Efeito agudo do treinamento de força sobre a flexibilidade de membros inferiores

Dagnou Pessoa Moura, Diego Rafael Tonon, Denis Ferreira Nascimento

Resumo


A flexibilidade é uma capacidade física importante para qualidade de vida da população, ajuda melhorar a postura além de reduzir riscos de lesões nas atividades diárias e esportiva. O treinamento de força aumenta o desempenho das atividades esportivas, além de melhorar a qualidade de vida, sendo fundamental para o público idoso manter sua vida útil por mais tempo. O objetivo do presente trabalho foi verificar o efeito agudo do treinamento de força sobre a flexibilidade em membros inferiores. Para tal, foram selecionados 10 indivíduos homens com idade de 22 ± 2 anos, altura 174 ±0,08 centímetros, massa corporal de 74,22 ± 12,81 e percentual de gordura de 13,18, ± 7,85, todos com experiência em treinamento de força pelo menos 6 meses. O grupo realizou o teste sentar e alcançar no banco de Wells, em seguida fez uma sessão de treinamento de força para membros inferiores a 60% de 1RM e o mesmo teste sentar e alcançar 1 minuto após o término da sessão de treinamento. Houve melhora nos valores no teste de flexibilidade pós sessão de treinamento quando comparado com o teste antes da sessão de treino (p=0,000345). Conclui-se que de forma aguda, a sessão de treinamento de força para membros inferiores influência de forma positiva sobre os valores de flexibilidade da musculatura do complexo muscular isquitibial.

 

ABSTRACT 

Acute effect of strength training on flexibility of lower limbs

The flexibility is defined as quality of life, whether the magnitude of the available movement of a joint or group of joints then being limited by bones, muscles, tendons, ligaments and joint capsules responsible for voluntary execution of a maximum angular amplitude of movement it is considered an important factor related to health, as it helps her develop and improve posture, increase the quality and quantity of movements decreasing risk of injury when it is in some extent even in favors greater mobility in daily and sports activities. Strength training increases the performance of activities and improves the daily lives and helps preserve and improve this physical quality of the population and may counteract the weakness and muscle weakness and improve mobility and flexibility. The aim of this study was to investigate the acute effect of strength training on flexibility in the lower limbs. To this end, 10 individuals were selected men aged 21,67 ± 2,12, 177,78 height, ± 3,64, mass, 29,17, and ± 9,99% fat, 15,34, ± 3,69 with strength training experience at least 06 months. The group performed strength training for the lower limbs with 60% of 1RM. There was an improvement in values in the flexibility test after training session when compared to the test before the training session (p = 0.000345). It is concluded that acutely, strength training session for lower limbs influences positively the flexibility values of isquitibial muscle complex musculature.


Palavras-chave


Alongamento; Flexibilidade; Musculação

Texto completo:

PDF

Referências


-Alter, M.J. Ciência da flexibilidade. 2ª edição. Artmed. 1999.

-Bertolla, F.; Baroni, B.M.; Leal Junior, E.C.P.; Oltramari, J.D.; Efeito de um programa de treinamento utilizando o método Pilates na flexibilidade de atletas juvenis de futsal. Rev Bras Méd Esporte. Vol.13. Num. 4. p. 198-192. 2007.

-Coelho, L.F.S. O Treino da flexibilidade muscular e o aumento da amplitude de movimento: Uma revisão crítica da literatura. Revista Motricidade. Vol. 3. Num. 4. p. 22-37. 2007.

-Cyrino, E.S.; Oliveira, A.R.; Leite, J.C.; Porto, D.B.; Dias, R.M.R.; Segantin, A.Q.; Mattanó, R.S.; Santos, V.A. Comportamento da flexibilidade após 10 semanas de treinamento com pesos. Rev Bras Med Esporte. Vol. 10. Num. 4. p. 233-2374. 2004.

-Dantas, E. H. M. Flexibilidade, alongamento e flexionamento. 4ª edição. Shape. 1998.

-Di Alencar, T.A.M.; Matias, K.F.S.; Princípios fisiológicos do aquecimento e alongamento muscular na atividade esportiva. Rev Bras Med Esporte. Vol. 16. Num. 3. p. 230-234. 2010.

-Fatouros, I.G.; Kambas, A.; Katrabasas, I.; Leontsini, D.; Chatzinikolaou, A.; Jamurtas, A.Z.; Douroudos, I.; Aggelousis, N.; Taxildaris, K. Resistance training and detraining effects on flexibility performance in the elderly are intensitydependent. J Strength Cond Res. Vol. 20. Num. 3. p. 634-642. 2006.

-Fatouros, I.G.; Taxildaris, K.; Tokmakidis, S.P.; Kalapotharakos, V.; Aggelousis, N.; Athanasopoulos, S.; Zeeris, I.; Katrabasas, I. The effects of strength training, cardiovascular training and their combination on flexibility of inactive older adults. Int J Sports Med. Vol. 23. Num. 2. p. 112-119. 2002.

-Feland, J.B.; Hawks, M.; Hopkins, J.T.; Hunter, I.; Johnson, A.W.; Eggett, D.L. Whole body vibration as an adjunct to static stretching. International Journal of Sports Medicine. Stuttgart Vol. 31. Num. 8. p. 584-589. 2010.

-Guedes, D. P. Composição Corporal: Princípios, Técnicas e Aplicações. 2ª edição. APEF. 1994.

-Guiselini, M. Total fitness. Phorte. 2001.

-Hall, M.C.; Brody, T.L. Exercícios terapêuticos: na busca da função. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2001.

-Monteiro, G.D.A. Treinamento da flexibilidade: sua aplicabilidade para saúde. Midiograf, 2006.198p.

-Proulx, C.I.; Ducharme, M.B.; Kenny, G.P. Effect of water temperature on cooling efficiency during hyperthermia in humans. J Appl Physiol. Vol. 94. p. 1317-1323. 2003.

-Rosa, H.L.; Lima, J.R.P. Correlação entre Flexibilidade e Lombalgia em Praticantes de Pilates. R. Min. Educ. Fís. Vol. 17. Núm. 1. p. 64-73. 2009.

-Sharkey, B.J. Condicionamento físico e saúde. 4ª edição. Artemed. 397p. 1998.

-Thrash, K.; Kelly, B. Flexibility and strength training. J Appl Sport Sci Res. Vol. 4. p. 74-75. 1987.

-Wells, K.F.; Dillon, E.K. The sit and reach: a test of back and leg flexibility. Res Q Exerc Sport. Vol. 23. p. 115-118. 1952.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui