Aptidão e atividade física relacionados à saúde de adolescentes entre 11 e 14 anos

Daiane Zawadzki, Nívea de Freitas Fiqueiredo Stiegler, Fabrício Faitarone Brasilino

Resumo


Introdução: o sedentarismo na adolescência, em toda sua amplitude, pode fazer com que a saúde entre em declínio tornando o indivíduo mais suscetível às patologias. A adolescência é uma fase de transição importante que irá determinar a saúde ou doença de uma pessoa adulta e por isso, merece a atenção dos profissionais da saúde. Objetivos: Analisar a relação entre os níveis de aptidão e atividade física à saúde de adolescentes entre 11 a 14 anos, visando compreender maneiras eficazes na promoção do aumento da saúde e qualidade de vida. Materiais e Métodos: Participaram da pesquisa 72 indivíduos, sendo 32 adolescentes do sexo feminino e 40 adolescentes do sexo masculino, com média de idade de 12,4 anos. Os participantes da pesquisa realizaram (uma única vez), protocolos como: questionário internacional de atividade física-IPAQ, questionário de triagem nutricional, teste de sentar e alcançar com o Banco de Wells, teste de força de resistência abdominal e o teste de corrida em 9 minutos. A aplicabilidade de todos os testes realizados com os adolescentes, teve a duração de dois meses, com coletas de dados, duas vezes por semana. Foi realizada a correlação estatística entre os componentes do IPAQ e as variáveis coletadas nos testes de aptidão física. Resultados: Os resultados obtidos neste estudo, não demonstraram significância estatística, quando analisado os 72 participantes da pesquisa. Entretanto; após a análise individualizada dos componentes do IPAQ, constatou-se que houve correlação entre as variáveis dos adolescentes sedentários e ativos. Conclusão: a realização de exercícios físicos moderados e/ou intensos, pelo menos três vezes na semana, melhora as aptidões cardiorrespiratórias e cardiovasculares dos adolescentes, além de diversos benefícios físicos, psicológicos e sociais.


Palavras-chave


Aptidão física; Atividade física; Saúde; Adolescência

Texto completo:

PDF

Referências


-Alves, J. G. B.; e colaboradores. Prática de esportes durante a adolescência e atividade física de lazer na vida adulta. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Núm. 5. p. 291-294. 2005.

-Araújo, C.G.S. Teste de esforço e prescrição de exercício. 5ª edição. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter. 2000. p.46.

-Araújo, D. S. M. S.; Araújo, C. G. S. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. São Paulo. Vol. 6. Num. 5. p.194-203. 2000.

-Barbanti, V. J. Aptidão Física: Um convite à saúde. São Paulo: Manole, 1990, p.12.

-Camilo, I. B. O teste de sentar e alcançar como avaliação de flexibilidade em escolares do ensino fundamental da rede pública de um município da região central de Rondônia. Revista Acta Brasileira do Movimento Humano. Vol. 6. Núm. 1. p.64-75. 2016.

-Eisenstein, E. Adolescência: Definições, conceitos e critérios. Revista de Adolescência e Saúde. Vol. 2. Núm. 2. p.6-7. 2005.

-Farias, E. S.; e colaboradores. Efeito da atividade física programada sobre a aptidão física em escolares adolescentes. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Florianópolis. Vol. 12. Núm. 2. p.98-105. 2010.

-Guedes, D. P.; e colaboradores. Atividade física habitual e aptidão física relacionada à saúde em adolescentes. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília: Vol. 10. Núm. 1. p.13-21. 2002.

-Guedes, D. P.; Guedes, J. E. R. Pinto. Aptidão física relacionada à saúde de crianças e adolescentes: Avaliação referenciada por critério. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 1. Núm. 2. p.27-38. 1995.

-Ignacio, M. C. Habilidades motoras fundamentais e aptidão física relacionada à saúde em crianças: Um estudo descritivo e associativo. Monografia de Graduação em Educação Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 2015.

-Molinari, G. Avaliação postural. In Machado, A. F.; Abad, C. C. C. Manual de avaliação física. 2ª edição. São Paulo. Ícone. 2012. cap. 8. p. 203.

-Ramos, A. T. Atividade Física - diabéticos, gestantes, idosos, crianças e obesos. 2ª edição. Rio de Janeiro: Sprint. 1999.

-Rezende, F. A. C.; e colaboradores. Índice de Massa Corporal e Circunferência Abdominal: Associação com Fatores de Risco Cardiovascular. Revista Brasileira de Cardiologia. Vol. 87. Núm. 6. p.728-734. 2006.

-Segre, M.; Ferraz, F. C. O conceito de saúde. Revista de Saúde Pública. Vol. 31. Núm. 5. p.538-542. 1997.

-Silva, J. E. F.; e colaboradores. Obesidade e sedentarismo como fatores de risco para doenças cardiovasculares em crianças e adolescentes de escolas públicas de Maringá-PR. Revista de Saúde e Pesquisa. Vol. 2. Núm. 1. p. 41-51. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui