Os efeitos do treinamento de força para hipertensos: revisão

  • William Rosner Programa de pós-graduação Lato Sensu em Fisiologia do Exercício: Prescrição do Exercício, Universidade Estácio de Sá, Brasil.
  • Rafaela Liberali Programa de pós-graduação Lato Sensu em Fisiologia do Exercício: Prescrição do Exercício, Universidade Estácio de Sá, Brasil.
  • Francisco Navarro Programa de pós-graduação Lato Sensu em Fisiologia do Exercício: Prescrição do Exercício, Universidade Estácio de Sá, Brasil.
Palavras-chave: Hipertensão, Pressão arterial, Frequência cardíaca

Resumo

Introdução: A hipertensão arterial é considerada um problema de saúde pública por ser uma doença atual no mundo. Essa estatística no Brasil vem crescendo entre 60% a 85% de óbito por infarto de miocárdio e acidente vascular cerebral. Objetivo: Demonstrar os efeitos agudos e crônicos através das variáveis da pressão arterial sistólica, diastólica, frequência cardíaca e duplo produto do treinamento de força nos hipertensos. Materiais e Métodos: Foram consultadas as bases de dados em revistas nacionais nos anos de 2003 a 2017. Resultados: A revisão encontrou 11 artigos com inclusão de 4 hipertensos e 7 para normotensos. Houve maior elevação de pressão arterial nos hipertensos incluindo a manobra de valsava. Discussão: O que vem apontando que o treino resistido beneficia os hipertensos após uma sessão de treinamento comparados a outros estudos. Conclusão: O treinamento de força precisa e deve ser realizado para a melhora da hipotensão arterial pós treino nos hipertensos. Sugere-se ter mais estudos na área para colaborar e auxiliar na prescrição em cima das variáveis, dos tipos de exercícios e manipulação de treino de forma segura e acompanhada por um profissional de educação física.

Referências

-Assunção, W. D.; Daltro, M.; Simão, R.; Polito, M.; Monteiro, W. Respostas cardiovasculares agudas no treinamento de força conduzido em exercícios para grandes e pequenos grupamentos musculares. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. Num. 2. 2007. p. 118-122.

-Brottcher, L. B.; Kokubun, E. Comparação dos níveis de aptidão física entre hipertensos e normotensos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 23. Num. 2. 2017. p. 114-117.

-Bracarense, F. N.; Zanetti, H. R.; Gonçalves, A.; Almeida, M. S.; Lopes, L. T. P. Influência de diferentes tipos de respiração na resposta cardíaca durante o exercício de força. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 10. Num. 62. 2016. p. 728-733.

-Costa, J. B. Y.; Gerage, A. M.; Gonçalves, C. G. S.; Pina, F. L. C.; Polito, M. D. Influência do estado de treinamento sobre o comportamento da pressão arterial após uma sessão de exercícios com pesos em idosas hipertensas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 16. Num. 2. 2010. p. 103-106.

-Cunha, E. S.; Miranda, P. A.; Nogueira, S.; Costa, E. C.; Silva, E. P.; Ferreira, G. M. H. Intensidade de treinamento resistido e pressão arterial de idosas hipertensas - um estudo piloto. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 18. Num. 6. 2012. p. 373-376.

-Ferreira, M. R. A.; Cruz, M. S. A.; Paz, G. A.; Miranda, H. Método dropset versus tradicional: O efeito hipotensivo pós-exercício em mulheres treinadas. Revista Científica Multidisciplinar das Faculdades São José. Vol. 8. Num. 2. 2016. p. 02-13.

-Filho, R. M. Ação do treinamento concorrente sobre algumas variáveis antropométricas de hipertensos. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 9. Num. 56. 2015. p. 643-646.

-Gomes, M. S.; Nunes, N. Respostas hemodinâmicas agudas do treinamento de força em hipertenso controlado. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 2. Num. 8. 2008. p. 265-271.

-Henriques, D. S. P.; Fernandes, R. S.; Urtado, C. B.; Carvalho, E. B.; Nogueira, L. C. Respostas agudas de variáveis cardiovascular em pacientes hipertensos submetidos a um programa de exercícios terapêuticos. Revista Brasileira de prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 5. Num. 26. 2011. p. 90-95.

-Kneubuehler, P. A.; Mueller, D. Aplicação e análise dos efeitos de sessões de exercício físico aeróbico e de resistência aplicada na academia ao ar livre no controle da hipertensão arterial. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 10. Num. 61. 2016. p.663-669.

-Lovato, N. S.; Anunciação, P. G.; Polito, M. D. Pressão arterial e variabilidade de frequência cardíaca após o exercício aeróbio e com pesos realizados na mesma sessão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 18. Num. 1. 2012. p. 22-25.

-Liberali, R. Metodologia Científica Prática: um saber fazer competente da saúde à educação. 2ª edição revisada ampliada. Florianópolis. Postmix. 2011. p. 206.

-Leal, V. C.; Destro, D. S.; Vasconcelos, A. P.; Cardozo, D. C. Influência do número de séries sobre a resposta da pressão arterial após uma sessão de treinamento de força em mulheres idosas hipertensas. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 11. Num. 64. 2017. p. 12-19.

- Miranda, H.; Simão, R.; Lemos, A.; Dantas, B. H. A.; Baptista, L. A.; Novaes, J. Análise da frequência cardíaca, pressão arterial e duplo produto em diferentes posições corporais nos exercícios resistidos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Num. 5. 2005. p. 295-298.

-Miranda, A. C. S.; Paiva, F. S.; Barbosa, M. B.; Souza, M. B.; Simão, R.; Maior, A. S. Respostas do duplo produto envolvendo séries contínua e fracionada durante o treinamento de força. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. Rio de janeiro. Vol. 5. Num. 1. 2006. p. 107-116.

-Molina, M. C. B.; Cunha, R. S.; Herkenhoff, L. F.; Mill, J. G. Hipertensão arterial e consumo de sal em população urbana. Revista Brasileira de saúde pública. Vitória. Vol. 37. Num. 6. 2003. p.743-750.

-Montenegro, L. P. Musculação para a qualidade de vida relacionada a saúde de hipertensos e diabéticos tipo 2. Revista Brasileira de prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 9. Num. 51. 2015. p. 105-109.

-Muniz, T. S.; Manuchaquian, L. M.; Andrade, T. S. Hipotensão pós exercício de caráter aeróbio submetidos a indivíduos hipertensos medicados, nos períodos matutino e vespertino. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 4. Num. 19. 2010. p. 24-35.

-Mediano, M. F. F.; Paravidino, V.; Simão, R.; Pontes, F. L.; Polito, M. D. Comportamento subagudo da pressão arterial após o treinamento de força em hipertensos controlados. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Num. 6. 2005. p. 337-340.

-Póvoa, T. I. R.; Jardim, P. C. B. V.; Sousa, A. L. L.; Jardim, T. S. V.; Souza, W. K. S. B.; Jardim, L. S. V. Treinamento aeróbio e resistido, qualidade de vida e capacidade funcional de hipertensas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 20. Num. 1. 2014. p. 36-40.

-Polito, M. D.; Simão, R.; Nóbrega, A. C. L.; Farinatti, P. T. V. Pressão arterial, Freqüência cardíaca e duplo produto em séries sucessivas do exercício de força com diferentes intervalos de recuperação. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Vol. 4. Num. 3. 2004. p. 7-15.

-Reis, L. G. R.; Teixeira, A. L. S.; Paiva, D. B.; Santos, S. M.; Moraes, E.; Simão, R.; Dias, M. R. Respostas cardiovasculares agudas em diferentes posições corporais no treinamento resistido. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 6. Num. 33. 2012. p. 192-200.

-Souza, D. R.; Gomides, R. S.; Costa, L. A. R.; Fernandes, J. R. C.; Ortega, K. C.; Junior, D. M.; Tinucci, T.; Forjaz, C. L. M. Betabloqueio com atenolol não reduz potência aeróbia nem muda limiares ventilatórios em hipertensos sedentários. Revista Brasileira de medicina do esporte. Vol. 19. Num. 5. 2013. p. 339-342.

-Teixeira, A. V.; Rocha, G. M. Efeito da periodização de um protocolo de treinamento de força sobre a pressão arterial em mulheres hipertensas, fisicamente ativas, entre 53 e 65 anos. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 6. Num. 36. 2012. p. 528-534.

-Walz, M.; Ribeiro, F. S.; Navarro, F. Efeito da extensão do joelho na pressão arterial executado de maneira uni e bilateral. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 3. Num. 16. 2009. p. 390-395.

-Xavier, S. A.; Ferreira, E. F.; Júnior, M. A. C.; Oliveira, R. A. R. Prevalência de sobrepeso e obesidade em alunos de uma escola pública. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 9. Num. 56. 2015. p. 622-629.

Publicado
2021-02-26
Como Citar
Rosner, W., Liberali, R., & Navarro, F. (2021). Os efeitos do treinamento de força para hipertensos: revisão. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(89), 167-174. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1933
Seção
Artigos Científicos - Revisão