Motivação dos filhos para prática esportiva nas aulas de Educação Física e sua relação com o nível de atividade física dos pais

  • Luciano Bernardes Leite Laboratório de Biologia do Exercício, Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, Brasil.
  • Daniel Massote Melo Leite Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Viçosa Campus Florestal, Florestal, Brasil.
  • Leôncio Lopes Soares Laboratório de Biologia do Exercício, Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, Brasil.
  • Cíntia Cândida Braga Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Viçosa Campus Florestal, Florestal, Brasil.
  • Guilherme de Azambuja Pussieldi Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Viçosa Campus Florestal, Florestal, Brasil.
Palavras-chave: Atividade física, motivação, escolares.

Resumo

Objetivo: Avaliar os motivos que levam alunos a participarem da prática desportiva nas aulas de Educação Física e verificar a relação dessa motivação com o nível de atividade física dos seus respectivos pais. Métodos: Trata-se de um estudo transversal de associação entre variáveis, motivação e atividade física. A população do estudo foi composta por 102 estudantes, 73 do sexo feminino e 29 do sexo masculino com idade entre 15 e 18 anos matriculados na Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal - Minas Gerais, Brasil. Utilizou-se como instrumentos para coleta de dados um questionário de Motivação para a Prática Desportiva, de Gaya, Cardoso (1998) adaptado e validado por Silva (2014). Para avaliação do nível de atividade física dos pais foi utilizado o IPAQ versão curta. Correlação de Spearman foi selecionado para associação entre as variáveis motivação dos alunos e nível de atividade física dos pais. As análises foram realizadas pelo pacote estatístico Graphic Prism 6.0. (p<0,05) foi adotado. Resultados: Observou-se que há correlação positiva moderada entre o nível de atividade física dos pais e realização pessoal dos filhos (r = 0,62) bem como nível de atividade física e melhoria do desempenho (r = 0,75) (p<0,0001).Conclusão: Nossos resultados mostram uma relação direta entre o nível de atividade física dos pais e a motivação para prática desportiva nas aulas de Educação Física dos filhos. Esses achados dão suporte para a importância da prática de atividade física regular para a promoção da saúde.

Referências

-Brown, H. E.; Schiff, A.; Van Sluijs, E. M. Engaging families in physical activity research: a family-based focus group study. BMC Public Health. Vol. 15. Num. 1. p. 1178. 2015.

-Cheng, L. A.; Mendonca, G.; Farias Junior, J. C. Physical activity in adolescents: analysis of the social influence of parents and friends. Jornal de pediatria. Vol. 90. Num. 1. p. 35-41. 2014.

-Coledam, D. H. C.; Ferraiol, P. F. Engagement in physical education classes and health among young people: does sports practice matter? A cross-sectional study. São Paulo Medical Journal. Vol. 135. Num. 6. p. 548-555. 2017.

-Cremades, J. G.; Donlon, C. J.; Poczwardowski, A. Parental involvement and gender differences in the psychological profile of freshmen collegiate athletes. Journal of Sport and Health Science. Vol. 2. Num. 3. p. 160-167. 2013.

-Martinelli, C. S.; Selma; Aguena, E. C. La motivación en estudiantes de enseñanza fundamental y las creencias y actitudes de los padres. Revista de investigación en psicologia. Vol. 14. Num. 1. p. 53-63. 2011.

-Lemos, N.; Nakamura, P. M.; Figueiredo, G. R. N.; Kokubun, E. Associação entre nível de atividade física de lazer dos pais com o nível de atividade física dos filhos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde Vol. 15. Num. 2. p. 95-100. 2010.

-Gaya, A. C. A.; Cardoso, M. F. D. S. Os fatores motivacionais para a prática desportiva e suas relações com o sexo, idade e níveis de desempenho desportivo. Revista Perfil. Num. 2. p. 40-52. 1998.

-Greene, K. M.; Lee, B.; Constance, N.; Hynes, K. Examining youth and program predictors of engagement in out-of-school time programs. Journal of youth and adolescence. Vol. 42. Num. 10. p. 1557-1572. 2013.

-Gualano, B.; Sa Pinto, A. L.; Perondi, B.; Leite Prado, D. M.; Omori, C.; Almeida, R. T.; Silva, C. A. Evidence for prescribing exercise as treatment in pediatric rheumatic diseases. Autoimmunity reviews. Vol. 9. Num. 8. p. 569-573. 2010.

-Gustafson, S. L.; Rhodes, R. E. Parental correlates of physical activity in children and early adolescents. Sports medicine. Vol. 36. Num. 1. p. 79-97. 2006.

-Hallal, P. C.; Andersen, L. B.; Bull, F. C.; Guthold, R.; Haskell, W.; Ekelund, U. Global physical activity levels: surveillance progress, pitfalls, and prospects. The Lancet. Vol. 380. Num. 9838. p. 247-257. 2012.

-Koch, L. G.; Britton, S. L. Theoretical and biological evaluation of the link between low exercise capacity and disease risk. Cold Spring Harbor perspectives in medicine. Vol. 8. Num. 1. p. a029868. 2018.

-Laird, Y.; Fawkner, S.; Kelly, P.; McNamee, L.; Niven, A. The role of social support on physical activity behaviour in adolescent girls: a systematic review and meta-analysis. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity. Vol. 13. Núm. 1. p.79. 2016.

-Lee, I. M.; Shiroma, E. J.; Lobelo, F.; Puska, P.; Blair, S. N.; Katzmarzyk, P. T. Effect of physical inactivity on major non-communicable diseases worldwide: an analysis of burden of disease and life expectancy. The lancet. Vol. 380. Num. 9838. p. 219-229. 2012.

-Lindsay, A. C.; Greaney, M. L.; Wallington, S. F.; Mesa, T., Salas, C. F. A review of early influences on physical activity and sedentary behaviors of preschool‐age children in high‐income countries. Journal for Specialists in Pediatric Nursing. Vol. 22. Num. 3. p. e12182. 2017.

-Massa, M.; Uezu, R.; Böhme, M. T. S. Judocas olímpicos brasileiros: fatores de apoio psicossocial para o desenvolvimento do talento esportivo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 24. Num. 4. p. 471-481. 2010.

-Matsudo, S.; Araújo, T.; Matsudo, V.; Andrade, D.; Andrade, E.; Braggion, G. Questionário internacional de atividade física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 6. Num. 2. p. 5-18. 2001.

-Momesso, C. T.; Verardi, C. E. L.; Arthuso, F. Z.; Silva, F. S. C.; Rodrigues, R. N.; Hirota, V. B.; Maffei, W. S. Percepção de jovens atletas sobre o envolvimento dos pais em relação à sua participação esportiva. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento. Vol. 16. Num. 1. 2016.

-Moraes, L. C.; Rabelo, A. S.; Salmela, J. H. Papel dos pais no desenvolvimento de jovens futebolistas. Psicologia: reflexão e crítica. Vol. 17. Num. 2. p. 211-222. 2004.

-Nocon, M.; Hiemann, T.; Muller-Riemenschneider, F.; Thalau, F.; Roll, S.; Willich, S. N. Association of physical activity with all-cause and cardiovascular mortality: a systematic review and meta-analysis. European Journal of Cardiovascular Prevention & Rehabilitation. Vol. 15. Num. 3. p. 239-246. 2008.

-Olivares, P. R.; Cossio-Bolanos, M. A.; Gomez-Campos, R.; Almonacid-Fierro, A.; Garcia-Rubio, J. Influence of parents and physical education teachers in adolescent physical activity. International Journal of Clinical and Health Psychology. Vol. 15. Num. 2. p. 113-120. 2015.

-Paim, M. C. C.; Pereira, E. Fatores motivacionais dos adolescentes para a prática de capoeira na escola. Motriz. Journal of Physical Education. UNESP. Vol. 10. Num. 3. p. 159-166. 2004.

-Raudsepp, L. The relationship between socio‐economic status, parental support and adolescent physical activity. Acta Paediatrica. Vol. 95. Num. 1. p. 93-98. 2006.

-Reichert, F. F.; Barros, A. J.; Domingues, M. R.; Hallal, P. C. The role of perceived personal barriers to engagement in leisure-time physical activity. American journal of public health. Vol. 97. Num. 3. p. 515-519. 2007.

-Sallis, J. F.; Prochaska, J. J.; Taylor, W. C. A review of correlates of physical activity of children and adolescents. Medicine & science in sports & exercise. Vol. 32. Num. 5. p. 963-975. 2000.

-Seabra, A. F.; Mendonça, D. M. D. M.; Maia, J. A.; Garganta, R. M. Agregação familiar nos hábitos de prática desportiva. Um estudo em crianças e jovens dos 10 aos 19 anos de idade. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 12. Num. 3. p. 7-14. 2008.

-Silva, I. C. M. D.; Knuth, A. G.; Amorim, T. E. C.; Kremer, M. M.; Rombaldi, A. J.; Hallal, P. R. C.; Azevedo, M. R. Atividade física de pais e filhos: um estudo de base populacional. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 22. Num.4. p.257-63. 2008.

-Silva, P. V. C.; Costa Junior, Á. L. Efeitos da atividade física para a saúde de crianças e adolescentes. Psicologia Argumento. Vol. 29. Num. 64. p. 41-50. 2011.

-Torregrosa, M.; Cruz, J.; Sousa, C.; Viladrich, C.; Villamarín, F.; Garcia-Mas, A.; Palou, P. La influência de padres y madres en el compromiso deportivo de futbolistas jóvenes. Revista latinoamericana de psicologia. Vol. 39. Num. 2. p. 227-237. 2007.

Publicado
2021-02-28
Como Citar
Leite, L. B., Leite, D. M. M., Soares, L. L., Braga, C. C., & Pussieldi, G. de A. (2021). Motivação dos filhos para prática esportiva nas aulas de Educação Física e sua relação com o nível de atividade física dos pais. RBPFEX - Revista Brasileira De Prescrição E Fisiologia Do Exercício, 14(90), 223-232. Recuperado de http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1970
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##