Perfil dermatoglifico de mesa tenistas de alto rendimento nacional

Jean C. K. Streit, Pedro Jorge Morales, Mônica Faitarone Brasilino, Fabricio Faitarone Brasilino

Resumo


O tênis de mesa, por ser um jogo muito rápido, aprimora seus materiais para que continuar evoluindo, a bolinha foi trocada de celuloide para plástico, e com isso as borrachas também estão acompanhando essa mudança; tudo isso para deixar um pouco mais lento o esporte, melhorando, assim, a sua visibilidade. Com o avanço nas melhorias, também há a necessidade de se caracterizar os atletas possuidores de valências físicas para a modalidade O objetivo deste estudo foi analisar o perfil dermatoglífico de mesa-tenistas através da coleta das impressões digitais. A amostra foi composta por 24 atletas, sendo 16 do sexo masculino com média de idade de 27±5,4 anos; e 8 (oito) feminino com 23,2±5,1 anos, sendo todos de nível nacional na categoria Absoluto A. A classe II se tornou mais frequente nos mesa-tenistas 13 (52%) para ambos os gêneros. Analisados do primeiro ao quinto do ranking nacional houve maior frequência na classe II para os masculinos, cinco atletas e quatro para feminino. Nos atletas masculinos demonstrou que quanto maior o SQTL (r= 0,78) pior a sua colocação no ranking, o aumento de A (Arcos) demonstra melhor colocação (r= -0,66). Para os achados das atletas femininas demonstrou que quanto maior a quantidade de D10 pior sua colocação (r= 0,78) e quanto maior a presença de L (presilhas) melhor sua colocação (r= -0,78), o aumentos de W (werticilos) piora sua colocação (r= 0,78). Pode-se concluir que os atletas investigados possuem força potencializada e coordenação potencializável, estando na classe II das valências somato-funcionais. Ressalta-se que estes atletas não ocupam as melhores colocações internacionais, tanto para nível mundial ou olímpico.


Palavras-chave


Tênis de mesa; Alto rendimento; Dermatoglifia

Texto completo:

PDF

Referências


-Abramova, T. F.; Nikitina, T.M.; Ozolin, N.N. Possibilidades de utilização das impressões dermatoglíficas na seleção deportiva. Teoria e prática da cultura física. Num. 3. p.10-15. 1995.

-Andrade, M. M. Introdução á Metodologia do trabalho Científico. 10 Ed. São Paulo: Atlas S.A, 2010.

-Dantas, P. M. S.; Fernandes Filho, J. Identificação dos perfis genéticos, de aptidão física e somatotípico que caracterizam atletas masculinos de alto rendimento, participantes do futsal adulto no Brasil. Fitness & Performance Journal. Vol. 1. Num. 1. p.28-36. 2002.

-Dantas, P. M. S.; Alonso, L.; Fernandes Filho, J. A dermatoglifia no futsal brasileiro de alto rendimento. Fitness & Performance Journal. Vol. 3. Num. 3. p. 136-142. 2004.

-De Rose Junior, D.; e colaboradores. Situações causadoras de "stress" no basquetebol de alto rendimento: fatores competitivos. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, p.217-217, 1999.

-Fernandes Filho, J. Impressões dermatoglíficas - Marcas genéticas na seleção dos tipos de esporte e lutas (a exemplo de desportista do Brasil). Tese de Doutorado. Moscou. URSS. 1997.

-Gomes, A. C. Treinamento Desportivo: Estruturação e Periodização. 2 Ed. São Paulo: Artmed, 2009.

-Machado, A. F. Manual de Avalição Física. São Paulo: Icone, 2010.

-Medina, M.F.; Fernandes Filho, J. Identificação dos perfis genético e somatotípico que caracterizam atletas de voleibol masculino adulto de alto rendimento no Brasil. Fitness & Performance Journal. Vol. 1. Num. 4. p.12-19. 2002.

-Marinovic, Welber; Iizuka, Cristina Akiko; Nagaoka, Kelly Tiemi. Tênis de mesa. São Paulo: Ph, 2006.

-Mello, M.V.; Fernandes Filho, J. Perfil dermatoglífico, somatotípico e de composição corporal de judocas brasileiras de alto rendimento. Fitness & Performance Journal. Vol. 3. Num. 6. p. 340-349. 2004.

-Porto, C. C. Semiologia Médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A. Vol. 1. Num. 4. p.12-19. 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui