Nível de aptidão física relacionado à saúde em militares do exército de Teresina-PI: uma comparação entre os escores de classificação do TAF e os escores internacionais

Marcos Felipe Moura Sousa, Aline Brito, Fabiana Ranielle de Siqueira Nogueira, Marcos Antônio Pereira Santos

Resumo


Introdução e Objetivo: sabendo da necessidade dos militares apresentarem satisfatórios níveis de aptidão física, e em decorrência da presença de poucos estudos no Nordeste brasileiro. O presente estudo teve como objetivo verificar e comparar o nível de aptidão física relacionada à saúde em militares do exército de Teresina de acordo com o TAF e parâmetros internacionais. Materiais e métodos: 214 militares foram submetidos a avaliações cardiorrespiratórias e de resistência muscular localizada. Resultados: Os resultados apontam que para a capacidade respiratória 41% dos indivíduos foram classificados como muito bom, com um VO2max de 57,04 ± 8,10 ml.kg.min-1. Na flexão de braços, abdominal e na flexão na barra, 69%, 92% e 40% dos militares foram classificados como excelente, respectivamente. Discussão: o nível de aptidão física encontrado mostra o treinamento físico militar como eficiente para manutenção e melhoria da condição física. Proposição para os resultados pode ser o fato de existirem tabelas de conceituação do desempenho físico que exigem valores mínimos a serem alcançados por todos os militares; a atividade física prevista em tempo de 90 minutos e cinco vezes na semana, além do TAF ainda ser empregado como critério e classificação do mérito em seleções, para promoções e realização de cursos. Conclusão: Através de classificação dos resultados, constatou-se a excelente condição física relacionada à saúde da amostra tanto pelo TAF quanto pelos escores internacionais.


Palavras-chave


Aptidão física; Militares; Teste de aptidão física; Exército Brasileiro

Texto completo:

PDF

Referências


-American College of Sports Medicine (ACMS). Manual do ACSM para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2006.

-Bohme, M.T.S. Relações entre aptidão física, esporte e treinamento esportivo. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 11. Num. 3. 2003. p. 97-104.

-Brasil. Resolução do Conselho de Ministros n.º 6/2003. Diário da República N.º 16, Série I-B, de 20 de janeiro de 2003. pp. 279-287.

-Brasil. Ministério da Defesa. Exército Brasileiro. Estado Maior do Exército. Manual de campanha: treinamento físico militar; C 20-20. Brasília. EGGCF. 2002.

-Brasil. Ministério do Exército. Estado Maior do Exército. Portaria Num. 32, de 31 de março de 2008. Aprova a Diretriz para o treinamento físico militar do Exército e sua avaliação. Brasília. EGGCF. 2008.

-Ceriani, R.B.; Pontes, L.M.; Sousa, M.S.C. Consumo máximo de oxigênio em ergômetro banco: um estudo longitudinal em alunos do Núcleo Preparatório de Oficiais da Reserva. Fitness & Performance Journal. Vol. 7. Num. 2. 2008. p. 76-80.

-Cooper, K.H. A means of assessing maximal oxygen intake: correlation between field and treadmill testing. Journal of the American Medical Association. Vol. 203. 1968. p.135-138.

-Dias, A.C.D.; Dantas, E.H.M.; Moreira, S.B.; Silva, V. F. A relação entre o nível de condicionamento aeróbico, execução de uma pista de obstáculos e o rendimento em um teste de tiro. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Num. 6. 2005. p.341-346.

-Dubik, J.M.; Fullerton, T.D. Soldier overloading in Grenada. Military Review. Vol. 67. 1987. p.38-47.

-Garber, C.E.; Blissmer, B.; Deschenes, M.R.; Franklin, B.A.; Lamonte, M.J.; Lee, I.; Nieman, D.C.; Swain, D.P. American College of Sports Medicine. American College of Sports Medicine position stand. Quantity and quality of exercise for developing and maintaining cardiorespiratory, musculoskeletal, and neuromotor fitness in apparently healthy adults: guidance for prescribing exercise. Medicine of Science Sports Exercise. Vol. 43. Num. 7. 2011. p.1334-1359.

-Gonçalves, L.G.O. Aptidão Física relacionada à Saúde de Militares do Município de Porto Velho-RO. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília. Brasília. 2006.

-Guedes, D.P.; Guedes, J.E.R.P. Manual Prático para Avaliação em Educação Física. Manole. 2006.

-Huerta, M.; Grotto, I.; Shemla, S.; Ashkenazi, I.; Shpilberg, O.; Kark, JD. Cycle ergometry estimation of physical fitness among Israeli soldiers. Military Medicine. Vol. 169. Num. 3. 2004. p.217-220.

-Knapik, J.J.; Sharp, M.A.; Darakjy, S.; Jones, S.B.; Hauret, K.G.; Jones, B.H. Temporal changes in the physical fitness of US Army recruits. Sports Medicine. Vol. 36. Num. 7. 2006. p.613-634.

-Machado, E.S. Treinamento físico e aptidão física de policiais federais. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília. Brasília. 2012.

-Marić, L.; Krsmanović, B.; Mraović, T.; Gogić, A.; Sente, J.; Smajić, M. The effectiveness of physical education of the Military Academy cadets during a 4-year study. Vojnosanitetski pregled. Vol. 70. Num. 1. 2013. p.16-20.

-Matiello-Júnior, E.; Gonçalves, A. Avaliando relações entre saúde coletiva e atividade física: Aspectos normativos e aplicados do treinamento físico militar brasileiro. Motriz. Vol. 3. Num. 2. 1997. p. 80-87.

-Matos, D.G.; Salgueiro, R.S.; Filho, M.L.M.; Rodrigues, B.M.; Aidar, F.J.; Lima, J.R.P. Perfil evolutivo do condicionamento aeróbio e da força em policiais militares. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. Vol. 8. Num. 25. 2010. p.486-493.

-Mccaig, R.H.; Gooderson, C.Y. Ergonomic and physiological aspects of military operations in a cold wet climate. Ergonomics. Vol. 29. 1986. p.849-857.

-Medeiros, J.F. Capacidade cardiorrespiratória de homens sedentários como componente da aptidão física relacionada à saúde. Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 16. 2011. p.157.

-Nindl, B.C.; Williams, T.J.; Deuster, P.A.; Butler, N.L.; Jones, B.H. Strategies for optimizing military physical readiness and preventing musculoskeletal injuries in the 21st century. United States Army Medical Department. Vol. 4. Num. 13. 2013. p.5-23.

-Nunes, A.V.; Miark, B.; Campos, F.A.D.; Saldanha, L.A.; Ferreira, A.O. Comparação entre modelos de testes físicos em função da massa corporal e sexo: um estudo com alunos da academia de polícia civil do Rio grande do Sul. Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP. Vol. 8. Num. 2. 2010. p.33-46.

-Oliveira, E.A.M. Validade do teste de aptidão física do exército brasileiro como instrumento para a determinação das valências necessárias ao militar. Revista de Educação Física. Vol. 131. Num. 2. 2005. p.30-37.

-Oliveira, E.A.M.; Anjos, L.A. Medidas antropométricas segundo aptidão cardiorrespiratória em militares da ativa, Brasil. Revista de Saúde Pública. Vol. 42. Num. 2. 2008. p.217-23.

-Pollock, M.L.; Wilmore, J.H. Exercício na saúde e na doença: avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. 2ª edição. São Paulo, MEDSI. 1993.

-Powers, S.K.; Howley, E.T. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 5ª edição. Manole. 2005.

-Rodrigues, A.V.S.; Martinez, E.C.; Duarte, A.F.A.; Ribeiro, L.C.S. O condicionamento aeróbico e sua influência na resposta ao estresse mental em oficiais do Exército. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. 2007. p.113-117.

-Silveira, J.L.G. Aptidão Física, índice de capacidade de trabalho e qualidade de vida de bombeiros de diferentes faixas etárias em Florianópolis. Dissertação de Mestrado. UFSC-SC. Santa Catarina. 1998.

-Sousa, M.S.C. Efeitos do treinamento no Exército sobre os níveis de amplitude articular em flex índice reduzido nos Núcleos Preparatórios de Oficiais de Reserva (NPOR) da Paraíba. In: IV Congresso Pernambucano de Ciência do Esporte, 31 de maio a 03 de junho de 2005, Recife-PE. Anais do IV congresso pernambucano de ciências do esporte. Recife: Universidade Federal de Pernambuco. Universitária. 2005. p.17-22.

-Souza, R.M.; Tavares, M. A.; Alves, J.O.B.; Nunes, M.J.P.; Machado, A.A.C.; Sant’ana, H.B.; Pereira, W.G.; Silva, F.C.; Lincoln, A. T. Alterações na frequência cardíaca e no lactato sanguíneo no treinamento intervalado aeróbico. Revista de Educação Física. Num. 7. 2005. p. 45-53.

-Stevens, J.; Cai, J.; Evenson, K.R.; Thomas, R. Fitness and fatness as predictors of mortality from all causes and from cardiovascular disease in men and women in the lipid research clinics study. American Journal of Epidemiology. Vol. 156. Num. 9. 2002. p.832-841.

-Vargas, L.M.; Moleta, T.; Pilatti, L.A. Diferença da aptidão física relacionada ao desempenho entre soldados de elite e convencionais do exército brasileiro. Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP. Vol. 11. Num. 2. 2013. p.148-167.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui