ± 0,11 no puxador frente. O presente estudo permite concluir que indivíduos treinados apresentam maior IFMR nos exercícios LP, SR, MF e PF, quando comparados aos indivíduos destreinados, ou seja, é uma ferramenta de grande valia para determinação da aptidão física.


Palavras-chave


Aptidão física; Teste de 1 RM; Força muscular

Texto completo:

PDF

Referências


-Aagaard, P.; Simonsen, E.B.; Andersen, J.L.; Magnusson, P.; Dyhre-Poulsen, P. Increased rate of force development and neural drive of human skeletal muscle following resistance training. J Appl Physiol. Vol. 93. Num. 4. 2002. p. 1318-1326.

-Akima, H.; Takahashi, H.; Kuno, S.Y.; Masuda, K.; Masuda, T.; Shimojo, H.; Anno, I.; Itai, Y.; Fiatsuta, S. Early phase adaptations of muscle use and strength to isokinetic training. Med Sci Sports Exerc. Vol. 31. Num 4.1999. p. 588–594.

-American College of Sports Medicine. Guidelines for exercise testing and prescription. 6ª edição. USA. 2000.

-American College of Sports Medicine.Kaminsky L, editor.ACSM’s guidelines for exercise testing and prescription. 7ª ed. Baltimore. Lippincott. Williams & Wilkins. 2006.

-Brown, L.E.; Weir, J.P. Asep Procedures Recommendation I - Accurate Assessment of Muscular Strength and Power. JEPonline. Vol.4. Num.3. 2001. p.1-21.

-Carnahan, H., Elliott, D. Pedal asymmetry in there production of spatial locations. Cortex. Vol. 23. Num 1. 1987. p. 157-159.

-Carli, J.P.C.; Figueira, T.G.; Magosso, R.F.; Neto, J.C.; Souza, G.S.; Perez, S.E.A.; Baldissera, V. Are There Differences Between 1RM Loads Determined in Isolated Tests vs. In Three Different Sequences? JEPonline. Vol. 19. Num. 6. 2016. p 104-110.

-Cohen J. A power primer. Psychological bulletin. Vol. 112. Num. 1. 1992. p.155.

-Fleck, S.J.; Kraemer, W.J. Fundamentos do treinamento de força muscular. São Paulo. Artmed, 2017.

-Gurjão, A.L.D.; Cyrino, E.S.; Caldeira, L.F.S.; Nakamura, F.Y.; Oliveira, A.R.; Salvador, E.P.; Dias, R.M.R. Variation of the muscular strength in repetitive 1-RM test in prepubescent children. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Num. 6. 2005. p. 319-324.

-Hart, N.H.; Nimphius, S.; Cochrane, J.L.; Newton, R.U. Leg mass characteristics of accurate and inaccurate kickers--an Australian football perspective. Journal of Sports Science. Vol. 31. Num. 15. 2013. p. 1647-1655.

-Knight, C.A.; Kamen, G. Adaptations in muscular activation of the knee extensor muscles with strength training in young and older adults. J Electromyogr Kinesiol Vol.11. Num. 6. 2001. p. 405-412.

-Lagoeiro, C.G.; Silva, N.S.; Robert-Pires, C.M.; Magosso, R.F. Índice de força máxima relativa de homens treinados nos exercícios puxador costas, puxador frente, pull down e remada unilateral. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo. Vol. 8. Num. 44. 2014. p.156-162. Disponível em:

-Maior, A. S.; Varallo, A. T.; Matoso, A. G. D. P. S.; Edmundo, D. A.; Oliveira, M. M. D.; Minari, V. A. Resposta da força muscular em homens com a utilização de duas metodologias para o teste de 1RM. Rev. Bras. de Cineantropom. Desempenho Hum. Vol. 9. 2007. Num. 2, p.177-182.

-Machetti, P.; Calheiros, R.; Charro, M. Biomecânica Aplicada - Uma abordagem para o treinamento de força. São Paulo. Phorte. 2007.

-Marsola, T.S.; Carvalho, R.D.T.; Robert-Pires, C.M. Relação entre peso levantado em teste de 1rm e peso corporal de homens sedentários no exercício supino reto. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 5. Num. 30. 2011. p. 484-489. Disponível em:

-Pick, J.; Becque, M.D. The relationship between training status and intensity on muscle activation and relative submaximal lifting capacity during the back squat. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 14. Num. 2. 2000. p. 175-181.

-Ploutz-Snyder, L.L.; Giamis, E.L. Orientation and familiarization to 1RM strength testing in old and Young women. J. Strength Cond. Res. Vol. 15. Num. 4. 2001. p. 519-523.

-Pereira, M.I.R.; Gomes, P.S.C. Testes de força e resistência muscular: confiabilidade e predição de uma repetição máxima. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 9. Num. 5. 2003. p. 325-335.

-Simão, R.; Poly, M.A.; Lemos, A. Prescrição de exercícios através do teste de 1RM em homens treinados. Fitness & Performance Journal, Vol. 3. Num. 2. 2004. p. 47-52.

-Silva, N.S.; Lagoeiro, C.G.; Castellan, V.T.; Robert-Pires, C.M.; Magosso, R.F. indice de Forca Maxima relativa de homens treinados nos exercícios Supino Reto, Supino Inclinado, Supino Vertical e Crucifixo. Revista Corpo & Movimento. Vol. 4. Num. 1. 2011. p. 44-48.

-Siqueira, C.M.; Pelegrini, F.R.; Fontana, M.F.; Greve, J.M. Isokinetic dynamo- metry of knee flexors and extensors: comparative study among non-athletes, jumper athletes and runner athletes. Rev Hosp Clin Fac Med Sao Paulo. Vol. 57. Num 1. 2002. p.19-24.

-Verrall, G.M.; Slavotinek, J.P.; Barnes, P.G.; Esterman, A.; Oakeshott, R.D.; Spriggins, A.J. Hip joint range of motion restriction precedes athletic chronic groin injury. J SciMed Sport. Vol. 10. Num 6. 2007. p. 463-466.

-Weber, C.L.; Schneider, D.A. Maximal accumulated oxygen deficit expressed relative to the active muscle mass for cycling in untrained male and female subjects. European Journal of Applied Physiology. Vol. 82. Num. 4. 2000. p. 255-261.

-Weir, J.P.; Wagner, L.L.; Housh, T.J. The effect of rest interval length on repeated maximal bench presses. J Strength Cond Res. Vol. 8. Num 1.1994. p. 58-60.

-Weineck, J. Treinamento Ideal. São Paulo. Manole. Vol. 9. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui